quarta-feira, fevereiro 10, 2010

Diário do Alentejo

De acordo com a Rádio Pax "o Conselho Directivo da AMBAAL quer encontrar uma novo director para o Jornal entre os jornalistas que compõem a redacção. Nesse sentido vão ser efectuadas entrevistas. O júri é composto por autarcas de todos os partidos".
Pessoalmente, mantenho tudo o que aqui escrevi!

61 comentários:

  1. Anónimo00:27

    E as entrevistas são na Rádio Voz do Município (entenda-se Rádio Pax)? ;)

    ResponderEliminar
  2. Com tanto tacho que os anónimos prevêm que o H come, estou mesmo a ver que vão aqui prever mais um!!
    Quanto apostam??
    Mas atenção, comer do tacho engorda, mesmo que seja tudo feito em crú.( os cozinheiros percebem)
    Com tanto tacho que dizem que ele come, já não deve caber na cadeira do gabinete da faculdade. A sorte dele, é que pode dar as aulas de pé.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo10:30

    A maioria dos comunistas sao a coisa mais estupida que conheço a face da terra, porque nao vao para a Venezuela, Coreia do Norte e afins.

    ResponderEliminar
  4. Mais um comentário imbecil!
    Isso soa a xenofobia ideologica

    ResponderEliminar
  5. @anónimo - Como consta da notícia, as entrevistas vão ser feitas por autarcas de todas as forças políticas! A isto chama-se transparência!
    Outros, optaram por escolher um seu menino de recados; a nova Direcção optou por uma forma transparente de fazer as coisas!
    Quem tem bom senso, aplaude!

    ResponderEliminar
  6. @aninhana - perdi mais um! Sinto-me a desesperar!!!
    Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  7. Anónimo11:31

    Mais uma vez Pulido Valente e sus muchachos denotam falta de coragem política e um perfeito desenquadramento com a realidade dos factos. É evidente que o Diário do Alentejo necessita de um director forte, bom profissional,experiente, de reconhecido mérito e isento. E essa pessoa tem que encontrada fora do quadro do jornal. Pulido velente tem medo de dar esse passo porque das duas uma: ou escolheria alguém, tipo António José Brito, que lhe lanbesse as botas, e que acabaria por fazer resvalar o jornal para o pantano político onde se vem arrastando.Ou alguém tipo Carlos Júlio, em quem não tivesse mão, e com o qual o PS não riscaria nada. A solução interna é uma solução pobre e fraccionante. Não pela qualidade dos jornalistas (uns são bons e outros assim-assim), mas pela solução em si. É como se o Sporting quisesse equilibrar as coisas despedindo o Carlos Carvalhal e pedindo ao Moutinho ou ao Liedson para treinarem a equipa. faz sentido? Não Faz! Depois, a chegada de uma cara nova acrescenta sempre massa crítica a um jornal, dá-lhe um novo ânimo, uma nova vida, uma certa esperança. A solução agora encontrada é a mais catastrófica de todos os tempos: servirá para dividir a redacção, para manter as coisas mansinhas e, para levar esta publicação para o abismo que é, afinal, o que o PS pretende. Para depois, quem sabe, vender barato um activo que é valiosíssimo.

    ResponderEliminar
  8. Se certas pessoas não acham que esta seja a forma verdadeira e correcta de fazer, colhavemos de fazer ? - Mas ainda existe alguém que se preocupe com esta maneira deles analisarem os assuntos ? Eu , por mim cago-me neles até porque sei que eles são tão escuros e do contra que são capazes de dizer que o preto é branco e vice-versa só para chatear a cabeça aos outros.Que falta faz esta gente a uma sociedade que se quer evolutiva ?!!

    ResponderEliminar
  9. @anónimo - Devo entender, que o correcto era ir a Mértola contratar o anterior chefe do gabinete de propaganda?!

    ResponderEliminar
  10. Anónimo11:47

    Estes comunas andam doidos! Depois de toda a merda que fizeram no Diário do Alentejo, agora a culpa é do Pulido! Haja Vergonha!

    ResponderEliminar
  11. Anónimo12:00

    H. Denota alguma ignorância da sua parte não conhecer o Carlos Júlio. Também não sou eu que lhe vou dizer. Informe-se. Não entendo o alcance do "chefe da propaganda de Mértola". Digo-lhe é que o DA necessita de um director forte e isento e tal é coisa que não há entre-portas. E repeito: o Pulido é mole, não tem coragem para entrar com os poderes instituidos. seja no DA, no Pax Júlia, no GIRP, no Lar do castelo, no Dep. Técnico...

