domingo, maio 31, 2009

Este era um craque a sério...

Sempre fui admirador de Rui Costa, quer pela beleza do seu futebol e muito pelo seu carácter; mas reconheço que o melhor jogador português que vi jogar (não vi Eusébio) foi, sem margem para dúvidas, Luís Figo. Um dia, se crescer muito como homem e jogador, Ronaldo pode ser um Figo!

Uma espécie de eleições que dizem que são para a Europa


















De hoje a uma semana estaremos por aqui a comentar os resultados das Eleições Europeias, que terão como vencedor a abstenção, apesar de todos os partidos irem reclamar vitória!
Arrisco dizer a uma semana do dia D, que estas eleições se vão caracterizar pelas contradições! O PS parecia ter feito uma excelente escolha quando arriscou Vital Moreira*: um conceituado Professor de Direito, comunista reformado capaz de recuperar a esquerda perdida, com prestígio nacional e independente (as lamentáveis declarações sobre o BPN, recordam-nos a sua escola...); por outro lado, Rangel parecia uma péssimo candidato, a ultima escolha depois de Passos Coelho (está em retiro espiritual?!), Marques Mendes ou Marcelo Rebelo de Sousa, O Desejado! Mas a política tem estas contradições deliciosas: o bom candidato faz lembrar as estrelas do Benfica e Paulo Rangel corre o risco de se tornar no próximo D. Sebastião laranja!
No pequenos partidos, o CDS-PP avançou com Nuno Melo, apesar de toda a gente achar que o candidato é Paulo Portas: chegará aos 8%?
BE e PCP continuam a luta pelo terceiro lugar, a célebre luta entre a verdadeira esquerda e a esquerda verdadeira! Vai ser renhida a luta: Miguel Portas está a fazer uma boa campanha, mas o meu palpite vai para o PCP, onde a máquina está a funcionar muitissimo bem: desde a candidata que se colou à manifestação dos professores ao excepcional panfleto da JCP que pede o voto na coligação alegando... o aumento das propinas na Estig...

Enfim.. a campanha faz lembrar os jogos do Benfica: depois, no próximo domingo à noite, vão perguntar-se porque é que os portugueses decidiram não ir votar...

* por uma infeliz coincidência "conheci" Vital Moreira esta semana! Cresci academicamente a ler excelentes textos dele, pelo que nutro por ele uma profunda admiração académica e intelectual: mas conhece-lo pessoalmente, foi uma enorme decepção. Faz lembrar a primeira vez que despi um wondrebra!

Porque perguntar não devia ofender...II

O Pinto da Costa é do Bloco de Esquerda?

Porque perguntar não devia ofender...

... será que a famosa professora de Espinho com queda para a sexologia, foi ontem à manifestação de professores?

Tédio num sábado à noite...

Uma ao estilo do pasteleiro cá do burgo: "quantas vezes tenho de dizer que o Guinness Book of Records é uma parvoice, para ter um Guinness World Record?!"

sábado, maio 30, 2009

Coisas de sábado...

Acho que nunca o escrevi aqui, mas apenas acordo meia hora depois de me levantar, quando a bendita cafeína começa a fazer efeito. Estranhei no trajecto para o café dos costume o trânsito matinal: só depois me recordei que era a manhã da Benção. E foi lindo ver a agitação no Parque de Feiras, com largas centenas de carros e milhares de pessoas, com direito a estrada cortada! Honestamente, nem o Tony na Ovibeja, exibiu tanta agitação (apenas comparável ao Festival da Juventude...).
Depois Expresso e sardinhas com divinal gaspacho! Haverá coisas melhor num daqueles dias que o Sol mostrou que ama o Alentejo?! Sinceramente, com este calor, nem a Soraia Chaves dá apetites para procriar!
PS - Ainda não escrevi sobre europeias. Quiçá amanhã!

Canja de Bacalhau...

O prato desta noite chama-se canja de bacalhau! Não coloquei foto, porquanto estou com humor de cão e se colocasse agora uma foto o resultado seria muito, mas muito trágico! (haja paciência para aturar imbecis!!!).
Mas... vamos falar de culinária e não da filiação das excelsas meretrizes! A proposta de hoje chama-se canja de bacalhau, basicamente porque sim! Podia chamar-lhe outra coisa, mas, sejamos honestos, podemos passar o tempo a chamar um prato, as designações que entendermos, que ele não vem sozinho nem se cozinha a si próprio! Por isso, não liguem ao nome e vamos falar da elaboração da coisa, pouco aconselhável para dias abrasivos como hoje!
Primeiro faz-se um refugado com celola e alho, pimentão caso tenha! (se não quiser chorar como uma madalena mal arrependida, corte a cebola com a mão que segura a dita, molhada!) [a mão, não a dita!!!]. Depois da cebola estar animada, junte-lhe coentros, muitos coentros e aguarda até o refugado estar cheiroso. Antes de tudo disto - e era assim que eu devia ter começado mas esqueci-me, porque estou de mau humor devido a filhos de merectrizes - deve cozer o bacalhau, uma posta generosa, acompanhado de conquilhas e dois camarões cortados às rodelas!
Bem, de regresso ao refugado, que agora já cheira bem é o momento de colocar espinafres! Seja generoso: podem encher o tacho, que os ditos mirram mais que pénis com mulher feia! Feche a panela e vá abrir a janela que está calor.
Quando voltar, percebe que os espinafres já baixaram e reforçaram o refugado: é o momento de juntar o bacalhau, depois de desfiado! Junte igualmente as conquilhas e o camarão, bem como a água. Ou seja, junte a trampa toda que esteve a cozer ao lado. Mais arroz! E não me pergunte qual: arroz é arroz e prontos!!
Deixe ao lume até o arroz estar no ponto, jogue sumo de limão e sirva com amor. Com muito amore! Porque o amor é tudo na vida! Até os filhos das meretrizes são concebidos com muito amor e 25 euros!!!

sexta-feira, maio 29, 2009

Benção das Pastas...

No ar sente-se o cheiro indesmentível das fitas: amanhã é dia de Benção e a excitação já se nota no rosto dos alunos, carregados com as pastas a abarrotar de fitas!
Pela primeira vez em vários anos, não vou estar presente. Mas apenas fisicamente. Porque ainda que ao longe e no aconchego dos lençóis, não vou deixar de lhes desejar um excepcional dia, sem dúvida, um dos mais bonitos da vida académica. Amanhã haverá sorrisos e lágrimas e o tributo aos pais, namorados, filhos, irmãos e amigos, que sem dúvida estiveram presentes no vosso percurso académico. Obviamente que se a todos desejo felicidades, o abraço é maior para todos aqueles que tive o prazer de atormentar na vossa vivência académica!
Como gosto de dizer, façam-me o especial favor de ser obscenamente felizes... de preferência com algum juízo!

Porque perguntar não devia ofender...

(Salvo erro, esta foto foi gamada a Lopes Guerreiro).

Para quando em Beja e Rua Figueira Mestre?!

Beja Capital Aeronáutica...

A minha opinião vale o que vale, mas entendo que a foi a melhor sessão da Beja Capital.
Acompanhei parte do trabalho do grupo coordenado pelo Eng. Vítor Silva, mas por questões de agenda não acompanhei o final dos trabalhos! E confesso que tive uma agradável surpresa!
Muitas vezes escrevi sobre o tema: falta estratégia para o Aeroporto, o que fazer depois das obras!
Ninguém na cidade sabe o que a actual CMBeja pensa sobre o tema: as posições do executivo cingem-se a culpar todos os governos pelos atraso nas obras, depois das obras o atraso no IP8, depois do arranque do IP8, agora o queixume da ANA! Mas.. não se conhece uma proposta, uma ideia, um pensamento estratégico para o Aeroporto! O que não surpreende: o PCP queixou-se anos do Alqueva, mas quando surgiu, nunca fizeram absolutamente nada para o seu aproveitamento. O que nem se deve condenar: é uma forma de estar na vida! Queixar para agarrar os votos dos descontentes e obstar ao desenvolvimento, porquanto sabemos que o seu eleitorado vive disso!
Das muitas ideias expostas, terá saído um caminho: o Aeroporto de Beja e o Cluster Aeronáutico do Alentejo (com pretensão aeroespacial).

