quinta-feira, dezembro 31, 2009

O ultimo post do ano...

... não é obviamente para achincalhar dois jovens que fizeram uma tolice (a punição legal parece-me bastante, pelo que não vejo a necessidade de tentar humilhar quem já está no chão), mas para um pensamento quase profundo! Porque o Senhor deu cérebro aos homens se eles só conseguem pensar com a pila!

Qual o facto pessoal do ano?!

Tem coragem de se confessar?!

quarta-feira, dezembro 30, 2009

Qual o facto nacional do ano?!

Ontem falámos da cidade, hoje pergunto do País! Qual o mais relevante facto do ano, na opinião de douto leitor?!

O que mais gosto neste imverno,,,

... é a quantidade de jogadores que o meu benfica e sporting estão a comprar. Coisa mai linda! Ainda falam em crise e desemprego...

terça-feira, dezembro 29, 2009

Qual o facto regional do ano?!


Porque Dezembro é o mês para usar dois pares de meias (de preferência de Ligas), qual na opinião do perverso leitor, o facto mais relevante do ano que agora se enterra, numa perspectiva local?!

O ano que finda...

Mais que uma vez escrevi um texto intimista no final do ano. Uma espécie de expiação, um trecho lamechas, profundamente pessoal, quer nas linhas, sobretudo nas entrelinhas! Não o vou fazer: não me apetece desnudar perante as 1000 pessoas que diariamente perdem tempo a ler as parvoíces que aqui vomito! Até porque provavelmente iria repetir o que antes aqui escrevi e me esqueci de ler! Digo apenas que há anos que rebentam connosco, que nos arrumam: e 2009 foi um ano que se esforçou bastante...

segunda-feira, dezembro 28, 2009

O não fim de ano em Beja

Já se falou algumas vezes no tema em comentários e eu próprio fiz uma provocação sobre o tema, pelo que não é surpresa para quem tem paciência para me ler, o facto de não existir em Beja fim de ano! O que é uma pena, porque este ano até merece acabar o mais depressa possível!
Mas vamos ser objectivos: ao contrário dos últimos três anos a CMBeja não vai organizar nenhum evento para "comemorar" esta coisa esquisita que é a passagem do ano!
Ninguém me pediu opinião - nem tinham de pedir!!! - mas se tivesse sido escutado concordava com a decisão de fazer uma não passagem de ano: quando falta dinheiro para o essencial, é tolice gastar com acessórios, sendo a premissa verdadeira para a economia doméstica, municipal e nacional!
Mas claro que a situação não deverá repetir-se: seria um absurdo que no próximo ano uma cidade que aspira ser capital não tenha uma festividade para abraçar o novo ano!
Fui crítico do que se fez no passado e voltarei a ser caso se repita a mesma fórmula! Reconheço que há coerência no que se fez, mas não foi nem será o meu caminho, fazer uma festa num pavilhão multiusos - que não tem condições para receber eventos nas noites de Inverno! -, convidando um artista tipo pimba - apesar de não ter esse tipo de preconceitos - regado por um jantar e um fogo de artifício mediano (nos anos em que não deu barraca)! Este foi um evento vocacionado para quem não tem condições para sair da cidade, mormente os mais velhos, procurando oferecer animação àqueles que têm mais dificuldades em suportar economicamente outro tipo de eventos! É uma opção defensável e respeitável, para quem tem determinada visão sobre a cidade!
Pessoalmente sonho com um evento diferente - opção igualmente criticável e que, como a anterior, terá virtudes e defeitos! Se fosse convidado a opinar sobre um evento para a passagem do ano, iria defender uma Grande Feira de Inverno, realizada na Praça da República - o local é susceptível de controvérsia, mas eu arriscaria - realizada numa tenda gigante que deveria ocupar a totalidade da Praça (ou quase, dependendo dos custos) a iniciar a 1 de Dezembro, terminando com um concerto de ano novo, com palco preferencialmente no átrio da Igreja! Na feira de Inverno, ao lado de comes e bebes, o artesanato regional devia ser rei, sendo que uma feira do livro deveria ser uma princesinha do local! O que se pretende?! Um evento que não tenha como destinatários apenas os bejenses, mas uma feira que consiga trazer à cidade pessoas de fora, que seja um incentivo para evocar a centralidade da cidade! O primeiro ano seria uma desgraça?! Admito que sim! Mas o balanço deveria ser feito nos anos seguintes...

Porque hoje é dia 28...



É giro que há imagens que o tempo não apaga nem esbate. E recordo-me perfeitamente deste mesmo dia há onze anos atrás! Esta frio e chuva! Um daqueles dias cabrões de Dezembro, que apenas convidam à pacatez do sofá e do lume! Mas imperativos de força melhor chamaram-me ao Hospital, onde um irmão nervoso fumava nas escadas! (e não apenas ele...). Era fim da tarde, quase de noite, se a memória não me faz mentir! Recordo-me entrar escondido e ver o meu pequeno grande príncipe, terrivelmente belo, com minutos de vida, de olhos bem aberto numa estranha estufa, sozinho, de olhar cinzento, forte, penetrante, arrebatador! Vi algumas coisas feias e felizmente algumas belas, mas nunca um olhar me marcou tanto como aquele. E só não falo deste olhar com saudades que outros olhares iguais se juntaram aquele, preenchendo um vazio, da forma plena que só vocês três conseguem! Parabéns, meu príncipe, meu paspalhinho!

domingo, dezembro 27, 2009

Aeroporto da Portela cheio de Natal... (Com Adenda)

O vídeo anda por aí e vale realmente a pena ver! Se eu tivesse inteligência suficiente colocava aqui o dito cujo, assim, resta-me deixar o link! E como ainda estou com espírito de Pai Natal, nem vou comentar a morena que aparece quase no fim, com um deslumbrante par de pernas! Só por isso vale a pena ver, todinho, todo até ao fim...

