terça-feira, maio 24, 2011

Dizem que é uma espécie de seminário sobre crianças que levam porrada e mais não sei o quê!

Amanha, no Auditório do IPBeja vai decorrer o Seminário Crianças em Risco - Sinalizar Bem, Intervir Melhor - organizado pela Comissão para o protecçao de Crianças em Risco, numa parceria com a Ordem dos Advogados, IPBeja e CMBeja! 
Do que se lê no programa existe subjacente a esta temática uma lógica multidisciplinar, sendo que vai haver painéis com sociólogos, assistentes sociais, psicólogos, juristas, técnicos de saúde, força de segurança, enfatizando bem que esta é uma temática que exige respostas globais!
Há muitas e boas razões para amanhã ir assistir a este seminário, mormente a mesa redonda com que termina o dito cujo! Sublinho apenas a mais relevante de todas! Conhecer gajas! Se há aspecto positivo nestes eventos é o facto da sala estar cheia de gajas, algumas até são boas e, um tipo vai, faz uma cara de cão abandonado e passa por um tipo sensível, altruísta e preocupado com os dramas alheios! Pense nisso e apareça! As inscrições são limitadas mas a sala é grande que se farta!

14 comentários:

  1. Anónimo11:13

    LINDOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

    ResponderEliminar
  2. Anónimo14:07

    Excelente texto e excelente convite de participação!
    Como é possivel com um tema tão sério e tão melindroso como este, brincar desta forma que faz toda a gente sorrir e ao mesmo tempo pensar profundamente nesta problemática com a qual convivemos no nosso dia-a-dia e que por vezes nem nos apercebe-mos... FENOMENAL!

    ResponderEliminar
  3. Anónimo14:22

    Pronto: assim já vai parecendo uma abordagem multidisciplinar!!
    Qto à hora do evento...é um detalhe irrelevante, creio! Não se arranja um link para o programa (já que no site do IPB ainda não consta !?!)

    Obrigado.
    Cumps.

    ResponderEliminar
  4. Anónimo14:29

    Não se incomod, já tenho :)

    ResponderEliminar
  5. Dizem que começa às nove da manhã! Mas nao sei onde anda o programa da coisa!

    ResponderEliminar
  6. Anónimo14:45

    É só googlar!!

    ResponderEliminar
  7. Anónimo15:29

    Vejam o programa aqui no site oficial da UEvora:

    http://www.uevora.pt/divulgacoes_externas/crianca_em_risco_sinalizar_bem_intervir_melhor/(op)/print

    Participa na orhanização o IPB e não faz a divulgação no seu site oficial, cada vez mais ridiculo este instituto...

    ResponderEliminar
  8. Anónimo17:16

    Não sei se a culpa é do IPB, ou da má organização do evento!

    ResponderEliminar
  9. Que país é este aonde já não se pode dar um enxerto de porrada num filho.
    Que saudades de antigamente aonde um gajo chegava a casa lixado do trabalho e enxertava os putos, a mulher e o cão e no meio ainda bebia duas minis.
    Agora nem há trabalho nem se consegue dar um enxerto em ninguém porque começam-nos logo a ameaçar com a polícia e ainda temos de levar o cão ao psicologo.

    ResponderEliminar
  10. Anónimo20:05

    Pikas, vai pro caralho machista dum raio...

    ResponderEliminar
  11. Anónimo23:59

    Já me tinham falado de si, mas só hoje o conheci no seminário e adorei a forma como conduziu a mesa redonda! Excelente! Apenas um reparo: que pena ter começado tão tarde e ter fugido a meio!

    Os meus parabéns e faça mais coisas destas!

    ResponderEliminar
  12. Boas...pouquissimas eram e muito menos o foram...não houve azimutes dignos de P.I. (Ponto de Interesse) para registar no GPS (Global Positioning System)

    ResponderEliminar
  13. Foi complicado para inexperientes em organização de eventos deste nível a logística do mesmo. Infelizmente tivemos que fechar o programa na 2ª feira anterior ao mesmo se não ainda agora o estaríamos a mudar e como tal tivemos pouco tempo para divulgar o programa, mas o evento em si começou a ser divulgado há muito (no facebook, no pavilhão da CPCJ na Ovibeja).
    Enviamos para todas as universidades e politécnicos do país a divulgação do evento, não sei o motivo pelo qual o IPB não o colocou no seu site...... Estamos disponíveis (CPCJ) para toda a critica, construtiva, como deve ser a critica.
    H: Infelizmente quem está no terreno é maioritariamente do sexo feminino mas já há muito homens a trabalhar nesta temática no seu dia a dia (na CPCJ, na GNR e na PSP, sem falar com os técnicos de saúde)

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!