100 razões para amar Beja - 76

Acho que algures no tempo, já deixei aqui escrito que do facto de estas serem as minhas 100 razões para amar Beja, resulta que o que eu considero uma razão para amar, outros sentem que é uma razão para odiar esta estranha cidade. Como seria cegueira escamotear que muitos gostariam de ler "sem razões para amar Beja"!
Há por aí quem me leia e considere que pelos textos do h conhece o Hugo ou pelo menos um pouco dele. Sempre entendi que essa era uma visão optimista! Para o blogue apenas transpira o que desejo e sou demasiado introvertido para permitir que o que tenho de intimo e pessoal apareça aqui escrito, para usar este espaço para um strip tease emocional! Especialmente desde que a autoria deste estranho e mal frequentado blogue deixou de ser um mal protegido segredo!
Servem os preliminares, que vão longos, para introduzir a razão desta noite! Porque este é um blogue quase exclusivamente nocturno, ainda que alguns textos apenas conheçam a luz durante o dia. Um blogue escrito na quietude da minha casa, com uma música baixa a fazer de banda sonora, infelizmente quase sempre com um cigarro próximo: quando o tempo o permite, de janelas abertas para deixar a noite entrar na sala, partilhar o seu cheiro, namorar as estrelas e flirtar com o vento que agita as cortinas!
O que desespera muitos, para mim é uma imensa virtude: e amo o silêncio de Beja!
Bem sei que muitos podem achar uma estranha razão: especialmente aqueles que nunca tiveram a felicidade/infelicidade de morar numa cidade grande, daquelas em que os barulhos arruinam cada momento do dia ou da noite, onde os carros fazem galhofa com as multidões e os aviões não apenas reinam no céu, como se ouvem na terra! Em Beja gozamos silêncio que nos permite ouvir os nossos pensamentos (esta parte, admito que nem sempre é positiva), conseguimos deleitar-nos a ouvir coisa nenhuma, poder olhar o céu e contemplar as estrelas ou a lua que de tão cheia nos corrompe a escuridão.
E se o que fica escrito é verdade para quem mora na cidade, torna-se ainda mais sublime quando de carro ou a pé nos deslocamos pouco mais de um quilometro para os arrabaldes de Beja e sentados de pé em qualquer lugar, contemplamos os campos que dormem, deleitando-nos a ver ao longe, altaneira, a cidade que desce desde o castelo...

quinta-feira, maio 28, 2009

Keywors Analysis

Já o disse antes: poucas coisas me dão mais prazer, que descobrir o que as pessoas que entram no Viagra e Prozac procuram na Internet. Acho comovente! Mas porque neste blogue também fazemos serviço público, deixem-me elucidar um leitor que procurou no google: "usar viagra provoca amnésia?"
Meu caro, temo que sim! Não aparece escrito no medicamento, mas estudos empiricos que ninguém fez comprovaram que o consumo do viagra provoca amnésia: o meu caro toma e esquece que é casado ou tem namorada...

Coisas cá da terra...

O bom jornalismo de Manuela Moura Guedes começa a fazer escola em alguma "imprensa" da cidade...

Convido o leitor a dar título a isto, que confesso que estou sem imaginação! Com adendas


Um dos mais graves problemas do País tem sido a falta de consensos políticos que têm caracterizado a má partidocracia lusitana.
Defender a democracia não é fechar os olhos aos seus problemas: e uma das mais graves dificuldades inerentes a uma democracia jovem onde ainda falta muito caminho a percorrer para incrementar o nível de cidadania, é obstar a que se façam políticas limitadas a um ciclo eleitoral, sobrevalorizando o imediatismo, esquecendo que o drama do País não é o curto prazo, mas a absoluta necessidade de pensar o futuro!
Os políticos não gostam de recordar, mas Portugal é um País historicamente pobre, que nem conseguiu enriquecer, quando toda a riqueza do mundo passeava por Lisboa. Mais. Quando em todo o século XX o mundo progrediu economicamente, mesmo dividido por duas guerras, Portugal perdeu 80 anos orgulhosamente só na sua miséria!
Os factos provam que no último quarto do século XX o País evolui muitíssimo: mas os mesmo números provam que hoje somos uma sociedade estagnada, onde ainda falta fazer muito! A necessária e urgente revolução na economia com a definição de um novo paradigma de desenvolvimento, a reforma essencial na educação, a reforma urgente e inadiável na justiça, o combate à pobreza e à evasão fiscal (que não se deve continuar a confundir com não pagamento atempado dos impostos) exigem consensos alargados, obrigam os partidos a ser responsáveis, privilegiando o interesse nacional em detrimento de interesses conjunturais da baixa política!
Mas infelizmente a nossa classe política tem sido cega aos verdadeiros interesses do País: com excepção da questão de Timor e em certa medida com a adesão à Comunidade Económica Europeia (onde a direita mais nacionalista e a esquerda radical estavam em desacordo), nunca os partidos foram capazes de construírem os consensos necessários para permitir um sólido, estável e duradouro desenvolvimento.
Até há duas semanas: há duas semanas os partidos conseguiram finalmente sentar-se à mesma mesa e fazer um verdadeiro pacto de regime. O que seria bom. Ou mesmo óptimo. Não fosse esse o consenso para aumentarem obscenamente os seus próprios rendimentos, bem como permitir o regresso ao pior do financiamento privado, que volta a poder ser anónimo, escancarando a porta para a corrupção e tráfego de influências.
Da esquerda à direita, os partidos em ano de crise aumentaram os seus rendimentos, tirando dinheiro aos portugueses para gastar em cartazes, apitos e flautas, procurando com o ruído eleitoral disfarçar a generalizada falta de ideias e projectos, de pensamento coerente e não demagógico! A nova lei do financiamento dos partidos é um crime contra os portugueses e contra a democracia. A aprovação por todos os partidos com assento na Assembleia da República, deixa os cidadãos reféns de Cavaco Silva: apenas o Presidente pode acabar com esta vergonha nacional!

Adenda: Como presumem não combinei a crónica com o Engenheiro João Paulo Ramoa. Mas gostei de ler que pensa o mesmo que eu...
Adenda 2: Pode ouvir aqui a crónica. Com um lapso... giríssimo! Por vezes o inconsciente prega-nos rasteiras...

quarta-feira, maio 27, 2009

Hoje há futebol... futebol a sério...

Qual o seu palpite? Ou, se apenas viu isto após o jogo, o que achou do mesmo?

Coisas boas... e coisas menos boas!!! (com adenda)

Hoje não anda por aí um bando de gente de flauta na boca: em compensação há uma aula de step ou qualquer coisa semelhante, igualmente barulhenta!

Adenda: Admito estar rabujento por não me estar a conseguir concentrar. Mas às três da tarde, não estará demasiado calor para as criaturas estarem a subir e a descer a porcaria do degrau, com os corpinhos à esturreira?!!

Os cartazes do PSD...

Escrevi em registo crítico sobre o cartaz com que se estreou Manuela Ferreira Leite! (bem como da escolha de Rangel, mas deixo este mea culpa para mais tarde). Mas tenho de reconhecer que a qualidade estética dos cartazes da campanha estão a melhorar, sendo que a última "leva" é muito bem conseguida! Gosto especialmente daquele dos orgasmus para o primeiro emprego!

Enquanto lá fora...

... se têm boas, digo, excelentes e exuberantes ideias para conseguir contratar médicos e motivar pacientes, a Administração do Hospital de Beja não coloca em prática estas excepcional medida!

100 razões para amar Beja - 75

Sou um apaixonado pelas palavras: desde petiz que sou enamorado pela escrita, que me adoro perder na leitura, que me encanta encher de estranhas linhas velhos cadernos brancos! Ou as folhas brancas do computador, nos anos mais recentes...
Acredito no poder da palavra! Quer na força do debate sério de ideias, como no deleite único de me deixar perder nas palavras dos outros, conhecendo o mundo estiraçado num sofá ou numa esplanada com janela para o mar, seja no calor de Agosto ou quando o mar se agita no Inverno e mostra a sua fúria!
Porque as palavras podem fazer-nos vaguear: porque as palavras [são] andarilhas!
Para aqueles que desconhecem a excepcional iniciativa, as palavras andarilhas é um encontro de Narração Oral e Promoção da Leitura que se realiza em Beja desde 1998, onde se juntam pessoas que amam a escrita, se oferece uma feira do livro, colóquios, oficinas de escrita, atelier, onde se recordam histórias antigas da tradição oral, misturadas com as histórias intemporais que se contam às crianças, num mistura onde o passado se encontra com o presente e sorri para o futuro!
Roubado sábias palavras de outros, "todos os anos, em Setembro, a cidade acorda ao som dos andarilhos. São mais de duzentos e vêm de longe, em busca do lugar onde moram as palavras.
Chegam como uma revoada de pássaros, para se alimentar do mistério que é a palavra contada e escrita. Os seus passos ressoam pelas ruas e as suas vozes entram pelas chaminés e pelas frestas das portas e janelas, desafiando quem vive na cidade".

terça-feira, maio 26, 2009

Solicitadoria na Estig de Beja (Com esclarecimento)

Acabei de ser informado que o excelentíssimo Senhor Ministro da Tecnologia e Ensino Superior (por acaso, neste exacto momento, acho-o sexy!!!) autorizou a abertura da Licenciatura em Solicitadoria na Estig de Beja, já para o próximo ano lectivo! Os interessados deverão solicitar mais informações ao Instituto Politécnico de Beja.
Agora... se me permitem vou correr desnudo pela cidade para comemorar este milagre!