Adenda: Obrigado Nicole! Por provar que eu sou realmente burro!!!

Tenho estado a ver a RTP...

... e gosto realmente do novo programa da Catarina Furtado, Dança comigo no grelo!

sábado, dezembro 26, 2009

Porque ainda não perdi a esperança...

... de que alguém com inteligência um dia frequente este blogue, deixo no ar uma inquietação aqui do pobre "rapaz"! A coisa passa-se assim: não era suposto os pássaros no Inverno irem para a p*** que os pariu, em vez de ficarem feitos parvos nas árvores em frente ao meu palácio a defecarem-me o carro todo?! Admito que possa estar enganada, porquanto acontece amiúde, mas normalmente os filhos da mãe dos ditos não bazavam nesta época?! Ainda mais com este frio do pénis?! É que não há uma meretriz de uma folha, mas a pega da árvore está cheia de uns pássaros estranhos e proficuamente cagalosos! É que um gajo tem um carro preto, sendo que bastam 10 minutos, que fica cheio de diarreia branca, que custa mais a sair que aqueles perfumes baratos que se entranham! Em suma; estou indignado e curioso: alguém sabe se algo de estranho se passa com os pássaros, tipo aquecimento global ou a vitória do PS?!

Planos para o próximo Natal...

... para desmentir quem diz que me falta empreendedorismo e sou pouco ambicioso! Para o próximo Noel, no dia 25, vou montar uma barraquinha de venda de pilhas junto ao Modelo! Vai ser perfeito: não apenas os clientes vão matar saudades do Modelo e podem comprar as pilhas para os brinquedos parvos do miúdos! E claro que as leitoras podem passar por lá e fingem que as pilhas que vão comprar são para os brinquedos dos primos e sobrinhos e não para aquilo das massagens...

sexta-feira, dezembro 25, 2009

Andam mesmo taradas as gajas...

É uma vergonha! Andam tão doidas as gajas que se atiram para cima de qualquer homem bom que anda a passear, seja onde for!

Foi o meu post de Natal há 3 anos...

... e é cada dia mais actual. Agora a sério e sem fotos parvas, tenha um bom natal e essas coisas todas!

Porque perguntar não devia ofender...

... e não sendo ser demasiado curioso, mas sendo-o, pergunto-lhe: não tem vergonha de estar na net a espreitar blogues de gosto duvidoso em vez de estar a trabalhar para o colesterol e a beber umas coisitas para a ressaca?!
Eu se tivesse agora na net, tinha vergonha...

quinta-feira, dezembro 24, 2009

Vá, suas devassas...

... depois venham lá queixar-se e dizer que o tio h não sabe o que vocês gostavam na vossa consoada!

Quem é que consegue resistir a este espírito de Natal?!

E devidamente inspirado desejo a todos os leitores e leitoras umas boas festas, no corpinho todo! A tempo: não é por mal e sei que é indelicado, mas este ano estou sem paciência para agradecer mails e sms (gosto especialmente das que não vêm assinadas)! Mas... para quem gosta, desejo sinceramente um excepcional Natal, carregadinho de coisas boas (tipo as da foto!)

Crónica Rádio Pax, sobre excessos, vícios e algo mais importante...

A época de natal e a consequente passagem de ano, são épocas de todos e muitos excessos, alguns mais saudáveis que outros!
Nunca escondi que não acho especial piada a esta época: não por traumas natalícios ou recalcamentos festivos, mas porque me irritam aqueles dias em que somos obrigados a estar felizes e bem-dispostos: especialmente a passagem de ano, mais que uma noite de gritar e pular, sempre me pareceu o adequado momento para introspecção, para fazer uma espécie de balanço sobre um momento temporal das nossas vidas! Mas felizmente nem todos são como eu e reconheço a todos e a cada um o direito de usarem estes dias para comungar com os seus e gritar felicidade ou, pelo menos, para durante umas horas, esquecerem as diabruras de um ano que foi terrivelmente “madrasto” para a esmagadora maioria das pessoas, com medos, incertezas, com a preocupação de um futuro próximo que não augura nada de especialmente bom!
Até porque gosto de vícios e excessos! Bem sei que é politicamente incorrecto gabar vícios e excessos, mas arrepia-me esta visão da vida higienicamente correcta, esta veneração pelos corpos que chamam danone, o culto de uma vida integralmente saudável, sem os pequenos pecados que dão sabor à existência!
Irrita-me profundamente o facto de ser viciado em cigarros: fico possesso comigo próprio quando em noites gélidas de Inverno forço-me a sair de casa para ir a um qualquer sítio comprar tabaco, porque o vício é mais forte que o calor da minha sala e os neurónios congelaram ao ponto de não me recordar de ter escondido em casa reservas de cigarros! De quando em quando pondero abandonar os cigarros! Recordo com tímida nostalgia os três meses em que estive sem fumar, quando conseguia subir escadas sem esforço e correr vários minutos!
Não sou completamente tonto: sou o primeiro a reconhecer que fumar é provavelmente a segunda coisa mais estúpida do mundo! Mas não me apetece viver sem vícios, não acho piada a viver sem cometer erros, até porque a nossa maior virtude são os nossos defeitos, porque são estes e não aquelas que nos tornam seres absolutamente únicos e irrepetíveis!
Mas o culto da asneira e do disparate, não deve confundir-se com a evocação da insanidade, com a defesa de uma vida de irresponsáveis absurdos!
Da mesma maneira que sou acérrimo defensor do Direito ao Disparate, sou intransigente a combater aquilo que chamo as grandes asneiras da vida, aqueles trágicos momentos que irremediavelmente nos mudam para sempre, mormente, os crimes rodoviários que aumentam nesta época que dizem ser de esperança e de paz!
No ano passado, entre outras coisas, perdi uma aluna, Cleide de seu nome, num absurdo acidente rodoviário. A Cleide não é apenas mais um número numa triste estatística, mas uma jovem inteligente e cheia de vida, com família e amigos, com um futuro que seria brilhante, uma pessoa, não apenas mais um mero número, que perdeu a vida num estúpido acidente que, como quase todos os outros, podia ter sido evitado.
Não faço ideia de quais os vícios dos ouvintes nem onde nem como vão passar as suas Festas: o meu desejo é apenas que vá e regresse em segurança, preferencialmente trazendo consigo um sorriso…