    ResponderEliminar
  12. Não haveria possibilidade de se criar uma espécie de "conselho consultivo" com 5 a 9 membros que nomeasse o director e fiscaliza-se o seu trabalho?

    Seria com certeza uma solução mais duradoura e que daria outra força ao jornal, á redacção, e ao director! Que assim não estariam expostos às alterações na conjuntura de forças na AMBAAL. Nem ninguém poderia vir dizer que este não seria isento se este conselho fosse bem constituído.

    Qualquer coisa do tipo; 1 escolhido por cada partido com assento na AMBAAL, outro escolhido pela redacção, e um escolhido pelo presidente da AMBAAL… ou qualquer outra solução que permitisse uma conjugação de forças que favorece a qualidade do jornal e não um aproveitamento politico do mesmo.

    Ou até mesmo escolhidos por entidades externas á politica...

    ResponderEliminar
  13. @anónimo - por acaso até acompanho sempre com muito interesse o que escreve no Cinco Tons, pelo que, não percebo a sua afirmação!
    Sobre o DA reitero: era crucial a transparência! Pessoalmente sempre me pareceu que o Paulo Barriga daria um excelente Director, mas sobretudo, era crucial que o escolhido não fosse um menino de recados!
    No DA há pessoas competentes e merecem uma oportunidade!

    ResponderEliminar
  14. Anónimo12:19

    Insisto: a solução agora encontrada é a pior possível. É má para as relações internas.E é péssima quanto à abertura do jornal á sociedade e para o seu futuro. É necessário ter coragem para mudar o que está mal e isso parece não estar a acontecer. O Carlos Júlio, como já referi, seria uma escolha madura. O Paulo Barriga também. Mas há outras alternativas para fazer do DA um jornal sério, profissional e verdadeiramente idependente.

    ResponderEliminar
  15. @anónimo - respeito! E como deixei claro, a minha escolha era outra!
    Mas reconheço que a transparência ficou a ganhar, pelo que aplaudo a solução e dou ao próximo director, não apenas o benefício da dúvida, como me disponibilizo para ajudar!
    E, sem a menor dúvida, a solução actual é infinitamente melhor que a antiga!

    ResponderEliminar
  16. Anónimo12:25

    Não concordo! jogar ao poker para escolher um director é a pior solução possível para um jornal. Ainda para mais quando os jogadores são arregimentados políticos, ainda que de diferentes forças. Isto não pode ser uma roleta. O que me parece é que o director que for escolhido será sempre mais tenro que os anteriores.

    ResponderEliminar
  17. É a sua opinião! Antagónica ao que penso!

    ResponderEliminar
  18. Anónimo12:45

    cheira-me que alguns destes anónimos sejam jornalistas do DA...

    ResponderEliminar
  19. MARIA DE FLORES13:58

    Com o distanciamento que me permite o facto de me posicionar á direita do PS , embora tenha votado em JPV , manifesto o meu total acordo quando é referido que esta situação se deve em grande parte á falta de coragem politica.Caso esta e outras situações , em que é necessário pegar o touro pelos cornos , se arrastem, vamos infelizmente ver a máquina do PC a triturar JPV.Já imaginaram o que será um "comité de comissários politicos " a entrevistar os Jornalistas do DA , para de entre eles escolher um Director ???? Perfeitamente Surrealista .É altura de JPV "meter " o dialogo na gaveta e AGIR.

    ResponderEliminar
  20. @Maria - é consabido que sou bem mais à Direita que JPV: mas acho que medidas destas aumentam a qualidade da democracia! E como Beja precisa...

    ResponderEliminar
  21. Anónimo14:56

    De uma vez por todas: esta medida não aumenta a qualidade da democracia. As eleições, sim. As propostas de campanha que são sufragadas, sim. A coragem política dos eleitos e a sua visão da sociedade e do mundo, sim. Agora não se pode andar constantemente a fazer sufrágios para cada uma das medidas que urgem ser tomadas. As pessoas já votaram na mudança. Já deram carta branca ao Pulido e ao seu fraco executivo. Agora têm que agir! para o bem e para o mal. Têm que ganhar coragem política. Têm que ousar! Têm que contribuir, também eles, para a mudança. Coisa que sinistramente não está a acontecer. Esta Câmara e este presidente estão a cultivar o imoblismo, estão a preservar os maus costumes do PCP. E no que se refere ao Diário do Alentejo, estão a limpar a água do capote. É uma vergonha!