Esclarecimento: Face a diversas dúvidas surgidas, esclarecemos que o Curso de Licenciatura em Solicitadoria foi, oficial e formalmente, aprovado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. Agora, a decisão sobre a sua abertura em concreto cabe, nos termos da Lei e em exclusivo, ao Instituto Politécnico de Beja".
Área Científica de Direito da Estig/IPBeja

Maldita sina...

... estar ao lado de uma sala de música. Um destes dias perco a cabeça e cometo flautocídio...

Beja Capital convida...

... para uma sessão pública de trabalho, esta quinta-feira, pelas 21h30 no Beja Parque Hotel.

Um pequeno passo para a humanidade, um grande passo aqui para o gajo..

Euzinho consegui montar uma estante do IKEA. Repito: euzinho consegui montar uma estante do IKEA. (a foto era suposto ser esta; mas tive um estúpido ataque de puritanismo imbecil)!

100 razões para amar Beja - 74

Por vezes ter memória é a coisa mais dolorosa do mundo. Os sonhos apanham-nos acordados e trazem-nos reminiscência de tempos que já lá foram, colocam-nos na lembrança excertos de um tempo que o tempo teima em não apagar. Mas ter recordações de um passado mais ou menos distante, também nos ajudam a compreender melhor o presente, a procurar intuir o futuro...
Ainda sou de um tempo (acho mesmo piada a dizer esta frase, embora escrita perca impacto) em que para viver a adolescência apenas tínhamos os Infantes até às duas e apenas à sexta e ao sábado (no espaço onde depois nasceu o restaurante) e os Ufos, onde se era simples entrar nas saudosas matines das quatro da tarde, era terrível para jovens imberbes de 15 anos! Depois havia um ou outro café e a casa dos amigos, onde se faziam as festas quando os pais tinham de sair para qualquer lado...
Mas há um momento em que Beja começa a ter novas cores, uma animação diferente, tons e rostos que começam a entusiasmar a cidade. E se a dimensão económica foi e é algo ainda hoje transcendente, prefiro valorizar aspectos que para mim têm mais pertinência do que o muito dinheiro que eles trouxeram para a cidade.
Refiro-me obviamente aos estudantes, que sem dúvida são o melhor do ensino e da cidade! Nem sempre compreendidos, infelizmente continuando-se a ouvir vozes insensíveis que zurram contra estes, sem compreender o quão importante são os estudantes do ensino superior para o desenvolvimento da nossa pequena cidade, demasiadas vezes apática para esta realidade.
Vi o ensino superior chegar à cidade, numa época que ainda eram muito poucos e paravam na Vacaria Bejense (ou seria leitaria o nome?!!). Depois, saí de Beja e acompanhei à distância a loucura dos anos 90, quando se juntaram ao Politécnico as já encerradas Moderna, ISSS e ISPA, nuns tempos loucos em que havia mais de 6000 estudantes a viver numa cidade de apenas 25ooo habitantes (se fizerem as contas, compreendem que a percentagem era algo quase inédito no País!). E quando regressei no final dos anos 90, compreendi que a cidade tinha mudado bastante. Enfatizo muitas vezes que a maior empresa da cidade é hoje o Politécnico, mas esqueço hoje a dimensão económica para sublinhar as alterações sociais, nomeadamente no que as costumes diz respeito, dos largos milhares de jovens que passaram pela nossa cidade, que trouxeram consigo novas formas de ler a vida, uma liberdade maior nos seus hábitos (ou libertinagem como dizem alguns velhos do restelo...).
Jovens de todos os lados e destinos, com diferentes passados e divergentes futuros, que chegam a Beja miudos perdidos, tantas vezes contraríados por terem sido colocados nesta estranha cidade, mas, que por cá vão vivendo e, por razões que só nós entendemos, no dia em que o destino os afasta de Beja, levam consigo as lágrimas das saudades. E as recordações dos momentos que aqui viveram, memórias que se entranham neles e os acompanham para a vida...

segunda-feira, maio 25, 2009

O par de patins a Quique Flores...

Desde ontem que quis fazer um post de despedida a Quique e durante o jantar vi na RTP que afinal ia ficar. Embora não estranhe amanhã ler que já foi despedido!
Premissa: sou fã incondicional de Rui Costa e acho que mesmo quando erra acerta! Mas acho que Quique devia ter sido despedido no dia em que chegou, quando dispensou o Chalana e o Diamantino (que nem gosto muito!). Como nunca a direcção devia ter satisfeito o capricho do Treinador e encher o balneário de espanhóis, de qualidade mais que duvidosa!
O Benfica jogou terrivelmente mal durante todo o ano. Assistimos a demasiados equivocos e asneiras. O modelo de jogo é um fracasso, ver o Aimar jogar dá-me diarréia, entristeceu-me ver partir um jogador excepcional como Leo, quem vendeu o Petit devia ser capado, colocar o katsuramis a central é um crime contra o futebol, contratar Jorge Ribeiro é um crime contra o bom senso, obrigar Amorim a jogar a extremo direito dá vontade rir aos adversários e de chorar aos benfiquistas e hoje há um grave problema na baliza: mesmo jogando os três ao mesmo tempo, o Benfica teria problemas na baliza! E podia dizer ainda mais, mas até o masoquismo tem limites...
Dito tudo isto, defendo que o próximo treinador do Benfica seja... Quique Flores! (e não me venham falar em Jesus, porque nem Deus conseguia mudar tudo o que se fez de errado!).
Desde logo, porque é um SENHOR. E o Benfica precisa disso! Porque é preciso ganhar e perder com honra. E já lá temos o Presidente! Depois, porque é preciso continuidade: porque os jogadores precisam de sentir que há uma liderança, que a liderança tem confiança e que já chega de mudar tudo, todos os anos. Quique é hoje claramente um treinador fragilizado: é o momento exacto para a Direcção impor as suas condições, escolher o plantel, reforçar dois ou três lugares cruciais com jogadores que efectivamente sejam reforços e permitir a um treinador que no passado já provou que tem qualidade, mostrar o que efectivamente vale!

Um pequeno e sumário esclarecimento...

Uma piada pessoal neste post, terá gerado interpretações equivocas. Pelo que entendo dever esclarecer: não conheço a única candidata assumida para a referida Câmara, não faço ideia quem serão os restantes membros das listas do outros partidos ou da candidatura independente da qual se fala e obviamente que não irei apoiar absolutamente ninguém na referida corrida autárquica.
Aliás, confesso, que me é absolutamente irrelevante saber quem vai ganhar ou perder aquelas eleições: é uma guerra que não me diz respeito!

O raio das rotundas....

Para que a caixa de comentários não se encha com alguns dislates habituais, cito as palavras de outrem, com as quais estou em perfeita sintonia. É consabido que tenho uma mal disfarçada embirração com a rotundo do Algarve, mas, a mesma vai aumentar de forma exponencial, confirmando-se que vão espetar na dita um qualquer mamarracho alusivo ao exército: "quando vemos as rotundas de Castro Verde “decoradas” com motivos como as ovelhas, os porcos, os cristais de minério, o 25 de Abril ou as entradas da Vidigueira com placas indicativas de que entramos em “Terras de Pão, Gentes de Paz”, ver as rotundas das entradas da nossa cidade com monumentos às forças armadas seria triste."

Começa hoje....

... a campanha eleitoral para as eleições europeias de 7 de junho! E o leitor? Já decidiu onde é que vai passear nesse fim de semana?!

100 razões para amar Beja - 73

Por um amplo conjunto de razões, devo ser a pior pessoa no mundo para escrever este texto! Envergonhadamente confesso que até durante muito tempo estive indeciso se esta era boa razão para amar Beja... ou um excelente motivo para a odiar! Se é que existe uma verdadeira fronteira entre amar e odiar, porquanto, bem mais vezes do que gostaríamos, damos por nós a amar aquilo que sempre pensámos odiar...
Muitas vezes os nossos maiores defeitos tornam-se nas nossas mais exuberantes qualidades! E com as cidades acontece algo semelhante: o facto de Beja ser uma cidade pequena, carrega consigo a qualidade de todos saberem o seu nome!
Obviamente que não todos todos, nem de todos, todos! Mas Beja é ainda uma cidade em que vamos ao café e basta sentar na mesa (ou preferencialmente numa cadeira, mas usar a locução "mesa" confere mais poesia à prosa), para que alguém que sabe o teu nome te traga sem pedires o que queres beber (ou seja café e JPS). Uma cidade onde se vais ao Modelo, o casal que está à tua frente na fila (não bicha!!!) te oferece os pontos no cartão (tinha de escrever isto!), onde no restaurante tens a tua mesa e até te fazem um prato que não está na ementa, porque conhece os teus desejos e caprichos; um local onde te dizem bom dia na papelaria, onde sabem quais os teus jornais e revistas, que comentam com elogio ou crítica as tuas crónicas!
Não sou hipócrita e escamotear que o facto de todos saberem o teu nome tem aspectos negativos: especialmente se tiveres o azar de conjugar o facto de ser tímido e trombudo e ter uma tremenda e histórica dificuldade em decorar nomes de pessoas, mesmo de gajas, mesmo das boas! Mas apesar do entediante de algumas ressabiadas comentarem a vida dos outros, morar uma cidade pequena onde há sempre um tio que é vizinha da prima de alguém, onde todos fomos colegas de escola ou de futebol, onde te sabem o nome e a tua história, onde te recebem com um sorriso quando vais todo coxo e torto tirar um raio X e te gozam na cara quando te dão uma treta para proteger a pila (também tinha de escrever isto), tem a estranha vantagem que só percebemos quando perdemos: o estranho prazer de não ser invisível, de não ser apenas mais um perdido numa multidão indiferente. Sim: porque há coisas que só damos o devido valor depois de as perder...

domingo, maio 24, 2009

Viagra e Prozac recomenda: How I met your mother...

