quinta-feira, dezembro 10, 2009

Dizem que é uma espécie de crónica de natal...

Não tem especial interesse para o ouvinte da Rádio Pax, mas inauguro esta crónica com uma confidência: estas palavras são sempre escritas nas tardes de terça-feira e gravadas imediatamente antes ou depois do programa Conselho de Opinião. Dizem-me que a inspiração nos deve apanhar desprevenidos e apenas escrever quando nos sentirmos iluminados: mas a retórica apenas é bonita quando não comparada na prática e a experiência ensina que quem tem uma vida ocupada, precisa de ser rigoroso na gestão do seu tempo!
Quando acordei na manha de quarta, sem que a crónica estivesse feita, tinha resolvido não a fazer e ligar a meio da tarde para o António Lúcio informando-o desse facto. Mas pesou-me a consciência por faltar a um compromisso, pelo que decidi escrever sobre simples e óbvio, uma qualquer trivialidade. E porque vos falo em meados de Dezembro, pareceu-me que o mais indicado seriam umas banalidades sobre o Natal. O que sejamos honestos, é algo que não fica bem a este que vos fala, porquanto assumidamente não conseguiu achar graça a esta época do ano. Não que tenha traumas de Natal ou fique deprimido a pensar na virgem que teve o menino: apenas me irritam os dias de festa, aqueles que por obra e graça de um reles calendário sentimos a obrigação de estar felizes e bem dispostos!
Tento não ser cínico, mas não consigo entender esta coisa dos presentes de Natal. Até entendo que se reúna a família e se coma bacalhau, não tenho preconceitos contra os doces da época, mas por mais que me esforce, não entendo esta coisa dos presentes! E não pense que se trata de ser forreta, até porque, acabo por chegar a meio do mês e oferecer algumas cosias aos que mais amo! Mas ir um dia com os sobrinhos às compras e gastar um disparate de dinheiro para enche-los de coisas desnecessárias, faz de mim um tio mais carinhoso, a prova não provada de que os amo mais que muito?! Serei um melhor ser humano por comprar por atacado meia dúzia de livros e distribui-los pela família?
Até admito que possa existir esse estranho conceito do espírito de natal: que por estes dias, tenhamos a capacidade de roubar uns minutos ao nosso egoísmo e pensar nos outros, especialmente naqueles que não tem a sorte e a fortuna de os meios indispensáveis de subsistência, aqueles a quem as tempestades da vida roubaram a capacidade de sorrir! Mas não me venham com a treta dos presentes de natal, com a esfarrapada desculpa de que oferecer um presente comprova que se pensou na pessoa!
Porque se há espírito de natal, este não pode traduzir-se no acto egoísta de oferecer uma coisa qualquer para tranquilizar a nossa consciência, para cumprir pseudo valores sociais: se quer dar uma prenda de natal, ofereça o seu tempo, tire o relógio do pulso e ofereço uns minutos da sua semana aos outros, especialmente aqueles que sofrem da mais cruel doença do século XXI: a solidão! E se acredita mesmo no espírito natalício procure não esquecer que mesmo nesta sociedade egoísta e consumista, as cosias mais importantes na vida, continuam a não ter preço!

6 comentários:

  1. H, Sr. Agnóstico assumido, na verdade, mesmo que de forma inconsciente, vive a essencia do Natal na sua plenitude. O Natal não são a troca de prendas que se compram nas lojas, o Natal é muito mais do que isso. O Natal é a celebração do nascimento de Jesus Cristo ou se preferir o Deus feito Homem. O nascimento daquele que mais nos amou ( e ama - para quem acredita na ressurreição). Aquele que que nos pede que nos amemos uns aos outros como Ele nos amou( e continua a amar). Sempre que dá um pouco do seu tempo aos que vivem na profunda solidão (basta ir um dia a um lar para ver que são muitos os que lá estão depositádos e esquecidos)está a amar; sempre que sorri a alguem que está triste, está a amar; sempre que dá uma esmola a um pobre, está a amar. Isto sim, é Natal.Não é por mero acaso que dizemos muitas vezes: "o Natal é quando o Homem quizer".
    Já agora aproveito para lhe desejar um bom periodo de Advento.

    ResponderEliminar
  2. Noctivaga: eu vinha dizer exactamente o que disse,mas não tão bem!!
    O Natal serve de pretexto para muitos justificarem o seu espirito consumista, entre outras coisas...
    Descubra o advento!

    ResponderEliminar
  3. Euzinha de cá memo20:48

    O mais estranho, além da patetice das prendas "de natal" ( ai estas peúgas tão quentinhas para o avô Bonifácio, a mantinha polar "made in china" para a avó Maria, ai ai ... que stress ... será que a tia Quitéria vai gostar deste jarrinho ... ainda falta a prenda da afilhada da prima Joana ... como é que a pequena se chama? Ai ai que não me lembro ... mas é tão quida, tão boa menina ... com estes collants ás risquinhas deve ficar mesmo gira ...) é o facto de tanta gente que, durante o ano inteiro, não põe os pés numa Igreja nem frequenta a Santa Missa Dominical ( ai mas sou católica "não praticante"!!!) comemorar um FERIADO RELIGIOSO do Nascimento de Jesus Cristo e, nos reatantes (Corpo de Deus, ...) se "cagar" na religião e bazar para a praia.

    Vejam lá não apanhem a gripe dos bacorinhos com tanta gente junta no Modelo* cá do burgo.

    *mascarado de Continente, prontos!

    ResponderEliminar
  4. Raquel: "Para justificar o seu espírito consumista"? Hás-de experimentar ir a uma grande superfície em janeiro...Consumistas são todos a toda a hora, o que diferencia do Natal é só uma questão de ambiente marketingcista e um dia em que é feriado e os putos estão todos de férias, para além das ruas estarem replectas de lixo. Para mim o Natal é o jantar, o filme da madrugada e o passeio pela rua às 8 da manhã com as meias que a avó fez questão de oferecer (nada melhor que um passeio por uma cidade fantasma). E é isso o Natal para mim. Não é o melhor que se tem, mas também não é pior. Papa-se.

    Bom Natal (e isto também)

    ResponderEliminar
  5. Hewitt:
    então...em Janeiro ainda vão comprar o resto que não conseguiram comprar em Dezembro...LOL (estamos de acordo)

    AS meias oferecidas pela avó e passear com elas calçadas, numa cidade fantasma....é o melhor que se tem!!!
    Bom Natal (para ti tambem)

    :)

    ResponderEliminar
  6. In some cases Viagrais the best solution
    Viagra Alternative
    viagra no prescription the popular insomnia relief,
    viagra without prescription
    here you can find Viagra the best solution for ED treatment ,
    Viagra every 6 hours every day. Buy Viagra

    yes or no Viagra

    There are many online pharmacies were you can find

    Viagra
    online and prices will be much cheaper
    , Generic Viagra more over you can always Viagra On the street, Viagrafor money to
    Buy Viagra Online is the best.viagra no prescription

    In adition you can use Cheap Viagra you can buy Cheap Viagra online yes now you can buy Cheap Viagraor you can look for

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!