    ResponderEliminar
  22. Anónimo14:59

    Já imagino a legitimidade com que ficava o director do DA que foi escolhido por um bando de papalvos das camaras. Isto són pode set uma piada de mau gosto

    ResponderEliminar
  23. Discordo de ambos: mas discordar é saudável!
    Era importante evitar comissários políticos e desta forma consegue-se!

    ResponderEliminar
  24. @anónimo - Não sei se serão jornalistas do DA: parece-me mais alguém que pretendia o lugar...

    ResponderEliminar
  25. Anónimo15:20

    evitam-se comissários políticos deixando que os própios políticos escolham um novo director através de entrevista directa? Bolas, bolas. Ainda se fosse um concurso público, e mesmo assim... O futuro do Diário do Alentejo é a privatização.

    ResponderEliminar
  26. @anónimo - Há anos que defendo a privatização do DA!
    Quanto ao resto, se a escolha for consensual entre autarcas de TODOS os partidos, só por má fé se pode falar em comissário político!

    Uma nota: para quem defende que o drama do DA é uma questão de conteúdo, o método de escolha pode ser infeliz; para quem entende que o maior problema é a falta de transparência, tem de estar satisfeito! Porque o ultimo ano do DA envergonhou a cidade e a região!
    Dixit!

    ResponderEliminar
  27. "O Diário do Alentejo esteve em cima da mesa. O Conselho Directivo da AMBAAL quer encontrar uma novo director para o Jornal entre os jornalistas que compõem a redacção. Nesse sentido vão ser efectuadas entrevistas. O júri é composto por autarcas de todos os partidos." (Rádio Pax)

    Estou mortinho para saber o "modus faciendi" desta inaudita, brilhante e salomónica solução. Vejamos algumas "dúvidas" procedimentais:
    1- Todos os jornalistas do "DA" são nomeáveis para o cargo de director? Ou só os que possuem carteira profissional? Ou só os que possuem estágio profissional na ex-URSS? Ou só os que servem "imperiais" na Festa do Avante!?
    2 - Sendo o "prémio" ou promoção aplicável a todos os jornalistas do jornal, torna-se obrigatório que eles sejam candidatos ao mesmo, ou o patrão AMBAAL pode dispensar os que não estejam interessados em tal?
    3 - Como é que os jornalistas do "DA" se devem preparar para a entrevista? Existe um edital com os critérios de avaliação? Guias de aprendizagem e sebentas com textos de apoio para estudo? Provas físicas? Provas de resistência mental? Provas de ortografia? Provas de delação? Provas de desistência em favor de...? Uma redacção sobre o "dia da mãe"? Ponderação entre a idade do candidato e análise curricular?
    4 - Como é que o "juri",composto por autarcas de todos os partidos", se vão preparar para entrevistar, julgar e decidir o jornalista do "DA" mais e melhor habilitado para ser director? Vão tirar um curso de jornalismo online só com 20% de aulas presenciais? Vão seleccionar os três candidatos mais votados para uma final onde são obrigados a cantar em português? Vão um fim-de-semana para um retiro espiritual e juntar-se por famílias partidário-ideológicas para cozinharem acordos sacanas, tipo "expulsões" e "nomeações" à la Big Brother?

    A única resposta decente a esta palhaçada é a que se espera vir de todos os jornalistas do "DA" em bloco: RECUSAREM-SE ISTO! NÃO SE SUJEITAREM A ISTO! NÃO SE DISPONIBILIZAREM PARA ISTO!

    ResponderEliminar
  28. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  29. Anónimo15:48

    H, já fiz quatro ou cinco postagens neste blogue, sob anonimato, defendendo a falta de coragem ou de ideias políticas para uma solução para o Diário do Alentejo. Não sou nem jornalista da redacção, nem candidato a director. É verdade que sou de Beja, onde nasci em 1980, é verdade que estudei jornalismo em Coimbra e que estou a finalizar a minha tese de mestrado em imprensa regional, mas também é verdade que já estou fora há muitos anos. Vivo em Évora e é por aqui que costumo frequentar os blogues. Por isso, e pelo conhecimento pessoal que tenho com a pessoa e o profissional, sugeri o jornalista Carlos Júlio para director do Diário do Alentejo. Volto a dizer que é uma melhor solução para o problema do que a palhaçada das entrevistas ao pessoal da casa. Tentei expor com a máxima pertinência o meu ponto de vista, não consegui. Acho que a política vos cega. Não tornarei ao tema.
    Carlos Jorge Janeiro Colaço