Obviamente que os Friends é a melhor sit com de sempre. Isto nem sequer é uma opinião, porque todos sabemos que é um facto. Mas o How I met your mother (que não sei se passa em algum canal português) é uma série viciante, com humor inteligente, um texto bem escrito e boas personagens. Pode não mudar a sua vida: mas torna-a mais divertida...

Desculpem interromper...

... mas os meus prezados leitores viram o telejornal da SIC desta noite, especificamente a parte de Beja, em concreto a parte do dízimo?!

O melhor de ser Benfiquista...


... é a intensa alegria que sentimos no dia em que termina o campeonato. Nos próximos dois meses e meio, não vamos apanhar vergonhas e sentir tristezas...

sábado, maio 23, 2009

Porque no te callas... (ou coisa parecida...)

Não sou advogado (por acaso até tecnicamente sou, mas desde há anos que não me sinto advogado) e no mesmo dia em que Marinho Pinto foi eleito Bastonário teci palavras críticas! Se o antigo Bastonário era fraco, honestamente acho que a postura de MPinto envergonha a advocacia!
Mas até um relógio estragado acerta nas horas duas vezes por dia: ontem Marinho Pinto foi grande e fez aquilo que qualquer português de bom senso há muito tinha vontade de fazer: mandou calar Manuela Moura Guedes e publicamente criticou o miserável pseudo jornalismo que faz! Bem sei que hoje muitos aplaudem porque é contra Sócrates, esquecendo que amanhã a ira da senhora vai ser contra outros (veja-se o que a esquerda dizia há uns tempos de Mário Crespo e diz agora)! Termino com algo comovente: soube dos factos porque um aluno me mandou sms a dizer para ligar a TVI! Obrigado. E tinha razão: é mesmo imperdível!

Polvo Unido..

A delicia gastronómica que hoje partilho com o meu esfomeado leitor é o Polvo à Zambujeira! O nome do prato deve-se ao facto de ser parecido com um que eu comia nos saudosos anos na deslumbrante Zambujeira, - num amoroso restaurante de madeira, na entrada da barca! (acho que para varias, confundi o nome da coisa!) - pelo que em sua homenagem, é assim que desde há anos chamo ao dito polvo!
A coisa começa pela compra do polvo. Pessoalmente prefiro o bicho congelado, embora, se me oferecerem um acabadinho de apanhar, tal como as botas da tropa, também marcha!
O primeiro passo é cozer o bicho, em água bem quente, obviamente carregado de sal, que comer é um prazer e não uma forma de tortura; importa deixar claro que o polvo a cozer é com uma pila numa orgia: por muito grande que seja, depois de levar uma bela de uma fervura, mirra vergonhosamente, pelo que, menos de 400 gramas por pessoa, dá fominha!
Depois do polvo estar em bom estado, coisa para demorar entre meia hora a quarenta minutos, dependendo da panela e do fogão, retira-se o polvo para não morrer afogado e corta-se o dito em muitos e pequenos pecados. Tipo dois centimetros de polvo!
O próximo passo é interessante mas duro: numa frigideira boa, coloca-se azeite alentejano e várias cabeças de alho, namorando com piri piri e joga-se o polvo, deixando-o fritar! O drama da coisa, é que o polvo espirra que se farta e suja-lhe a cozinha toda, desde o fogão ao tecto, passando pelo chão*, pelo que, será prudente convidar alguém simpático para jantar, daquelas pessoas que têm tara por lavar a loiça e a cozinha!

* (NOTA: nunca faça este prato sem cuecas!!)

sexta-feira, maio 22, 2009

Karting em Beja

Durante este fim de semana, Beja é a Capital do Karting, com três dias de provas e coiso e tal. Será na zona da rodoviária e o trânsito vai estar fechado. A organização oferece palha a quem for ao local. Pergunto, porque perguntar não devia ofender: qual a sua opinião?

Vamos lá falar sobre Direito...


Quando há cerca de dois anos e meio comecei a colaborar com o Correio Alentejo, os meus textos eram unicamente sobre questões jurídicas. E muitas vezes deixei escritos súplicas alertas sobre a depauperada situação da Justiça, esse parente pobre da democracia lusitana. Não me reconheço peculiar mérito por ter começado a falar nisto quando quase todos estavam calados: por imperativos académicos e profissionais, é normal que tenha para estes temas uma sensibilidade superior ao comum dos mortais. Estranho seria o inverso!
Expressei-o inúmeras vezes e estou cada dia mais convicto: não existe Democracia plena sem que os Tribunais funcionem. E há muito que estes deixaram de funcionar em parâmetros que possam ser aceitáveis com o “estado da arte”! E muito mal está um País que descura a aplicação do Direito…
Começo por algo que para muitos parece uma frivolidade: a pertinência de uma aplicação da justiça célere para o desenvolvimento económico. Muitas vezes perdemo-nos em intermináveis discussões sobre a importância da concorrência fiscal no seio da EU, nas dificuldades para os empresários lusos decorrentes dos desníveis dos elementos de produção face aos concorrentes externos, mas existe um silêncio que cheira a conluio sobre as consequências económicas de as empresas demorarem anos e anos a serem ressarcidas dos seus créditos, do inaceitável facto de algumas empresas desistirem de exigir em Tribunal os seus direitos, a mágoa para os credores em geral e para os trabalhadores em Portugal, dos processos de falência, agora baptizados de insolvência, se arrastarem por quase uma década, quando não a excede.
É razão de vergonha nacional que o caso da petiza a quem chamaram Esmeralda quase se tenha arrastado até à sua maioridade, que tantos anos depois o processo Casa Pia ainda esteja sem nenhuma decisão em primeira instância, sendo mais que óbvio, que independentemente do desfecho parcelar, o caso regresse aos Tribunais em intermináveis recursos, que no caso vergonhoso do BPN apenas haja um arguido, - quando, por exemplo nos Estados Unidos, em situações alegadamente análogos, há muito que o processo concluiu, apurando-se os factos, condenando quem se entendeu condenar -. E não se procure afirmar que trago à colação casos excepcionais! A triste e patética verdade é que o excepcional é a regra da justiça portuguesa, onde processos simples demoram demasiado tempo e se continua a insistir em mega processos, - que invariavelmente são enormes montanhas que parem ratos, quando não se esmagam em coisa nenhuma ou termina em caixas de arquivamento -, sem que quase nunca se conclua pela culpa, ou falta dela, das pessoas que foram acusadas, que sem possibilidade de defesa em sede própria, são julgadas na imprensa e nos cafés e tascas de um País que fala da justiça como se fosse um jogo de futebol!
Parece-me axiomático que um cidadão não pode estar por mais de quatro anos sobre o espectro público de estar eventualmente relacionado com um caso de corrupção: é inadmissível que se crie esse rumor, que se propague o mesmo, sem que em longos quatro anos nada ou quase nada tenha sido feito, que não se produza uma acusação que permita exercer os direitos de defesa ou um arquivamento que faça cessar a suspeição pública sobre a conduta de alguém. Mas, como disse, é inadmissível que esta situação kafkiana vitime um qualquer cidadão, é totalmente intolerável que esse cidadão seja o Primeiro-ministro de Portugal! Porque se todos os cidadãos são iguais, há uns que são mais iguais que outros: José Sócrates não é apenas um cidadão, é titular do mais importante órgão executivo do País, pelo que, as alegadas acusações de que foi alvo, têm obrigatoriamente de ter um tratamento diferente! E obviamente célere!
Mas se a lentidão da Justiça é o pecado original de Democracia portuguesa, uma tremenda lacuna que dezenas de Governos e Ministros não conseguiram suprir, não obstante as constantes, apressadas, inusitadas e incoerentes alterações legislativas, começamos a sentir um sintoma novo, ainda mais pernicioso que a nossa costumeira demora na aplicação do Direito: a desconfiança! E sinceramente não encontro sintoma mais perigoso para uma democracia!
E o processo Freeport parece-me paradigmático para o que pretendo afirmar: seja qual for a decisão final - e caso o processo chegue ao fim e não se perda nas teias das prescrições – serão muitos os portugueses que vão desconfiar da decisão da autoridades judiciais, seja esta qual for. Se houver condenação, iremos ouvir falar em perseguições políticas através de meios judiciais, ao bonito estilo sul-americano; se for absolvição, inúmeras vozes em maior ou menor surdina, irão afiançar que os magistrados foram influenciados e protegeram os poderosos! E quando um País laico deixa de acreditar na Justiça, está escancarada a porta para toda a intolerante demagogia, constrói-se um terreno fértil para destruir o Estado de Direito livre e plural, abrindo-se a porta para a instauração aos regimes totalitários ou à ditadura do disparate!