quarta-feira, dezembro 23, 2009

Pulido Valente na Rádio Pax...

É a primeira grande entrevista de Pulido Valente desde que tomou posse. Esta tarde pouco depois das 18h na Rádio Pax! Claro que a data escolhida e aceite merecia umas piadinhas giras, mas como estou com espírito de Natal não vou tecer mais comentários...

Havia mesmo tanta coisa...

... que se podia dizer sobre isto! Mas não vou dizer absolutamente nada, por respeito pelas decisões individuais!

Acima de tudo a segurança!

Pelo que efusivamente se saúda a jovem na moto, pelo bom senso e responsabilidade de não se esquecer de meter o capacete!

Adenda: A foto comoveu-me tanto, que até meti uma musiquinha de Noel!

Porque é que será que ninguém falou nisto...

O Jornal “i”, na sua edição do dia 11 de Dezembro, apresentou um estudo sobre a empregabilidade dos cursos de Ensino Superior em Portugal. Sendo o IPBeja apresentado como uma das insituições de Ensino Superior com uma maior taxa de empregabilidade, e atendendo às fontes que estiveram na base do estudo (IEFP‐ Instituto de Emprego e Formação Profissional e GPEARI – Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais), a Presidência do IPBeja considerou os resultados apresentados bastante bons para o Instituto. Segundo os dados publicados, apenas 3% dos licenciados formados pelo IPBeja, entre 2005 e 2008, se encontram inscritos no IEFP, neste momento.
O facto do IPBeja estar entre as 5 instituições com a mais baixa taxa de desemprego no período em análise, poderá resultar, entre outros factores, da aposta em planos de estudos com estágios curriculares/integrados na Licenciatura. Estes estágios, associados a um acompanhamento próximo e individualizado dos alunos, potenciam a empregabilidade dos diplomados do IPBeja.

terça-feira, dezembro 22, 2009

Não estou 100% seguro...

... mas estou convencido que almocei tanto tanto, que de certeza que é pecado! Mas sabe tão bem pecar assim...

Já o afirmei publicamente algumas vezes...

... mas nunca o escrevi no blogue. A polémica anda por aí, mas mantenho o que afirmei no passado: para mim a denominação certa era Aeroporto do Alentejo! (a tempo: gostei de ver que a decisão foi aprovada por unanimidade!)

Adenda: Sobre as história do elefanta branco com propaganda em comentários e determinado blog, recordo o que antes escrevi sobre o mesmo!

Para acalmar as leitoras...

... que ficaram nervosas com a discriminação, ofereço-vos o Grande Zézé! Quando ele estiver no ponto, juntem-lhe bacon e alho, que gosto deles assim!

O Bispo do Concelho...

.. é o convidado do conselho desta tarde, como sempre, alguns minutos depois das 18h na Rádio Pax!
Como é consabido sou terrivelmente agnóstico e ainda por cima daqueles a quem o Natal aborrece: mas gosto bastante do Bispo de Beja e será outra vez um prazer conversar com ele. E mais uma vez sobre esta época maravilha que é o Natal.

segunda-feira, dezembro 21, 2009

Aqui ainda se fala...

... das dívidas e dos estagiários que afinal não foram suspensos por quem se dizia que os tinha suspenso!

Dizem por aí...

... que começa hoje o Inverno. Mas.. ando distraído ou o gajo já chegou há uns dias?! Pelo sim, pelo não, ofereço algo quente aos leitores para não andarem cheios de frio...

domingo, dezembro 20, 2009

Até os fornicamos... ou vice versa...

Hoje é dia de jogo do ano! "prá i" o quarto do jogo do ano do corrente ano! Confesso que não me sinto especialmente optimista, mas neste jogos vale tudo! Até mesmo uma fotografia da Raquel Loureiro, que está bem diferente. Por acaso a foto era para ter sido esta, mas faltou-me a coragem e por ser quase Natal podia ser impróprio colocar aqui a gruta do presépio!

Mas.. sobre o jogo: tem palpites ou prefere esperar que o Porto ganhe para me vir gozar depois?

quinta-feira, dezembro 17, 2009

Estou todo parvo...

... ou houve agora um tremor de terra?!!

PS - Agora a sério! As minhas desculpas: faz-me mal comer feijoada ao jantar! Saiu-me! Peço desculpa e prometo não repetir...

