domingo, julho 03, 2011

O verdadeiro ilegítimo gaspacho!

Por algumas coisas podia ser verão todos os dias! E não falo pelas malucas semi-nuas: é mesmo pelo doce prazer de comer uma sardinhada com gaspacho! Porque quem mora numa casa com cozinha interior tem de proibir a entrada a sardinhas assadas, vou ensinar o bom leitor a fazer o verdadeiro ilegítimo gaspacho, uma espécie de gaspacho ibérico!
Os ingredientes são os ingredientes do gaspacho, como é óbvio! Se não levasse os ingredientes do gaspacho, não era gaspacho! Começo por cortas os tomates - não me refiro aos seus, obviamente -, o pepino - (não me refiro ao do seu companheiro, esclareço), o pimento, a cebola e coloque tudo a namorar numa tigela grande! 
Depois, vire ao contrário a tábua onde cortou os legumes que provavelmente está húmida... e corte o pão alentejano duro em quadrados de meio centímetro! Repito! Meio centímetro! Porque se for mais ou mesmo menos, é absolutamente igual!
Tempere os legumes com azeite alentejano a vinagre a gosto! Se não gosta de vinagre, ponha pouco, mas coloque, porque um gaspacho sem vinagre é como um homem sem cornos! Depois de bem temperado junte água estupidamente fria - eu como sou florzinha, coloco água do Luso - e umas pedras de gelo!* E cubos de presunto! Sim! Os cubos de presunto são imprescindíveis no gaspacho! 
Depois é servir! E acompanhe com companhia!


* o atrasado mental que pariu estas linhas, esqueceu-se do mais importante! Passe pela varinha mágica parte deste preparado com alguns tomates! E junte!

5 comentários:

  1. Anónimo17:57

    Viagra e Prozac

    a diáspora dos baixos alentejanos
    Sempre que tento inventar uma "rubrica" para o blogue dá estrume! Falta-me a capacidade para me algemar a mais vínculos: há muito que decidi escrever aqui no calor do sentimento, sem ficar preso a estilos ou compromissos, sem ter outra obrigatoriedade que a obrigação de escrever! Que é quase sempre prazer! Tantas vezes um reencontro!
    Mas há algo que há meses tinha em mente! E estranhamente não inclui mulheres desnudas ao maminhas saltitantes!
    O que tenho em mente é algo como um apelo aos alentejanos na diáspora, abrir o blogue aos bejenses que andam algures por aí, por esse mundo confuso e estranho, um convite para escreverem umas linhas sobre as suas vivências, o seu quotidiano, as suas saudades, os seus desejos, aquilo que a caneta e a consciência lhes apetecer colocar no papel!
    Hoje lanço o repto, que é igualmente um pedido aos leitores, para que o façam chegar a quem está longe! Porque poderá ser uma coisa gira! Quem quiser participar, dar sugestões, mandar-me à merda, use o mail do blogue: ireflexoes@gmai!

    ResponderEliminar
  2. Anónimo01:52

    Tb pode fazer as sardinhas em casa. Asse-as no forno em cama de sal e cobertas tb por sal. Ficam excelentes e o cheiro não é muito intenso.

    ResponderEliminar
  3. Têm-me dito isso.. e tenho ponderado experimentar!! Tem bom aspecto!
    Obrigado!

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!