Uma quinta-feira diferente...

Como tinha ameaçado aqui, esta foi uma quinta diferente!
Foi muito bom regressar ao Festival Islâmico: afirmei no ultimo Conselho de Opinião e estou ainda mais convicto, de que após a Ovibeja, é o grande evento do Baixo Alentejo! Tive um raro ataque de bom senso e fui visitar o festival pela manhã, evitando a confusão e conseguindo ver com calma e detalhe as barraquinhas, acompanhado pela próxima vereadora da Câmara Municipal de Mértola! E almoçar algo tipicamente marroquino: uma bela de uma sardinhada.
Voltei após o almoço quando aumentou a confusão e ainda vi a abertura oficial! (Nota: quando estão mais de 30º, os discursos têm de ser como as saias: curtos, curtos, curtos...).
Pela noite... foi o tempo de ver os Xutos e Pontapés, numa camarote muito mais do que VIP, com as duas coisas mais lindas do mundo (uma que gostou tanto que adormeceu no meu colo na quarta música), perante uma impressionante moldura humana.
Por razões estético-etárias tive algumas reservas sobre o alinhamento, mas Xutos são sempre Xutos, sendo sempre um imenso prazer ouvi-los! O lamentável... foi que o primeiro concerto deles que vi em Beja, foi há exactamente vinte anos, no velhinho estádio, quando ainda eram quase um desconhecidos, ao tempo de Circo de Feras.

quinta-feira, maio 21, 2009

Terceiro Aniversário...(Com Adenda)

Faz hoje, mesmo precisamente hoje, três anos que começou esta inusitada aventura de ter um blogue. (que até teve direito a dia de Festa!!!) Pode ser que um dia torne públicos os motivos que me levaram a criar o Viagra e Prozac. Ou provavelmente não!
Inventei a frase há uns tempos de que no fim do dia um blogue é apenas um blogue, mas a patética verdade é que este é um estranho vício que se entranha! Por vezes irrito-me com o blogue, mas, por mais que não goste de reconhecer, hoje é uma parte de mim! E claro que sinto um insólito prazer em "abrir as portas de uma casa" visitada por centenas de pessoas diariamente, onde se debate e discute com abertura e frontalidade, onde se assumem posições incómodas, se recorre a uma linguagem ousada, onde se brinca a falar a sério e se fala a sério a brincar, tenho a coragem de assumir e lutar por convicções fortes.
Um local onde se expressa opinião mas onde se recebe de braços abertos e respeita quem pensa diferente. Quase 3000 post, sobre todos os assuntos possíveis e imaginários, sem que nunca se tenha caído na tentação de insultar ou ofender ninguém, mesmo aqueles que se têm deleitado no ataque cobarde e canalha! Porque continuo a acreditar que os princípios, a ética e a moral não são palavras vazias ou piadinhas de café.
Porque este também é o seu blogue, obrigado por ter estado desse lado. No que me diz respeito, enquanto tiver prazer, vou continuar por aqui...

Adenda: Tinha-me obrigado a responder individualmente a cada um dos comentários, porque tenho a consciência que era a forma adequada de agradecer! Mas peço que não me levem a mal nem interpretem a minha falha como falta de respeito: apenas, não tenho muito talento para estas coisas!
A todos e a cada um - quer de quem deixou comentário, quer de quem mandou mail e mesmo sms e telefonema - agradeço as muito amáveis palavras! A todos, sem excepção!

quarta-feira, maio 20, 2009

Carlos do Carmo em Beja...

... uma noite para recordar. Impressionante moldura humana, um palco excelente e uma acústica excepcional. Até o calor desceu à cidade para ouvir cantar o fado. E qual vinho do Porto, o fadista está cada vez melhor.
É caso para dizer... Carlos do Carmo dum cabrão (quem esteve presente, percebe...)!

Momento faz o que o H diz, não sejas parvo com ele...

Há aqueles que têm o bom gosto de comer caracóis em esplanadas. Depois "há nós", os tolos, que preferimos comprar na rua para chupar no recato do lar. Ou seja, transportamos os bichos. Se eles forem rastejando, nada tenho a afirmar. Mas se os levar de carro, certifique-se sempre que a embalagem está bem fechada. É que por muito que se goste dos cornudinhos, especialmente com este calor, não é nada agradável que o molhe se derrame e fique com o carro empestado com o cheiro dos ditos...

Politunas 2009

100 razões para amar Beja - 72

Eu sei que devia de ter vergonha de confessar algo que vai aparecer diluído neste texto. Como me parece uma cobardia generalizar, sem ter a coragem de escolher um local determinado. Mas apelando à memórias gustativa, sinto-me constrangido a reconhecer que de ano para ano vão oscilando os mais excepcionais locais para nos deliciar-nos com esta delícia.
Há uns anos seria o Caravela e o Carocinho, os mais exuberantes locais; o encerramento do segundo e as oscilações do primeiro, criaram o império da Zona Azul. Que foi abalado pela excelência do Pereirinha, o Toninho da Avenida, o clube de ténis ou o mais cosmopolita Pulo do Lobo. O ano passado admito que o Belga tenha sido o local onde o esplendor foi alcançado. Este ano, ainda não pesquisei o suficiente para oferecer uma posição fundamentada...
Mas se os locais são variados e depende do paladar de cada um, há algo comum a toda esta cidade: refiro-me ao prazer de comer caracóis!
Alguns acham estranho a delicia de comer aquelas resmas ranhosas, que se tornam ainda melhores quando lavadas em escassa água, o inusitado prazer de sorver pequenos prazer cornudos, com as mãos pegajosas que agarram um copo e molham o pão no molho, lábios insaciados de onde escorrem pedaços de um sabor diferente.
Quando o calor desce pela cidade, quando chegam os fins de tarde abrasivos que apenas nós conseguimos valorar, há poucos prazeres mais intensos que deliciarmo-nos com um pires de caracóis e uma imperial (ou uma coca cola, para alguns tolinhos!!), acompanhado de pão alentejano com manteiga, numa qualquer esplanada onde uma pequena ou grande sombra, nos recordo que o maior prazer do calor alentejano é um deleite nos colocarmos ao fresco...

A sexóloga, vulgo professor de História...

Começo por deixar claro: a mais famosa "professora" de história do País é provavelmente frígida e com toda a certeza um grelo ressabiado! Mais do que suspensa, quiçá se justificasse umas públicas vergastadas.
Deixado isto bem claro - ao que se podia aludir a incompetência da escola que, alegadamente, durante três anos andou de olhos bem fechados - há algo na história da gravação que vimos na SIC tremendamente preocupante: o facto de gravações ilegais serem usados em noticiários, bem como para a instauração de um processo disciplinar! E acho estranho o silêncio generalizado sobre isto. Pobre do País que perde a memória de como foi duro lutar pela liberdade e pelo Estado de Direito!

terça-feira, maio 19, 2009

Beja Fashion 2009

Por razões profissionais não estou presente na primeira Edição do Beja Fashion. Mas fiz questão de passar no local e procurar recolher algumas informações. E da mesma maneira que quando algo se deve reconhecer o falhanço, quando algo corre realmente bem deve ser aplaudido!
E o sucesso do BejaFashion é por demais evidente. Esta é a cidade que todos desejamos que Beja seja!

Delta...


A SIC está a dar uma enorme reportagem sobre a Empresa Delta. Uma mais que merecida ovação. Mas este é um mail exclusivo para os meus antigos alunos de Direito Comercial. Eles percebem a razão...

Conversas Tertulianas...

Ainda não é hoje que posso cumprir a promessa de ir assistir às conversas tertulianas. Começo a desconfiar que a Doutora Ana Paula Figueira marca propositadamente para horários que não me é possível assistir. Mas hoje, tal como as galinhas, tenho pena. Muita pena. Sim: porque eu gosto e admiro muito Carlos do Carmo!

Sugestão Viagra&Prozac...
























... para os próximos dias. Duas excelentes iniciativas, que terão ambas imenso sucesso!