Um Natal entre Viagra e Prozac

Alguns dias de reflexão, levaram-me a não fazer isto! A ideia não era completamente parva, podiam resultar coisas giras, eu próprio seria um dos sacrificados, mas ainda há demasiado ressabiamento para que se possa brincar com algumas coisas! Como sabem este é um blogue sem comentários moderados, onde se aceita a diferença, mas não vou contribuir para que a caixa de comentários seja vomitódro de frustrações e dor de chifres!
Acredito que para o ano as coisas estejam mais calmas e possa fazer isto, mas, depois de ler alguns comentários e ponderando os nomes que tinha em mente, tive o mais que fundado receio de o resultado ser um desfilar de mesquinhez e ódios!

Dizem que é uma espécie de festa de natal

Aquilo deve ser uma pouca vergonha... mas apareça e divirta-se!

quarta-feira, dezembro 16, 2009

Não percebo porque é que há gajos...


... a criticar o grupo parlamentar do partido socialista! Porque se quisermos ser objectivos temos de reconhecer que há coisas boas no PS, que há um par de compromissos generosos que devem merecer o nosso respeito e admiração!

(foto roubada aos Senhores da Armada)

Claro que há coisas mais divertidas para fazer...

... tipo soltar gases, mas pode ouvir aqui (ainda não) o último Conselho de Opinião que foi...rasgadinho! O tema central eram as jornadas paralamentar do PS, mas rapidamente se começou a falar de coisas interessantes: o aeroporto e o seu parto nove meses adiado e um olhar sobre o futuro de agricultura no Alentejo. Pelo meio, um elogio meu aos Verdes Melancia relacionado com a sua campanha "compre o que é português" naquilo que poderá ser entendido como a minha aproximação à CDU!

terça-feira, dezembro 15, 2009

Coisas assim um bocado parvas...mas o tico está congelado e o teco cheio de frio...

Hoje está um frio do ... pénis! De manhã o carro estava gelado e resolvi inovar. Os bancos do dito cujo tem uma espécie de aquecedor incorporado que serve para aquecer o rabinho quando um gajo tem aquelas necessidades de ficar todo nu no carro, servindo ainda de motivação para a pendura tirar a roupinha! Hoje quis inovar e liguei aquilo logo pela manhã e cheguei à escola com o cuzinho aquecido: e devo concluir que ser gay ou gaja moderna não é assim tão desagradável!
Pelo caminho ouvi uma magnífica crónica do Nuno Mark sobre um ícone literário da minha geração: a revista Gina! Absolutamente excepcional, de deixar de sorriso nos lábios um trombudo ensonado!
O espelho tinha-me avisado que hoje estava feio! Mas com este frio glaciar só me interessa andar quentinho e terminar de arrumar uma tretas, para ficar livre da prisão de Bolonha!
Outra coisa que queria partilhar com os leitores, de certeza algo magnífico e inspirado, esqueci-me completamente do que era, embora tenha a certeza quase certa que eram mesmo 4 coisas e depois de escrever isto estou realmente convicto que a única que valia a pena falar era aquela que me esqueci! Agora vá trabalhar e deixe de perder tempo a ler parvoices, que não é para isso que o seu patrão lhe paga!

Estou assim tipo para o indignado!!!

Antes de gritar a minha espécie de quase indignação, deixem-me explicar para os leitores como funciona o blogue do lado de cá!
Raramente entro no blogue! Vou ao meu perfil onde escrevo os textos maravilhas, depois procuro na net fotos badalhocas e "posto" (do verbo postar"!!!). Em relação aos comentários e porque neste blogue não há filtros, os mesmos quando são colocados no blogue, chegam-me por mail, onde os leio! (e quase sempre leio!). Quando me apetece responder - que como sabem não é sempre - é que necessito de entrar no blogue, tendo aí um comportamento similar a um qualquer leitor!
E pergunta-me o leitor: o que é que nós temos com isso?! Porque me obrigas a perder tempo a ler esta porcaria?! Acrescenta algo?!
Claro que não, mas apeteceu-me! Da mesmo forma que um tipo lhe mexe nas mamocas antes de ir ao que realmente interessa que é procriar, também este post precisava de preliminares para a escrita escorregar melhor!
Porque a minha quase indignação é esta: por uma qualquer estranha razão (provavelmente óbvio, mas estranha para o tonto que vos escreve) o estupor do Gmail manda directamente para a caixa de spam tudo o que escrevo no blogue! O que quase me indigna e quase me irrita: claro que tenho consciência que escrevo muita merda (era para ter escrito trampa... mas...), mas.. lá por eu escrever muita trampa, acho mal que o meu mail qualifique como lixo tudo aquilo que escrevo no meu blogue! E, para provar a minha indignação, decidi não fazer nada para evitar isso! Para o Gmail aprender a não gozar comigo!!!

domingo, dezembro 13, 2009

A 6ª temporada...

... do House está fabulosa!

O clube!

Nesta cidade, onde quase tudo é pequeno e, portanto, a mesquinhez é grande, onde abundam pecadores e escasseiam puritanos, onde se preparam e tirocinam políticos que hão-de conduzir o povo ao paraíso terrestre, donde desapareceram investidores e restam alguns audazes, onde não se escuta a voz autorizada e se segue o pensamento de velhos senadores cá do burgo e que, por enquanto e felizmente, não existe resquícios de corruptos ou corruptores.

É nesta cidade e com esta santa paz, que numa rua velhinha e estreitinha, mesmo em frente a um lar de velhotes e com o compromisso de não perturbar o merecido descanso dos utentes, abriu um espaço que dantes era um armazém de mercearias e a que deram um nome que parece não corresponder ao tamanho de que dispõe. Clube de convívio, no sentido de conjugar o habitual petisco da tarde – para isso dispõe de mobiliário adequado – com o prolongamento para a noite, que nesta terra muitos gostam de fazer, embora se queixem no dia seguinte.

