quinta-feira, julho 14, 2011

Swallows The Poison Apple, por Paula Rêgo


Olá! Gostava de te lançar um desafio!
Como apreciador de arte, gostava da tua opinião sobre as obras de Paula Rêgo. Considero-a um ser à parte...como quase todos os artistas, de resto. Mas ela, exerce sobre mim um fascínio avassalador. Não percebo nada de arte, não tenho qualquer capacidade de analisar as técnicas dos pasteis, dos acrílicos ou das aguarelas...apenas me deixo invadir por sensações grotescas quando observo algumas das suas obras. Acho incrível a semelhança entre que ela pinta e o que Freud teoriza...admiro a mistura de personagens míticas, baseadas em romances e contos de fadas, mas tantas vezes reais. A coragem de tocar na ferida, de mostrar o que o mundo tenta e tentou esconder durante séculos. A repressão feminina, numa sexualidade vivida tantas vezes em gritos silenciosos. A cara de fetos abortados e escondidos num mundo hostil quase perverso da condição humana. Subterfúgios emaranhados nas entranhas da vida em que animais se transformam em seres humanos; em que bailarinas ensaiam passos desconcertados em corpos rudes e gastos pelo calor de trabalhos pesados.
Fico a pensar se este não é também um lado perverso meu escondi, enraizado e recalcado :) 

Post Scriptum: quando tudo já foi dito, resta o silêncio de quem já nada pode acrescentar..

4 comentários:

  1. Anónimo00:18

    Há sempre algo a dizer de uma obra fantástica como esta.
    Abuso,rebeldia da mulher sofrimento e solidão caracterizados por um realismo de cores movimentos e expressões que a tela nos transmite

    ResponderEliminar
  2. Anónimo00:22

    "temos pena": não gosto mesmo nada das Obras de Paula Rêgo, nem da casa a que dá o nome.

    Mas ainda bem que outros pensam exactamente o contrário!

    ResponderEliminar
  3. Anónimo00:30

    Paula Rego vive muito afrente as suas obras retratam a verdadeira realidade sexual social.
    E mais não digo :)

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!