100 razões para amar Beja - 71

Há coisas na vida que só conseguimos dar o devido valor quando as perdemos. E agora nem me refiro à virgindade, mas a tantas coisas simples e complexas que por vezes fazemos à asneira de dar como garantidas, para só quando se perdem conseguimos compreender a falta que nos fazem!
Muitos vão procurar discordar desta razão para amar Beja, alegando que no passado recente até tivemos direito a um homicídio dos graves, que há casas assaltadas e até somos modernos ao ponto de ter um bairro onde livremente se compram sortidos de drogas!
Mas o que fica escrito não pode escamotear uma realidade privilegiada: Beja é uma cidade muitíssimo segura!
Muitos desvalorizam, mas Beja é ainda uma cidade onde nos podemos esquecer de fechar o carro ou deixar um vidro aberto, onde os nossos jovens podem sair pela madrugada e regressar sozinhos a casa, onde as crianças podem brincar livremente nos jardins ou ir jogar à bola com os seus amigos! Beja é uma cidade onde se pode viver sem medos, sem tremer quando os barulhos estranhos invadem a noite, sem temer com a nossa segurança! Talvez seja preciso sair daqui, conhecer outras cidades, outros países, para se poder avaliar com um sorriso o privilégio da segurança!
Esta é com toda a certeza uma das grandes bandeiras da nossa região, uma das mais pertinentes razões para promover a cidade, para convencer outros para fazerem desta cidade a sua, para escolherem fazer a sua vida num local onde ainda se caminha livremente na rua e não existe o receio de sair de casa de noite. Algo que sempre foi regra no nosso País e que infelizmente agora começa a ser uma cada vez mais rara excepção. Felizmente, neste caso, estamos do lado certo...

segunda-feira, maio 18, 2009

Feriado à quinta..

Das coisas boas de quinta-feira ser feriado... é que agora não tenho de estar a partir a cabeça para parir uma crónica!

O meu novo gabinete..

Vim tomar posse do meu novo gabinete. É tão bom que estou comovido. Até me apetece chorar...

Porque a mim não me ficava bem dizer isto...

... subscrevo integralmente as palavras do Teixeira Correia! Porque permeiam o mérito, a honestidade e o trabalho. E sei bem o quanto o merecem!

100 razões para amar Beja - 70

Durante anos Beja foi tímida e andou envergonhada com a Vidigueira, Redondo e Portel. E o bom senso obriga a reconhecer que o acanhamento bejense encontrava justificação na excelência da concorrência! Mas o mundo não é dos tímidos e daqueles que têm vergonha de lutar pelos seus sonhos, pelo que foi numa hora saudável que a cidade perdeu o decoro e se aventurou no fascinante mundo da vinicultura.
Obviamente que a excelência no mundo no vinho não é exclusivo da cidade, mas de toda esta região ou mesmo de todo este País. Mas nos ultimos anos Beja juntou-se à excelência produzindo um dos mais deliciosos néctares à venda em Portugal, in casu, o Herdade dos Grous, Tinto, Reserva.
A escolha não foi simples. E admito que possa pecar por ser feita por alguém que está longe de ser um entendido. Como no concelho há outros vinhos que poderiam merecer a mesma parca distinção! Mas foi o paladar deste seu escrito, para além de outras razões, que justificou a eleição!
Mas há outra razão para falar de vinhos: a minha profunda convicção de que Beja reúne condições para ser uma referência nacional na arte de baco, para ser pioneira na divulgação e internacionalização do vinho alentejano, para congregar saberes tradicionais com os modernos e cientificos meios de produzir o vinho! Um primeiro passo certeiro foi a Vinipax, uma excelente fórum onde se reuniram produtores, especialistas e apreciadores de vinho, numa espaço aberto de discussão, cuja continuidade com toda a certeza trará frutos quase tão saborosos como o Herdade dos Grous que deu mote a esta ébria razão para amar a nossa desconcertante cidade...

domingo, maio 17, 2009

Festival da Juventude - Pontos nos "is"!!!

Terminou ou vai terminar agora o 1º Festival da Juventude de Beja cujo resultado foi um rotundo fracasso, tão evidente que nem os responsáveis camarários irão ter coragem de desmentir! E como já deu para perceber vai responsabilizar-se o cancelamento de um concerto e atacar quem criticou a iniciativa para procurar branquear o fracasso!
Se dividirmos o dinheiro investido na Festa pelo número de pessoas que pagaram bilhete, concluiremos que seria possível oferecer a cada pessoas que pagou para o festival uma viagem a Nova Iorque para ver os U2!
Não alinho em equívocos: assumindo o risco de os factos me contradizerem, do mesmo modo que aplaudi o Programa das Festas da Cidade, há um mês atrás escrevi "Mas não posso deixar de tecer um comentário crítico à data que foi escolhida! E faço-o antes do Festival, abdicando da comodidade de ficar calado antes para criticar depois.
A data foi tragicamente escolhida, consequência lógica do secretismo eleitoral com que o festival foi concebido, decorrente do vicio de governar sozinho sem ouvir ninguém, excepto aqueles que se limita a dizer que sim a tudo! Não apenas se encaixa entre a Ovibeja e as Festas da Cidade, sendo portanto em comparação uma iniciativa muito menor e menos abrangente, como é totalmente incompreensível que se acumulem em vinte dias três grandes iniciativas para os jovens."
E honestamente não foi preciso perspicácia para vaticinar o fracasso da iniciativa: era puro bom senso! Matou-se o BejaAlternativa e procurou agora inventar-se em cima do joelho um Festival, escolheu-se provavelmente o pior fim de semana do ano (ainda acho que o tipo que escolheu a data é apoiante de uma candidatura adversária!!) e pretendeu-se fazer um Festival onde nunca se percebeu o conceito, qual o público alvo, a estratégia de divulgação, etc. É por demais evidente que quando toda a preparação é paupérrima o resultado só por milagre não é mau!
Ninguem se iluda! O fiasco deste fim de semana é péssimo para todos. Mas enfiar a cabeça na seara e fingir que nada aconteceu, inventando desculpas tolas é ainda pior! Porque não perceber que foi uma iniciativa falhada seria voltar a repetir no próximo ano as mesmas asneiras esbanjando novamente milhares de Euros do dinheiro público. Ou com base na incompetência, arranjar o pretexto para acabar com um Festival que os jovens da cidade precisam e merecem! (porque ter memória é fodido, importa não esquecer como mataram o BejaAlternativa).
Por tudo, este será o momento para os responsáveis reflictirem, perderem o vício de não ouvir ninguém e procurarem em todas as críticas ataques pessoas ou baixa política. Se há um objectivo que agora é comum a todos - fazer de Beja uma Capital da Juventude - importa perceber que o objectivo não se consegue com uma festa pensada em cima do joelho, nem um fiasco pode ser desculpa para abandonar o objectivo. Porque os jovens de Beja merecem muito mais do que lhe temos oferecido..

Porto Peles

Finalmente fui conhecer o famoso Restaurante dos grelhados em Porto Peles. (apenas conhecia este) É um restaurante com carne grelhada! E uma excepcional salada de tomate, bem temperada!

Contradições de um sábado à noite...

Entre o amor a Klimt e o desprezo por Malkovich. Aguentar até ou fim ou não aguentar, eis a questão!

sábado, maio 16, 2009

Festival da Juventude - Cancelado

De acordo com o site da Câmara Municipal de Beja, o concerto desta noite foi cancelado. Alegadamente por razões de doença. Uma benção para a autarquia! Agora já têm uma razoável desculpa para explicar o imenso fracasso que está a ser a iniciativa!

Uma agradável surpresa...

Muitas vezes critiquei a Câmara Municipal de Beja, mas hoje tenho de reconhecer que fiquei comovido. Jamais me passou pela cabeça que para comemorar o terceiro aniversário do Viagra e Prozac a autarquia decidisse decretar feriado e tivesse convidado os Xutos e Pontapés a Beja para comemorar a efeméride.
Fica o meu público agradecimento!

Está por aí alguém...

... ou foram todos ao Festival da Juventude?

Feijoada de cabeça de borrego..

A coisa maravilhosa que está na foto, tem o lindo nome de Feijoada de Cabeça de Borrego. E que ninguém tente dizer que o nome não é este! Fui euzinho que inventei o prato e por isso tenho o direito de lhe chamar o que bem me aprouver!
Para fazer esta coisa soberba e excepcional para comer de noite em dias de calor, começamos por comprar uma cabeça de borrego no Muralha. Repito. No Muralha, não numa qualquer outra espelunca que venda coisas a que chame cabeça!
Depois é a fase do refogado. Alho, cebola, pimento e mais qualquer coisa que tenha por ai, seguido de um pouco de presunto, a parte gorda. Quando ficar com boa cor, junte-lhe tomate dos de lata (não dos seus!) e amande-lhe com piri-piri que nunca é demasiado. Simultaneamente e ao mesmo tempo, corte a cabeça em pequenos detalhes, ao mesmo tempo que joga para a panela o feijão (se tiver paciência, feijão do verdadeiro; se tiver juízo, use daquele das latas!). Minutos depois, junte a cabeça ao feijão e deixe-os namorar. Quando achar que eles já estão felizes, junte uma pitada de coentros ou peojos.
Acompanhe com vinho. Tinto. Obviamente!

sexta-feira, maio 15, 2009

Porque neste blogue somos pela liberdade religiosa...