Com uma decoração não abundante quanto simples, as cores suportadas pelo preto e branco que associadas a uns holofotes estrategicamente colocados permitem um jogo de luzes que esbatidas nas altas abóbodas irradicam, de imediato, a mínima sensação de claustrofobia. Feliz a ideia de pôr a descoberto a tijoleira das abóbodas. Não fora a nudez do local onde assentaria bem um vitral e teríamos a solenidade de um templo a desafiar o profano dos clientes. Música para todos os gostos, espaço amplo a permitir a privacidade de quem o desejar. Curioso o leque de bebidas que policias e guardas têm o hábito de perguntar se já ingerimos, iniciando-se no clássico copo de vinho, até ao mais sofisticado cocktail.

Recomendado para petisqueiros e noctívagos
MD Horta

sábado, dezembro 12, 2009

Por vezes perguntam-me...

... porque nunca gozo com o Sporting neste blogue! Mas a razão não é óbvia: os jogadores já não fazem isso?!
E agora perguntam-me: se nunca falas do Sporting, porque falaste hoje? Para usar esta foto, claro!!! dahh!!

Estes dois dias...

... fizeram-me recordar a razão das escolhas profissionais que fiz!

sexta-feira, dezembro 11, 2009

E este fim-de-semana...

... o melhor que se arranja para fazer é passar os dias nas compras de Natal?

Para que não digam que não tenho espírito de Natal!

Querido Pai Natal
Chamo-me André e tenho 6 anos. Neste Natal eu queria um presente muito especial. Eu queria que em todo o mundo houvesse Paz e Amor, mas sei bem que isso é impossível de realizar... pelo menos aqui no meu prédio.Sempre que a vizinha do 5.º Dto. faz amor, não há paz na vizinhança. Principalmente quando o marido sai em viagem de negócios. Nesses dias, se calhar a televisão dela fica avariada, porque está sempre a passar aquele anúncio do shampoo Herbal Essences. "Ò ... sim, sim ... siiiim".Bem! Como a Paz e o Amor estão riscados da lista, vou ter que optar pelos bens materiais, coisa que eu não queria nada ... Para começar, eu queria que este ano a minha prenda de Natal fosse um brinquedo muito divertido que vi na televisão. Não, não é nenhuma daquelas mariquices dos Action Man, Homem Aranha ou tartarugas Ninja. O que eu queria mesmo era uma coisa que vi ontem no Telejornal!Pai Natal, eu queria muito que me trouxesses um brinquedo que se chama RPG 7, que é um lança-granadas igualzinho aqueles que os terroristas usam para rebentar com os americanos no Iraque. Mas preciso muito que me entregues o brinquedo já este fim-de-semana para eu fazer uma surpresa aos meus coleguinhas lá da escola. Eles vão estar todos numa festa de Natal, em casa Henrique, que é filho de um grande empresário têxtil, que não paga salários há 3 meses, contrata Matador para dar porrada nos sindicalistas e tem uma amante no prédio onde mora a minha avó. Todos os coleguinhas da minha sala foram convidados para a festa menos eu, porque o Henrique diz que o meu pai é teso e as minhas roupas parece que foram compradas na Feira de Carcavelos, em segunda mão, aos ciganos.Eu sei que desfazer os coleguinhas da 1.ª classe com tiros de bazuca não é uma coisa muito bonita. Mas no ano passado fartei-me de fazer boas acções e a prenda que me trouxeste foi a porcaria de um carro telecomandado comprado aos marroquinos, que se avariou logo no primeiro dia. Bem, pelo menos sempre deu para aproveitar as pilhas para o vibrador da minha mãe!E por falar na minha mãe, neste Natal queria que ela tivesse uma prenda muito bonita ... pelo que percebi, ela precisa muito de uma padaria mesmo aqui à porta do prédio, porque há mais de um mês que não vê o padeiro ... pelo menos foi isso que ela contou no outro dia, quando estava ao telemóvel com um amiguinho que se chama Roberto. Realmente, a minha mãe deve ter muita fome, porque depois começou a dizer ao amiguinho que lhe vai morder o cacete e, a seguir, vai pôs-lo a aquecer na fornalha dela até ele ficar grande ... o que acho esquisito, porque eu aprendi na escola que, sem fermento o cacete não cresce!Quanto ao meu pai, a prenda dele é uma daquelas máquinas que vendem tabaco nos cafés ... é para ter cá em casa porque sempre que o meu pai sai à noite para comprar tabaco só volta no dia seguinte.Quando chega a casa diz que correu os cafés todos da zona e só conseguiu encontrar a marca de cigarros que ele fuma em Bragança, na boite A Bruxa. É engraçado! A minha mãe diz que ele vai a Bragança à procura da brasileira, mas que eu saiba isso não é uma marca de cigarros ... é uma marca de café! Depois a minha mãe começa a falar em marcas de baton na camisa e aí é que eu fico sem perceber nada! Olha, mas se não arranjares a máquina, tenta ao menos passar pelo Ribatejo e trazer um par de cornos. Pelo menos a minha mãe está sempre a dizer que era disso que ele precisava.Para o meu irmão queria uma coisa mais simples. Basta trazeres umas roupas modernas, dessas que os adolescentes usam. Pelo que percebi, ele não deve gostar nada das roupas que os meus pais lhe compram, porque todas as noites, quando sai com os amigos, leva os vestidos da minha mãe.Diz o meu tio Zé que até dá pena ver o meu mano ali na zona do Parque Eduardo VII, com as pernas ao frio e com aquelas botas altas tão desconfortáveis. Deve-lhe doer muito os pés porque leva a noite inteira a pedir boleia aos carros que passam ...E pronto, acho que já está tudo! Agora vê lá, não te esqueças de nada, se não sou bem capaz de fazer um telefonema anónimo a uma certa jornalista do Expresso a contar um episódio engraçado que me aconteceu no ano passado, quando te fui visitar ali a um Shopping Momental, no Saldanha.Ela vai gostar muito de saber que, quando eu estava no teu colo, aproveitaste para me apalpar o rabo e convidares-me para brincar aos trenós e aos comboinhos na tua casa, em Elvas!É claro que ambos sabemos que isso não foi verdade! O que aconteceu realmente foi que te apanhei a fumar droga e a veres revistas pornográficas na casa de banho, mas sabes como é a memória das crianças ... vemos muitos desenhos animados e, por isso, estamos sempre a confundir as coisas. E convenhamos que o nome "Bibi da Lapónia" te assenta como uma luva.Por isso, ou me trazes as prendas todas que te pedi ou é bom que comeces a procurar um bom advogado. E não te esqueças de comprar muitas embalagens de gel de banho. É que ali na prisão de Custóias dizem que é perigoso tomar duche com sabonete ... quando ele cai ao chão se te baixares para o apanhar corres o risco de ... ui ...Pelo menos é garantido que vais ter um Bom Natal e um Feliz Ânus Novo!
Beijinhos,
Andrézinho
(recebido por mail)