    ResponderEliminar
  30. Bem, eu acho que um jornalista e um bom jornalista pode ser um chefe de redacção, mas director... tenho as minha duvidas ( eu tb "acho").
    Vendo os outros jornais e grandes jornais .. vê-se que não são os jornalista que ocupam esse cargo.~
    Pelo menos aqui "pró" litoral é assim.

    Se ainda fosse jurista... ;)


    E concordo com o anónimo, vai criar mau ambiente entre colegas.

    ResponderEliminar
  31. Anónimo não, Carlos Colaço.

    ResponderEliminar
  32. Anónimo17:13

    oh H, eu não acredito que entre a opção de "poder" trazer alguém com mais experiência, fora do leque de jornalistas do DA e a "escolha" de um dos jornalistas da casa, o H prefira a segunda opção!

    qualquer BOM jornal privado optaria pela primeira hipótese, porque pode trazer muito mais benefícios!

    ResponderEliminar
  33. Anónimo17:24

    esta medida não é boa nem má. é antes uma MERDA. Isto porque a AMBAAL deverá querer demonstrar que (agora que já não é completamente dominada pelo interesse comunista) não seque pelos mesmos caminhos de outrora. Daí esta medida politicamente aceite.

    de qualquer modo, o Diário do Alentejo merece muito mais!

    ResponderEliminar
  34. @carlos Colaço - defendi no passado e mantenho, que a solução ideal seria concurso público! Como defendi e mantenho a urgência de mudar!
    Não tenho objecções com a escolha - que assumi que não era a minha - e aplaudo o facto de ser transparente e não incluir comissários!
    E é exactamente por a política cegar muitos, que aplaudi a decisão!
    Volte sempre, que faz falta espirito critico, ainda que as críticas se dirijam a mim!
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  35. AMRevez - Entendo o teu ponto de vista; mas com a data venia, penso que te faltou um aspecto: que alternativa propões?

    ResponderEliminar
  36. MARIA DE FLORES18:21

    Encontro-me ideológicamente nos antipodas de AMRvez mas nesta situação dou-lhe " a razanada " toda.A sua análise é pragmática , objectiva e realista. O DR-H que me desculpe, mas penso que está a ter uma visão um pouco " naif " desta situação.Estou totalmente de acordo que a solução mais válida seria óbviamente a privatização

    ResponderEliminar
  37. Maria - mantenho tudo o que disse: não é a ideal, mas é boa!
    Até posso ser naif, mas, fosse quem fosse o escolhido, seria o "Carmo e a Trindade" de acusações de favores políticos! Mas, reitero: respeito opiniões divergentes!

    ResponderEliminar
  38. @H,
    Alternativa? Tão simples que até chateia...:
    a) eleição do chefe de redacção por voto secreto, pelos seus pares.
    b) nomeação do director pela administração do "DA", a AMBAAL, de acordo com critérios de competência técnica e/ou capacidade de trabalho e/ou curriculo profissional/cultural/institucional.

    Porque, meu caro, se se parte do pressuposto de que a administração do jornal está condenada a nomear "comissários" político-partidários para a direcção do jornal, então, a escolha de um director de entre os jornalistas do "DA", resultaria, com grande probabilidade, na escolha de um "comissário político-partidário", pois alguns deles entraram para o jornal exactamente em função de critérios... político-partidários.

    Outra solução é a criação de um Conselho Consultivo da AMBAAL, o qual teria a incumbência de definir o perfil desejável do director do "DA" e escolher a pessoa mais ajustada a esse perfil.

    ResponderEliminar
  39. Revez - Eu até te entendo! Mas sabes melhor que eu o resultado que tem dado esses critérios de competência técnica...

    ResponderEliminar
  40. @H,
    Meu caro, então os autarcas de todos os partidos vão escolher um director de entre os jornalistas do "DA" segundo que critérios???
    Não será segundo critérios de "competência técnica"?
    Não me digas que será segundo critérios de "competência político-partidária"?

    Percebes como a solução anunciada é um embuste retórico?

    ResponderEliminar
  41. Revez - repito: ajuda a transparência e faz bem à democracia!

