quinta-feira, setembro 24, 2009

No teu deserto, por Miguel Sousa Tavares

Nunca escondi a profunda admiração que nutro por Miguel Sousa Tavares! Admiração que, como o leitor bem sabe, é eufemismo para a mais abjecta e pura inveja! Sousa Tavares é um excepcional jornalista, provavelmente o mais lúcido dos comentadores políticos e escreve melhor do que ninguém no Portugal contemporâneo! Ainda por cima tem a profunda e deliciosa arrogância de assumir os seus vícios, num patético País do politiqueiramente correcto. E até se dá ao luxo de ser giro. Felizmente é do FCP, o que prova que ninguém é perfeito!
No teu deserto é o seu ultimo livro, um quase romance. Que se lê de um único fôlego, porquanto é absolutamente impossível para de ler!
Admito que não seja um Equador ou um Rio das Flores: mas o que lhe falta em história, ganha num intimismo que nos surpreende. No teu deserto oferece-nos uma história de quase amor ou mais do que amor, guia-nos ao deserto e aos seus cheiros, convida-nos para uma viagem introspectiva, através da pena de alguém que se sabe ler a si própria e exibir com orgulhos as suas falhas e defeitos. E como se não fosse bastante, é um livro que fala de silêncio e das palavras que ficaram por dizer!
Absoluta e deliciosamente extraordinário!

13 comentários:

  1. Desculpe, mas MST é perfeito até porque gosta do fCP...

    ResponderEliminar
  2. Também li esse "quase romance" há pouco tempo e... adorei!

    ResponderEliminar
  3. Anónimo11:29

    Um livro a ler...

    Pena ser um quase romance e não mesmo um romance.

    Como o Equador ele não vai fazer outro...

    ResponderEliminar
  4. Pedro12:38

    É verdade que nunca li um livro do Miguel Sousa Tavares, mas já leu José Luis Peixoto?
    Uma delicia ler aquelas frases que ele escreve. Experimente ler: "Nenhum olhar".

    ResponderEliminar
  5. @pedro - não é dos meus fetiches! gostei do até dizer que minto, mas, o cemitério dos pianos (o ultimo que li dele) não me encantou! Apesar de gostar de romances baseados em histórias reais e da época que o livro atravessa...

    ResponderEliminar
  6. Anónimo13:37

    vocês nada percebem da vida,porque nunca viveram.
    SÓ QUEM JÁ SOFREU PODE ENTENDER TUDO O QUE ESTE LIVRO TRANSMITE...

    MARIA FERREIRA

    ResponderEliminar
  7. Ainda assim o “machado” do plagio há-de tornar menos acutilantes os seus escritos…


    Paulo

    ResponderEliminar
  8. http://www.youtube.com/watch?v=XKGWG7VAoLs

    ResponderEliminar
  9. Anónimo22:27

    Por falar em DESERTO

    http://www.youtube.com/watch?v=KrkfjzsUrEY

    Nós Alentejanos quando nos provocam, somos tramados.

    ResponderEliminar
  10. Anónimo22:40

    Ou aqui

    http://www.tvalentejo.tv/index.php?view=2009092421170860

    ResponderEliminar
  11. Anónimo00:56

    Deixei de o achar interessante desde o famoso comentário "os professores são os inúteis mais bem pagos deste país", mesmo sem ser prof....achei tao deselegante que nunca mais me interessei por este sr.

    ResponderEliminar
  12. @anónimo - tenho quase a certeza que quem atribuiu essa frase a MST já veio desmentir posteriormente.. mas ficou o boato...

    ResponderEliminar
  13. Pedro17:57

    Já li o livro do M.S.T. (porque alguém da minha casa lembrou-se de o comprar) e sinceramente soube-me a pouco. Bem escrito, é verdade, mas foi pouco.
    Gostei mais do J.L.P. - Nenhum olhar.

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!