quinta-feira, dezembro 10, 2009

A importância de determinar...

Maria José Nogueira Pinto (sabem o que quer dizer pinto em "brasileiro") chamou palhaço a um deputado! Felizmente disse o nome dele! Porque se não tivesse dito qual deles era, 229 deputados ficavam indecisos...

Dizem que é uma espécie de crónica de natal...

Não tem especial interesse para o ouvinte da Rádio Pax, mas inauguro esta crónica com uma confidência: estas palavras são sempre escritas nas tardes de terça-feira e gravadas imediatamente antes ou depois do programa Conselho de Opinião. Dizem-me que a inspiração nos deve apanhar desprevenidos e apenas escrever quando nos sentirmos iluminados: mas a retórica apenas é bonita quando não comparada na prática e a experiência ensina que quem tem uma vida ocupada, precisa de ser rigoroso na gestão do seu tempo!
Quando acordei na manha de quarta, sem que a crónica estivesse feita, tinha resolvido não a fazer e ligar a meio da tarde para o António Lúcio informando-o desse facto. Mas pesou-me a consciência por faltar a um compromisso, pelo que decidi escrever sobre simples e óbvio, uma qualquer trivialidade. E porque vos falo em meados de Dezembro, pareceu-me que o mais indicado seriam umas banalidades sobre o Natal. O que sejamos honestos, é algo que não fica bem a este que vos fala, porquanto assumidamente não conseguiu achar graça a esta época do ano. Não que tenha traumas de Natal ou fique deprimido a pensar na virgem que teve o menino: apenas me irritam os dias de festa, aqueles que por obra e graça de um reles calendário sentimos a obrigação de estar felizes e bem dispostos!
Tento não ser cínico, mas não consigo entender esta coisa dos presentes de Natal. Até entendo que se reúna a família e se coma bacalhau, não tenho preconceitos contra os doces da época, mas por mais que me esforce, não entendo esta coisa dos presentes! E não pense que se trata de ser forreta, até porque, acabo por chegar a meio do mês e oferecer algumas cosias aos que mais amo! Mas ir um dia com os sobrinhos às compras e gastar um disparate de dinheiro para enche-los de coisas desnecessárias, faz de mim um tio mais carinhoso, a prova não provada de que os amo mais que muito?! Serei um melhor ser humano por comprar por atacado meia dúzia de livros e distribui-los pela família?
Até admito que possa existir esse estranho conceito do espírito de natal: que por estes dias, tenhamos a capacidade de roubar uns minutos ao nosso egoísmo e pensar nos outros, especialmente naqueles que não tem a sorte e a fortuna de os meios indispensáveis de subsistência, aqueles a quem as tempestades da vida roubaram a capacidade de sorrir! Mas não me venham com a treta dos presentes de natal, com a esfarrapada desculpa de que oferecer um presente comprova que se pensou na pessoa!
Porque se há espírito de natal, este não pode traduzir-se no acto egoísta de oferecer uma coisa qualquer para tranquilizar a nossa consciência, para cumprir pseudo valores sociais: se quer dar uma prenda de natal, ofereça o seu tempo, tire o relógio do pulso e ofereço uns minutos da sua semana aos outros, especialmente aqueles que sofrem da mais cruel doença do século XXI: a solidão! E se acredita mesmo no espírito natalício procure não esquecer que mesmo nesta sociedade egoísta e consumista, as cosias mais importantes na vida, continuam a não ter preço!

quarta-feira, dezembro 09, 2009

Intimos e Pessoal

Neste momento há 2 ou 3 pessoas que devem estar a comemorar com champanhe (ou no caso concreto, com espumante, porque não percebem a diferença)! Mas a vida dá voltas! E nunca se sabe se um dia não se vão engasgar com a rolha que agora abriram para comemorar!

Não quero ser sexista...

Um Natal entre Viagra e Prozac...