    ResponderEliminar
  42. Anónimo20:45

    Penso que a melhor solução para o problema, estará em alguém que até pode ou não ser jornalista, mas que não esteja nos quadros da redacção e será isenta.
    O novo director(a) deve ser uma pessoa independente e com muito conhecimento das realidades e não só um bom profissional, porque as " ratoeiras " são imensas !

    ResponderEliminar
  43. Então não é que desta vez concordo com o meu irmão. Algo de errado se passa. Hahahahhahaha. Acho que o problema reside precisamente na perspectiva que infelizmente existe sobre o que deve ser o DA. Quero quer que o DA deve servir a população do Alentejo e não os partidos eleitos nas Autarquias. Este debate sobre quem será ou deverá ser o futuro Director do DA, espelha o que de mais negativo existe na região. As preocupações politico partidárias sobrepõem-se aos verdadeiros interesses das populações. Será que não se consegue encontrar um jornalista competente, sem que este seja oriundo dos partidos e serviçal dos mesmos? A solução encontrada pela AMBAAL, deve ser a pior solução. Hugo, transparência ? democracia? Então as pessoas não votaram nos membros que constituem a AMBAAL para que estas tomem decisões. E imbuído desse espírito transparente e democrático, proponho que se tomem as mesmas medidas relativamente aos seguintes cargos: Director do Pax Julia, podem ouvir e reunir os agentes culturais do concelho e entre eles elegerem o director do Pax Júlia, Parque de Materiais da CMB, juntar os trabalhadores e entre eles elegerem o seu responsável, Centro do Lidador, etc , etc, etc

    ResponderEliminar
  44. @revez mano - A minha posição é clara e consta do link: e foi proferida há meses!
    Como também é conhecida a minha solução!
    O que digo e mantenho é que esta solução, não sendo a ideal (para mim!) é positiva! Especialmente quando comparada com o passado!
    Porque quando outros convenientemente se calaram, critiquei a ultima escolha, que teve os vergonhosos resultados que as pessoas de bom senso reconhecem!
    Não tenho obsessões politico-partidárias, mas conheço a cidade onde moro!
    PS - sobre a tua metáfora, nesse caso, o Director seria eleito pelo leitores e pelas empresas que fazem a publicidade!

    ResponderEliminar
  45. Anónimo22:04

    H - não dês troco a essa gente! Só ficavam satisfeitos se o Director fosse o Miguel Ramalho! (ou eles próprios!)

    ResponderEliminar
  46. Então não é que desta vez concordo com o meu irmão. Algo de errado se passa. Hahahahhahaha. Acho que o problema reside precisamente na perspectiva que infelizmente existe sobre o que deve ser o DA. Quero quer que o DA deve servir a população do Alentejo e não os partidos eleitos nas Autarquias. Este debate sobre quem será ou deverá ser o futuro Director do DA, espelha o que de mais negativo existe na região. As preocupações politico partidárias sobrepõem-se aos verdadeiros interesses das populações. Será que não se consegue encontrar um jornalista competente, sem que este seja oriundo dos partidos e serviçal dos mesmos? A solução encontrada pela AMBAAL, deve ser a pior solução. Hugo, transparência ? democracia? Então as pessoas não votaram nos membros que constituem a AMBAAL para que estas tomem decisões. E imbuído desse espírito transparente e democrático, proponho que se tomem as mesmas medidas relativamente aos seguintes cargos: Director do Pax Julia, podem ouvir e reunir os agentes culturais do concelho e entre eles elegerem o director do Pax Júlia, Parque de Materiais da CMB, juntar os trabalhadores e entre eles elegerem o seu responsável, Centro do Lidador, etc , etc, etc

    ResponderEliminar
  47. peço desculpa mas foi repetido. coisas da minha falta de jeito

    Hugo, não é uma metáfora. Entendo que o Pax Julia, é a casa dos criadores, dos agentes culturais.
    Anónimo, se se refere a mim quando diz essa gente, digo-lhe que não pretendo ser Director de nada. Relativamente ao Miguel Ramalho, também não o vejo a ser Director do DA. No entanto posso dizer que conheço o Miguel há alguns anos e que a minha opinião não mudou muito, ou seja tenho muito boa opinião a seu respeito, agora é muito fácil atirar pedras, principalmente sob o anonimato.

    ResponderEliminar
  48. Anónimo22:38

    "Esta mensagem foi removida por um administrador do blogue.

