domingo, julho 24, 2011

Uma pequena interrupção para algo que dito por outra pessoa podia ser interessante!

Gosto do programa Erasmus! Aconselho os meus alunos a irem de Erasmus! Apesar de lhe chamar programa orgasmus e estar convictamente convencido com convicção de que, na maioria dos casos, numa perspectiva académica, o programa é um longo manto de trampa! Porque demasiadas vezes o erasmus é usado para fazer indecentemente cadeiras atrasadas com notas obscenas! Mas tal como as mulheres, apesar de todos os seus defeitos e imperfeições, experimentar o programa erasmus é algo transcendente! 

Há muito que penso isto e cada vez mais estou certo da verdade da minha premissa: viver, pelo menos um ano, fora do País, numa cultura diferente, com gentes diferentes, com outros sons, outras vozes, outros cheiros, deveria ser obrigatório! Se nos determos nos currículos de mais excepcionais portugueses, vamos descobrir que têm em comum uma vivência no estrangeiro! Pessoalmente, cada vez mais, sinto essa urgência, essa necessidade de colmatar um vazio que as viagens são impotentes para preencher! Abominava ter agora menos 15 anos, mas, se os não tivesse, por todas as razões e mais algumas, eu seria um erasmus também! 

11 comentários:

  1. Anónimo15:15

    Beja já tem comboio para Lisboa!!!

    ResponderEliminar
  2. acho que não há grandes razões para comemorar!

    ResponderEliminar
  3. Anónimo15:56

    Então??...automotoras novas e tudo...

    ResponderEliminar
  4. Parece que o preço é tudo menos competitivo! E o facto de não se ter electificado a linha... a médio prazo será trágico!

    ResponderEliminar
  5. José Filipe Murteira16:54

    Automotoras "novas"? Por muito que a CP tente disfarçar, com limpezas e pinturas, as manchas de sujidade nas janelas dão-lhes um ar de terceiro mundo, incompatível com a nova ligação "Intercidades" Beja-Casa Branca que nos quer impingir.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo21:47

    O post é sobre o intercidades?! :)

    ResponderEliminar
  7. Anónimo22:00

    é fascinante conhecer outros lugares, outros costumes, outras gentes mas, principalmente, pela redescoberta que fazemos de nós próprios: as novidades que incorporamos, os velhos hábitos e rotinas que revalorizamos!!

    estar longe faz-nos perceber a que lugar, afinal, nos sentimos pertencer... e é por isso que há "viagens que são impotentes para preencher" certos vazios...aqueles que nós próprios transportamos e que só interiormente os poderemos colmatar...

    ResponderEliminar
  8. Anónimo16:36

    Olá!!

    Também existe um programa de mobilidade para docentes. Já pensou nisso?

    Informação aqui:

    http://www.proalv.pt/
    e
    http://tinyurl.com/3w9k9gw

    LF.

    ResponderEliminar
  9. Anónimo21:09

    Oh Huguinho «se nos determos»? Ai ai ai ...

    ResponderEliminar
  10. Sem dúvida que viajar é lutar contra esta pequenalidade. Quanto mais melhor.

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!