Para calar as vozes reaccionárias que dizem que aqui o rapaz acho o Natal uma parvoíce e enjoativo, o Viagra e Prozac prepara-se para comemorar o nascimento do puto! Após conferenciar com o Tico e escutar a douta opinião do Teco, resolvi assinalar aquilo que é realmente importante no Natal: os presentes!
A ideia é simples: dez dias, dez personalidades da região, dez presentes. A partir de um destes dias, vou pedir ao leitor que escolha um presente de natal, para cada uma das dez pessoas da nossa região, que eu e os leitores entendam que merecem uma prendinha de natal! Que pode ser uma prenda viagra ou uma prenda prozac!
O drama é que ainda não escolhi as dez pessoas! Porque já ando a pensar nisto há quase 4 minutos e ainda me faltam algumas para chegar ao dez. Quer ajudar, sugerindo os nomes da região que vão receber prendas virtuais? (ou seja, não recebem porra nenhum, apenas uns comentários no blogue?)
Percebido?!

(para comemorar a coisa, até meti musica heterossexual de natal!)

terça-feira, dezembro 08, 2009

Dezembro na Galeria...


É por Dezembros assim, que escrevi isto!

Coloque as suas filhas na ginástica...

Faça com que as suas crianças cresçam saudáveis, para que daqui a uns anos sejam gajas boas e os meus sobrinhos tenham miúdas todas giras para puderem comer! Caso eu tenha percebido mal e estas aulas não sejam para crianças, deixe os putos em casa com o marido e vá para o fitness para ficar toda boa e arranjar um gajo melhor do que o embrulho que tem em casa!

segunda-feira, dezembro 07, 2009

Hoje é dia...

... de andarem todas molhadas! Chove em Beja...

Escola Segura...

Neste blogue já se criticou e elogiou a PSP! Mais que uma vez! E voltarei a fazê-lo sempre que se justificar! Ainda que há uns tempos atrás tenha incomodado algumas pessoas!
Hoje quero falar de um excepcional projecto chamado Escola Segura. Uma excelente iniciativa, daquelas que tem por detrás um ideólogo e não um idiota! Uma palavra de elogio que se estende aos agentes que diariamente exercem a sua função junto das escolas, permitindo que sejam mais seguras, que sejam um ambiente saudável onde se possa aprender! Porque a sua presença é um tranquilizante para os pais um analgésico para eventuais problemas! (notou-se que estou a escrever estas linhas com dor de cabeça?)!
Mas permitam-me apenas uma nota: se uma escola tem duas portas, se ambas são usadas para os pirralhos entrarem e saírem, seria conveniente que ambas fossem controladas! Para que não se estrague numa o que se protege na outra! Pensem nisso!

domingo, dezembro 06, 2009

Mais uma goleada..

... porque este ano o Benfica cumpre aquilo que promete! A Académica não jogou mal mas o Cardoso tirou três!

Coisas de sábado à noite...

Num sábado à noite gélido, beber um copo pode ou não ser uma boa opção! Depende da ponderação que se faça e de algumas regras que se devem ou não seguir!
Por exemplo: imagine que tem o ego arrumado e apetece-lhe algo bom! Se o que pretende são olhares femininos, se deseja que as mulheres olhem para si, o melhor a fazer é situar-se junto a um espelho! Por exemplo, vejamos o caso do bar do Pirra! Se um gajo ficar ao lado do espelho enorme, irá constatar que noventa por cento dos olhares femininos estão na sua direcção! É mesmo caso para dizer, sei lá!
Mais complicado é se o bar que gosta de ir fica situado mesmo mesmo ao lado de um bar de meretrizes e o porteiro do dito é alguém que conheces há muitos anos de outros locais: acredite que pode ser embaraçoso passar em frente e receber uma enorme saudação!
Claro que havia outras coisas interessantes para dizer! Mas agora não me apetece... Limito-me a convidar os leitores a estarem presente no aniversário do Sei Lá, esta quinta à noite! (joão, adivinha quem vai pagar o meu cartão!)

Eu gosto muito...

... de pessoas generosas! E aplaudo e estou solidário com esta iniciativa! Mas fico com uma dúvida quase existencial! Se uma prostiputa não cobra pelo sexo, podemos chamar-lhe prostituta?!

sábado, dezembro 05, 2009

A razão deve ser muito óbvia...

... mas desconheço a resposta: alguém me sabe informar porque razão há tanta mota em Beja hoje?

Folhado de salmão em cama de espinafres...

Para confeccionar este prato é crucial comprar um salmão inteiro, obrigatoriamente do Oceano Atlântico ( e este pormenor é crucial, porquanto o salmão do Oceano Pacífico morre após a reprodução), com peso que deve variar entre um e muitos quilos! O salmão deve ser deixado a apurar durante 24h a 36h, em cama de sal, com limão, pimenta e especiarias diversas!
Posteriormente o salmão deve ser despido, usando uma faca afiada, de poucos centimetros, retirando a pele, sempre da esquerda para a direita, de baixo para cima, deixando a cabeça incólume! Posteriormente corta-se a cabeça e coloca-se de lado!
Corte o salmão em gulosas fatias, com cerca de 3 centímetros de espessura e cerca de uns quantos de comprimento, colocar numa tábua de madeira, com sal e limão, a gosto!
O folhado deverá ser impreterivelmente feito com massa fresca que deve ser feita com doze horas de antecedência estendida e exposta a uma temperatura nunca superior a 20º e jamais inferior a 5º.
Para fazer a cama de espinafres, aconselho espinafres frescos, comprados no Mercado Municipal, na quarta ou na sétima das bancas de legumes, situadas no piso térreo, ao lado esquerda de quem entra ou direito de quem saí, caso seja pela primeira porta! Lave muito bem os espinafres, utilizando fairy e prepare-os numa panela de alumínio, mexendo paulatinamente com colher de pau!
Quando os espinafres estiverem prontos, faça a cama na massa folhada, deixando repousar trinta minutos: coloque o salmão por cima, rectifique os temperos e depois de deixar respirar, coloque a massa por cima, fechando o salmão, fazendo ligeiros cortes na diagonal e coloque no forno. Muito importante: o forno deve estar quente, com uma temperatura próxima dos 250 graus! Acompanhe com uma salada verde, com maça!
Outra possibilidade é deixar de ser parvo, ir ao Pingo Doce e comprar o folhado de salmão congelado, por no forno e servir em lingerie e dizer que foi a leitora a fazer! Perceba uma coisa: se tem de seguir os meus conselhos para fazer o jantar, acredite que o seu namorado/marido reconhece em si outras qualidades!!!