... fica o post para os leitores islâmicos e para todos os outros apreciadores da prática. Porque tudo se deve fazer com regras e preceito!

Porque há doidos que são mesmo malucos...

Falei nisto aqui e ameacei voltar ao tema! Que se conta em poucas palavras e muitas pedaladas! Um casal completamente passado,jovens e irreverentes e que em média são quase bonitos, montaram-se nas bicicletas e querem ir até à China. Pedalando.
Podiam chegar à fronteira, tomar juízo e vir de comboio para casa. Mas os tipos seguiram. E agora já andam por França, depois de largas centenas de quilómetros a pedalar. E parece que vão continuar! E estou claramente desconfiado que sem vida sexual, porque essa coisa de ter os tins tins todo o dia no selim da bicicleta, tira o ânimo a qualquer Zézé Camarinha (ou lá como o brunho se chama!).
Passe pelo blogue deles e deixe-lhe uma frase ofensiva para ver se os tipos tomam juízo...

100 razões para amar Beja - 69

Bem sei que dada a numeração, os meus puritanos leitores esperavam uma diferente razão! Eu próprio ponderei fazê-lo, mas confesso que a imaginação nem sempre acompanha os nossos desejos!
Nem sempre os nossos desejos nos guiam na direcção certa, como, nas mais das vezes, até desejamos coisas que são impossíveis de concretizar! E sentimos a frustração de não conseguir o impossível, sem cuidarmos de apreciar o tangível que está na nossa frente!
Vem isto como preliminar de mais uma razão para amar Beja, in casu, a comunicação social regional!
Estou ciente que muitos vão estranhar esta razão! Até porque muitos não ignoram que desde há muito condeno a falta de isenção da Rádio que chamo Voz do Município e não aceito que um jornal pago por todos nós seja vergonhosamente tendencioso! Como não sou cego ao ponto de reconhecer que o CorreioAlentejo (no qual tenho o prazer de colaborar) é um projecto ainda em construção e, como tal, com lacunas e falhas!
Mas há outra forma de analisar a comunicação social da cidade. E se quisermos ser honestos, teremos de reconhecer que é notável que uma cidade de menos de 25 mil habitantes tenha duas rádios locais, dois semanários e ainda o Alentejo Popular (tenho ternura por este pasquim, que me recorda sempre aqueles quentes anos 74), uma revista com a qualidade do Mais Alentejo, outra a começar agora que é a 30Dias, uma ou duas televisões na internet e ainda, porque não dizê-lo, alguns blogues que em muito excedem a dimensão da nossa cidade!
Sim! Isto é uma razão de orgulho...

quinta-feira, maio 14, 2009

A roupinha das pitinhas...

Ontem o País andou histérico a falar sobre um tal de regulamento interno de uma escola do Pinhal Novo que aconselhava as miúdas a vestirem roupa decente! Vi a notícia na diagonal, pelo que ignoro se tratava do comprimento das mini saias, da cor da lingerie ou proibir a adorável prática das calças descaídas de cuecas de fora!
Esclareço que há muito defendo o uniforme nas escolas públicas! Não na lógica elitista de há uns anos atrás, mas de forma a incrementar a democracia e igualdade nas instituições de ensino (as razões davam agora trabalho a explicar e estou sem vontade!).
Mas se gosto de uniformes, condeno que as escolas façam este tipo de regulamentos. Como deu-me nervos ver a Associação de Pais a aplaudir estas medidas!
Reconheço que muitos dos nossos jovens não vistam roupas adequadas para o ambiente escolar, mormente no ensino secundário (confesso que não acho que no superior o mesmo aconteça!). Mas não deve ser a escola a resolver esse problema: essa é uma missão dos pais, que devem ser eles a monitorizar as roupas que os seus filhos vestem! Já chega de os pais se demitirem das suas funções...

Ainda sobre o Festival da Juventude..

Quando alguém fala bem, fala bem! E porque não acho que deva dizer mais nada, limito-me a deixar um link...

Violência... (Adenda: Com direito a ouvir...)


Não sei se sou de Direita. Mas tenho a certeza absoluta que não sou de esquerda!
Diferentemente do que é comum escrever-se, continuo a acreditar que ainda persistem diferenças ideológicas que separam duas grandes correntes de filosofia política, formas de diferentes de ler o mundo, que emergem perante determinados factos concretos. Um deles é claramente a violência. A esquerda tende a ser complacente com a violência, a Direita por regra é implacável na sua censura.
Como é fácil de entender, esta reflexão decorre dos lamentáveis factos ocorridos no bairro da Bela Vista. Irrita-me ouvir comentadores analisar os factos e enfatizar a crise económica, as más condições das habitações, as carências de apoios sociais e a falta de locais de convívio para os jovens e todas as outras desculpas que nestes momentos surgem para procurar desvalorizar e branquear os factos.
Eu sei que vivemos na ditadura do politicamente correcto e que todas as desculpas são perfeitas para justificar o injustificável: mas a realidade é dura e bruta e não se compadece com eufemismos! No referido Bairro mora muita gente honrada e honesta que trabalha muitíssimo para conseguir sobreviver, que vive em casas com condições precárias, sendo que muitas destas pessoas nunca tiveram verdadeiras oportunidades para construir uma vida melhor! Pessoas sérias que se esforçam em trabalhos duros que a maior parte de nós não tinha coragem para abraçar!
Mas não foram essas pessoas que causaram os tumultos dos últimos dias. Quem provocou os acontecimentos são jovens criminosos que escolheram o caminho mais simples, que desde muito cedo preferiram deixar a escola e dedicar-se à criminalidade, jovens que furtam, roubam, agridem e chegam a matar! Estes jovens não assaltam para dar dinheiros aos papás para colocar comida na mesa: roubam para terem as melhores roupas, acessórios em ouro, dinheiro para cigarros e álcool e conduzirem carros de alta cilindrada!
Sou acérrimo defensor da protecção das minorias. Mas sou igualmente inflexível em combater a ditadura das minorias, a politica cobarde de ter medo de chamar as coisas pelos seus verdadeiros nomes e ceder perante a chantagem de pequenas franjas da sociedade que se recusam a cumprir as mais elementares regras de um Estado de Direito!
Os problemas de criminalidade de alguns bairros não se revolvem injectando mais dinheiro em apoio social: até porque, em muitos deles, a maioria dos seus habitantes já desistiu de procurar um trabalho honesto contentando-se em viver dos dinheiros dos contribuintes. Resolver os problemas de criminalidade em alguns guetos exige que se termina com a impunidade crescente, que se aumente a prevenção e a repressão, que se mostre aos habitantes desses locais que o crime não compensa e que a casa dos criminosos é a prisão!
E depois de prender os criminosos, é que vamos começar a falar de melhorar as condições de vida das pessoas honestas que moram em locais horrorosos e que a vida lhes roubou a capacidade de sonhar e acreditar num futuro melhor…

Adenda: Pode ouvir aqui a crónica na Rádio Pax

quarta-feira, maio 13, 2009

Seja Solidário: contribua para uma boa causa..

A PSP de Beja vai estar durante esta semana a realizar uma campanha solidária de recolha de fundo para finalidades muito beneméritas. Para contribuir basta passar na Avenida da Ovibeja, na Rua do Modelo ou na Estrada da Mata a mais de 50 quilómetros hora. Um carro mal estacionado e escondido tira a fotografia de todos os solidários cidadãos que pretendem contribuir e mais à frente um bando de polícias aguarda-o para receber o seu donativo.
Contribua. Faça um PSP sorrir...

100 razões para amar Beja - 68

O amor pode apresentar diversas cores e sabores! E divergentes gostos. E por vezes há doces razões para amar pessoas. Ou, neste caso, cidades!
Gosto bastante de comer! Mas nunca foi obcecado por doces. Admito a minha perdição por trouxas de ovos e encharcadas, a minha perdição por brigadeiros (dos verdadeiros), a minha paixão por pastéis de nata quentinhos (que saudades de fugir da Universidade e perder-me em Belém) e a profunda nostalgia que me invade quando me recordo dos tempos em que comia o "melhor bolo de chocolate do mundo" na tal marisqueira!
Prazer similar ao que conheci quando comi pela primeira vez um chocolate do Mestre Cacau!
Fruto do empenho e da audácia de jovens bejenses, o Mestre Cacau começou a adocicar a boca dos bejenses nos finais de 2005 e, apesar da sua excelência, tenho sempre a sensação que a maioria da cidade ainda os ignora. Admito que o preço pode não convidar a abusar, mas acredite aquele que me lê, que o preço fica muitíssimo abaixo da sua qualidade.
Imagina o meu bom amigo que consome estas linhas com a água a encher-lhe a boca, no prazer único de degustar bombons de chocolate branco com vinho tinto, trufas da Vidigueira ou a sensação de provar chocolate negro com azeite virgem?
O Mestre Cacau não vende chocolates ou bombons: nesta empresa de forma artesanal constroem-se experiências gustativas, combinam-se sabores diferentes que pareciam contraditórios, inventam-se gostos e oferecem-se ao público em embalagens de provocam paixões para a vida!

