sexta-feira, julho 21, 2006

Este meu país...

Desde há muito que sou um crítico dos sindicatos. Assumindo a injustiça das generalizações, afirmo que em regra apenas se representam a si próprios. Quem medita sobre o fenómeno reconhece um indesmentível eternizar dos seus membros, cada vez mais desligados das realidades que pretendem representar, num imobilismo indisfarçável.
De ano para ano o desgaste dos sindicatos é manifesto, que cada vez tem mais reduzido impacto nos trabalhadores, apenas ecos mediáticos; mais, a subordinação a estratégias politicas partidárias, fazem esgotar a sua razão de ser.

Os sindicatos da polícia (falamos no plural porque são mais de uma dezena) são o exemplo da irresponsabilidade do sindicalismo; reiteradamente assumiram posições que envergonham as instituições que representam. As que deram lugar aos processos disciplinares que hoje terminam, são, salvo melhor opinião, lamentáveis.

Quer isto dizer que concordo com as decisões do Ministério? Obviamente que não! Esta decisão é juridicamente aberrante, como, em tempo, os Tribunais julgarão. Trata-se de uma inequívoca e vergonhosa limitação do direito à liberdade de expressão: dar direito a aplicação de sanção disciplinar a quem diz “ o PM que vá para o Quénia” não lembrava a Salazar…

Post Scriptum; por falar em coisas vergonhosas: que aconteceu hoje na Ordem dos Advogados???

1 comentário:

  1. here you can find Viagra the best solution for ED treatment ,
    Viagra every 6 hours every day.

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!