    15:39"

    ;)

    ResponderEliminar
  49. Revez mano - Eu percebi! Mas se quiseres aplicar o principio, a escolha não seria dos criadores apenas, mas também do público!!!

    ResponderEliminar
  50. @anónimo - mais uma oportunidade perdida! O comment que apaguei, era SPAM, publicidade de um tal Decartes que nas ultimas 24h me entupiu o blogue de SPAM (como pode ver em centenas de post!)
    Não apago post - excepto quando violam a lei e permitem responsabilizar juridicamente o seu administrador - porque gosto de liberdade de expressão e respeito o pensamento divergente, mesmo quando discordo do conteúdo ou acho indelicado! Desta vez já percebeu?!

    ResponderEliminar
  51. Anónimo00:52

    Somos assim! Eterna tendência para complicar 0 que parece simples e depois resulta inoperância, confusão e ineficácia.
    Então a direcçãoda AMBAAL não terá a legitimidade, a competência e a capacidade para nomear/contratar um director para o DA!? Imagine-se o que resultaria dum grupo constituido por comissários politicos, recadistas, demagogos e outros imbecis com o fim de selecionarem um director para o DA. Que arranjos e compromissos seriam necessários serem assumidos para esta gente chegar a uma conclusão. Assumam, isso sim e enquanto vem a privatização a responsabilidade de fazer do DA um jornal novo, moderno, saudável, isneto e imparcial.

    ResponderEliminar
  52. Anónimo09:03

    Moços, atenção que a filha do "independente" RL já foi oferecida .... à pois a "independêcia" tem os seus custos.
    Curriculum ... apontamentos e contactos para um programa da SIC e tem ligações ao funesto Carlos Figueiredo.

    ResponderEliminar
  53. Caro Revez, respeito a opinião que tem sobre o MR, mas deixe-me que lhe diga que discordo em toda a linha, pois tal como o antigo presidente, tem um defeito que considero perfeitamente dispensável num ser humano, a prepotência.

    ResponderEliminar
  54. Anónimo14:13

    Hugo, porque é que não assume que foi convidado para o lugar sem que no seu caso fosse entrevistado?!

    ResponderEliminar
  55. @anónimo amigo do RL - caso seja alguem que recorrentemente o cita aqui!
    Reitero o que lhe disse no passado: a pessoa em causa, não é leitor - tanto quanto sei- nem comenta este blogue, pelo que, provoca-lo aqui, é algo absurdo que o visado nem chega a saber!
    Sobre a filha, não conheço: não faço ideia qual a formação, a idade, se mexe bem, projectos, ideias, etc; apenas sei algo: ser filha, não a torna mais competente, nem faz dela incompetente!

    ResponderEliminar
  56. anónimo - Declaro, sob compromisso de honra, que NUNCA fui convidado pela Associação de Municipios para o lugar em causa!
    Mais! Quando o meu nome "circulou" fui claro em demonstrar a minha total indisponibilidade: dirigir o DA não faz parte dos meus projectos de vida!

    ResponderEliminar
  57. Anónimo16:01

    Em vez de andarem todos preocupados nesta discussão estéril de quem é quem e a quem é são afectos, pergunto:

    Não há nenhum ser vivo pensante nesta cidade que saiba ser isento e verdadeiramente competente?!

    Fonix, por mim podia ser o Pulido ou o Ramalho, desde que deixassem de pensar em nome dos respectivos partidos e pugnassem por um projecto valoroso e enriquecedor desta aldeia!

    A melhor coisa que tenho lido neste blog ultimamente foi a frase "A política cega-vos!"

    ResponderEliminar
  58. @anónimo - por acaso, concordo totalmente consigo!

    ResponderEliminar
  59. Anónimo23:00

    porque é que ninguém equaciona fechar fechar aquela porcaria,que foi, é, e ´só poderá vir a ser um pasquim ao serviço de quem poder mandar lá.
    Será possivel alguém considerar "aquilo" independente?, com mercado?, com futuro?.
    Aproveitem a opurtunidade e fechem aquela porra, que se poupa muito dinheiro a esta e ´`as gerações futuras.

    ResponderEliminar
  60. here you can find Viagra the best solution for ED treatment ,
    Viagra every 6 hours every day.

    ResponderEliminar
  61. here you can find Viagra the best solution for ED treatment ,
    Viagra every 6 hours every day.

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!