Porque hoje é 13 de Maio...


... muitos leitores pensariam aqui encontrar alguma piada brejeira sobre Fátima! Mas tal não vai acontecer! Apesar de ser agnóstico, desde petiz que o 13 de Maio me comove. Por estranhas razões que nem a mim consigo explicar! Mas ver toda aquela gente que faz centenas de quilómetros acompanhados apenas pela devoção, sempre me arrepiou. Honestamente!

terça-feira, maio 12, 2009

Desculpem a ignorância do rapaz...

... mas aqueles rapazinhos do Bairro da Bela Vista dedicam-se a roubar e agredir para arranjar dinheiro para dar aos paizinhos para comprarem sopas e legumes?

Fora de Contexto: Musica nova! Com pedido de desculpas aos leitores, porque a música é absolutamente fantástica!

Dizem que é o Festival da Juventude... (com Adenda)

É neste fim de semana. A minha opinião é esta. Mas espero estar enganado e que tudo corra bem. O que é bom para a cidade, é bom para todos os bejenses!

Adenda: Não me tinha apercebido do preço dos bilhetes. Oito e nove Euros por dia. Curiosamente é mais 50% do que para a Ovibeja e agora não aparecem queixas nos comentários! Porque será?

100 razões para amar Beja - 67

Acredito piamente na máxima mens sana in corpore sano, com o sentido que hodiernamente se ofereceu à expressão, bem diferente da conjuntura sátira que esteve na mente do poeta romano Juvenal.
Nunca vi a prática desportiva como uma forma de bajulação do corpo, numa patética época onde todos temos de ser Adónis. Até porque tenho prazer nos vícios que me estragam o corpo mas alegram-me a mente. E irrita-me um pouco esta mania de que todos os corpos têm de ser Danone, até porque confesso não ser grande apreciador de iogurtes. Mas gosto de sentir paz interior. E acho que a prática desportiva nos oferece um inestimável equilibrio anterior.
No meu caso concreto, consequência de ter uma carcaça semi podre, furtaram-me o prazer de jogar futebol e roubaram-me a possibilidade da bicicleta, pelo que sou obrigado a desenrascar-me na pequena piscina coberta quase aquecida.
Mas tenho o privilégio de viver numa cidade que oferece excelentes condições para o desporto informal. De certo modo, algum bafio que encontramos nos clubes desportivos tradicionais é compensado com a prática de desporto ocasional.
É verdade que a mata e a ciclovia que acompanha a variante foram oferta dos alemães, mas com mais ou menos imperfeição o espaço tem mantido a sua integridade e acho muito saudável que com o bom tempo largas centenas de bejenses usem estes espaços para cuidar do corpo, refrescando a mente. Como sublinho que alguns mini-campos desportivos que surgiram no último mandato (apesar de um deles estar envolvido numa estéril querela) podem ser importantes para reforçar as condições para incrementar a prática desportiva. Como merece o maior aplauso deste que vos escreve, as manhãs desportivas no Parque da Cidade, onde sem custos para o utilizador, dois ou três professores colocam os habitantes da cidade a fazer desporto, misturando pessoas de todas as idades e condições, numa muita salutar comunhão com a natureza. Sem duvida algo a saudar e que se deve manter e reproduzir!

Senhores da Noite..

Chamam-se Senhores da Noite, são bejenses e fazem um humor diferente: passe por lá e vá rir um pouco.

segunda-feira, maio 11, 2009

Estou chocado...

Lembram-se disto? Eu apenas vi a parte final dos acontecimentos. Esta manhã no café é que me contaram o resto. É ainda pior do que pensei! Estou sem palavras! Nem consigo contar..

100 razões para amar Beja - (esclarecimento e balanço)

Comecei esta aventura insana de catalogar 100 razões para amar Beja, nos primeiros dias de Janeiro. Muitos desconfiaram que seria capaz de acabar esta empreitada. Mas ninguém duvidou mais do que eu! Mas por vezes sou mula que nem um teimoso, pelo que, com mais ou menos dificuldade, vou levar até ao fim esta quase missão.
Hoje começa a ultima parte! Em que regresso às mais belas razões para amar esta complexa cidade, que primeiro estranha-se e depois entranha-se. Ou não! Não é?

sábado, maio 09, 2009

Porque o Verão está a chegar...


... resolvi ir fazer umas comprinhas, uma roupa mais condizente com os dias de Sol e calores..

Vénus ao espelho, por Rubens



Peter Rubens é um pintor flamengo, contemporâneo de Rembrandt com quem teve uma interessante dialéctica espiritual. Filho de uma família aristocrática, viveu de muito perto toda a complexa querela religiosa do século XVI.
Provavelmente o mais importante nome do Barroco, foi um artista da corte (ou de várias cortes) pintando para grande parte dos príncipes da velha Europa e para a Igreja.
Os seus quadros caracterizam-se por as suas dimensões monumentais, porquanto visavam preencher as casas senhoriais do seu tempo, numa época de arquitectura grandiosa, com salas imensas e paredes imensamente altas.
Consequências do seu sucesso, Rubens é obrigado a contratar um enorme conjunto de jovens pintores, os verdadeiros artifices dos seus quadros, deixando para o mestre a parte final, a famosa pincelada que transformava um quadro num Rubens. De certo modo, estamos perante uma espécie de revolução industrial na pintura, numa fábrica artista em que Rubens vestes as peles de estilista!
O quadro que partilho com o meu bom leitor, não será o mais representativo do autor. Mas permite-me dividir consigo as mulheres do barroco, a carne barroca das mulheres avantajadas que fazia a delicia do homem do pós-renascimento. Na tela, Venus desnuda prepara-se para um baile na corte, auxiliada pelas suas damas de companhia. Ao puritanismo da nossa era, em que a nudez é um bem apenas partilhado com a pessoa amada ou numa noite demasiado etilica, surpreende-nos que o corpo se exiba sem pudor, na sua graciosa intimidade.

sexta-feira, maio 08, 2009

Então...

... e esta fim-de-semana, o que há na Ovibeja?

Dizem que é sobre celulite...



Celulite. Eles não gostam? Azarucho!
Todos os dias ao sair de casa dou de caras com um anúncio que me deixa logo mal disposta até aí às três da tarde. É da clínica Persona e tem esta brilhante tirada publicitária: 'os homens não gostam de celulite'. É que, de facto, era este o argumento que me faltava para eu pôr fim à celulite que se instalou no meu rabo sem qualquer espécie de permissão. Eu até gosto de ter celulite, adoro! Faço os possíveis por ter sempre mais e mais... ah, mas espera lá, se os homens não gostam, então eu vou já pagar um tratamento de 3.000 euros na Persona para ficar sem celulite!! A sério, senhores que fizeram esta campanha, acham mesmo que este tipo de terror psicológico barato faz efeito numa mulher??? Se o anúncio dissesse 'mulheres com celulite não entram na Zara', aí sim, era ver-me a correr para a Persona, primeiras, primeiras! Agora, 'vejam lá se tratam disso que os homens não gostam', temos pena, mas não pega! Se formos a ver, também há muita coisa que as gajas não gostam, e nem por isso espalhamos outdoors gigantescos pela cidade. Sim, porque senão já estou a imaginar os possíveis anúncios: - ELAS não gostam de pilas pequenas; - ELAS não gostam de pêlos a mais; - ELAS não gostam do resultado de 'campeonato nacional+liga dos campeões+taça uefa+taça de Portugal'; - ELAS não gostam de sexo oral sofrível e insuficiente; - ELAS não gostam que cocem os tomates (muito menos em público); - ELAS não gostam (nem acham sexy) as barrigas de cerveja; - ELAS não gostam de tampas da sanita levantadas; - ELAS não gostam de ejaculação precoce; - ELAS não gostam que cortem as unhas dos pés em cima da mesa da sala; - ELAS não gostam de mãozinhas sapudas (e pouco hábeis); - ELAS não gostam das amigas deles e das ex-namoradas, essas, nem falar; - ELAS não gostam de slips nem de boxers com ursinhos; - ELAS não gostam de atrasados emocionais; Se os homens deste País se deparassem com estas publicidades, tentariam resolver algumas das questões apontadas? Não, pois não? Então deixem lá mas é a nossa celulitezinha sossegada e não nos obriguem a andar com uma régua na mala! Tenho dito!

Autora desconhecida