sexta-feira, dezembro 04, 2009

Deixem-se de merdas....

Vamos ser claros e deixar-nos de eufemismos: quem mente é mentiroso! A CMBeja diz que á dívida é de 39,4 milhões de euros, especificando a mesma e apresentando documentos contabilísticos! A vereação CDU diz que a dívida "ronda" os 23/24 milhões! (esta é a fonte!).
Entre um valor e outro a diferença é assustadora! Não vou dizer qual a minha opinião, mas todos sabem em quem acredito!
Eu e todos os Munícipes temos o direito de saber a verdade! Porque estamos fartos de irresponsabilidade e de tolices!

Quem mexeu no meu queijo

Um dos livros que gosto de ter na mesa-de-cabeceira, chama-se Quem mexeu no meu queijo, Spencer Johnson escrito por um psicólogo americano.
É um livro que gosto de recomendar. Aliás, se tivesse responsabilidades de chefia, se fosse chamado a liderar um organismo, seja público ou privado, presumo que fosse a minha prenda de Natal para todos os funcionários!
Para quem conhece esta obra-prima, um livrinho com poucas dezenas de páginas, estamos perante uma alegoria que retrata a postura de cada um perante a vida, a procura dos nossos objectivos e sonhos, uma história que fala sobre as dificuldades e a mudança, que procura retratar a forma como nos relacionamos com as adversidades da vida!
O livro é uma parábola sobre a vida, na qual dois ratinhos, Sniff e Scurry, e dois "homenzinhos", Hem e Haw procuram desesperadamente um queijo, sem terem a menor ideia do que pretendem fazer com o dito queijo. Mas o queijo, como quase tudo na vida é efémero e quando consumido tende a desaparecer! O que cada personagem está ou não disposta a fazer para conseguir mais queijo, a forma como cada pessoa lida com as adversidades é o grande epílogo do livro. Porque esta crónica também é um convite à leitura, dispenso-me de oferecer a minha interpretação do mesmo, porque o mais encantador na leitura é a deliciosa possibilidade de cada um de nós decidir o desenlace dos nossos livros!
O que mais me comove neste livro é a forma serena como procura aguardar o mais complexo drama humano: a mudança! Porque os seres humanos e os latinos mais do que quaisquer outros, temem e assustam-se com a mudança, num sedentarismo emocional e profissional, que não encontra justificações na racionalidade! Porque quando tudo muda na vida é um erro ficar no mesmo sítio! Porque arriscar e ousar mudar, mais do que um acto de inteligência pode ser uma necessidade de sobrevivência!
Mas mudar de rumo, pressupõe uma condição prévia: a capacidade para estabelecer um rumo, um caminho, saber o que se quer e o que não se quer, construir as bases que permitam iniciar um percurso, decidir onde se deseja ir, antes de começar a caminhar!
E é esse o papel das lideranças! Quando me questionam sobre qual o perfil que um líder deve ter, respondo invariavelmente a mesma coisa: conseguir traçar um caminho e motivar os outros a percorrerem com ele o mesmo percurso! Com a certeza certa que nenhum percurso na vida de faz sem montanhas e vales, sem dificuldades que urge ultrapassar, sem contratempos, sem os “velhos do Restelo” que com saudades da miséria falam dos grandiosos dias do passado que nunca aconteceram.
Aos líderes devemos exigir coragem! Obviamente que importa ter a capacidade de construir pontes e diálogos, a capacidade de lidar e respeitar a diferença, a simplicidade para aceitar que os outros também têm razão, a humildade de reconhecer que se erra e aceitar os contributos de outros! Mas depois de tomada uma decisão, de definir objectivos, aos líderes, aos bons líderes, exige-se a coragem para seguir nesse trilho, a sapiência para contornar obstáculos e a sobriedade para entender, sem temores nem receios, que é impossível agradar a todos, que muitas vezes o interesse colectivo não se consegue alcançar sem sacrifícios individuais!
A história não se fez nem nunca se fará de líderes fracos! De pessoas que almejam a liderança pelo simples prazer de liderar, sem destino ou objectivo, apenas sedentas das regalias dos cargos! Quem fica na história – ainda que nem sempre atempadamente reconhecidos – são os líderes que têm força e determinação, que ousam enfrentar os interesses parasitas, que conseguem colocar o interesse geral acima da comodidade de alegremente jantarem com Deus e o Diabo!
As Instituições, a cidade e o País não vivem dias felizes! E só os loucos e os hipócritas acreditam que se seguem tempos de facilidades. Mais do que nunca, dependemos da coragem de quem tem convicções e tem a ousadia de lutar por aquilo que acredita, muitas na sua solidão da incompreensão! Porque o queijo só é eterno enquanto dura! E é leviandade confiar aos ratos a partilha do queijo…