quarta-feira, março 31, 2010

Desculpem-me lá ser burro...

... mas alguém me consegue explicar esta notícia? Porque raio é que a ANA anda em conversações com os militares?! A ANA não é a entidade gestora do Aeroporto do Alentejo?! Então porque estúpida razão vai ter de negociar com os militares sobre isto? Porque eles ainda estão convencidos que mandam na Base?!!
Para quem não acompanha o processo, pode parecer que o estacionamento de aviões são migalhas: mas não são! É o primeiro passo! Para depois começar as reparações. Depois as mercadorias. Depois chaters! E por fim os voos regulares com passageiros, obviamente low cost!

22 comentários:

  1. Pedro16:38

    E o que se faz aos aviões militares e aos pilotos, mecânicos, controladores militares que lá trabalham?
    Assim, perde-se o pouco que se tem para se ficar sem NADA!
    Até agora não vi nada, e aposto tudo o que tenho, como nem na próxima década vai haver algo de novo naquele aeroporto. Aposto mesmo tudo... Alguém quer entrar?

    ResponderEliminar
  2. Anónimo17:25

    Ñ foram ao Congresso Turismo do Alentejo, está visto...

    ResponderEliminar
  3. Pedro - sempre defendi que a Base Área continue! Porque dá viabilidade económica ao Aeroporto!
    Mas é preciso saber quem manda! E não podem ser os militares!

    ResponderEliminar
  4. já viste isto?
    http://31daarmada.blogs.sapo.pt/3918656.html

    acho que vais gostar.
    E não gosto de ser má lingua mas estou com o Pedro. Não acredito que tão cedo se veja alguma coisa por ali, não passou de blá blá eleitoral. Só se realmente as infraestruturas turísticas do litoral alentejano seguirem a bom porto ( o que também não me parece andar a bom ritmo) que se consiga fazer alguma pressão porque senão a única coisa que lá se vão ver são aviões militares peças de museu.

    ResponderEliminar
  5. Anónimo19:32

    Total falta de autoridade do poder politico.Essa falta de autoridade também demonstra a incapacidade do Governo em propor um projecto viável para a exploração do Aeoroporto de Beja.

    ResponderEliminar
  6. Que aves agoirentas. Eu acho este projecto muito mais importante que o TGV por exemplo. Muito melhor para o sul e para o grande futuro do país que é o turismo. Acredito que possam ser descrentes mas eu acredito que o aeroporto vai para a frente.

    ResponderEliminar
  7. Anónimo19:40

    Mas afinal a ANA já tomou conta da gestão daquilo ou não? É que se tomou não tem porquê, tanto respeito à instalação militar

    ResponderEliminar
  8. NA - Não tinha visto! Mas são parvoíces recorrentes de Lisboa, que tentam chamar elefante branco ao nosso aeroporto! E a esses, não podemos dar troco!
    Sobre o resto.. compete aos baixos alentejanos lutar por o nosso aeroporto, contra a inércia dos vários poderes!

    ResponderEliminar
  9. O nosso aeroporto é um elefante branco, e o TGV não?
    Tenho os malditos comboios de alta velocidade entalados na garganta!!!

    ResponderEliminar
  10. Louzinha - só para ti, um texto antigo:http://ireflexoes.blogspot.com/2009/07/conselho-de-opiniao-as-ferias.html

    ResponderEliminar
  11. H adoro quando tu me entendes =)

    ResponderEliminar
  12. Anónimo20:33

    Como diz o outro, parece que a ANA não é boa moça para casar com o nosso Aeroporto ...

    ResponderEliminar
  13. outro - eu há muito muito tempo que digo o mesmo! Não esperei pela decisão, para ser do contra...

    ResponderEliminar
  14. Ao que parece a ANA ainda não tem a tutela do Aeroporto de Beja porque a mesma ainda não foi promulgada.

    Será que é boa moça para se casar com o nosso Aeroporto? É uma questão pertinente...

    ResponderEliminar
  15. Anónimo23:10

    Eu acho que não existe neste pais organismo mais competente para tal casamento, a ANA tem a experiência e provavelmente a vontade de toda uma estrutura virada para esse serviço

    ResponderEliminar
  16. Anónimo12:10

    Oh meu amigo... vossa excelência é burro e relincha!

    ResponderEliminar
  17. anónimo - mas felizmente, há pessoas inteligentes como o meu caro, que ajudam a esclarecer!

    ResponderEliminar
  18. Meu caro professor
    Pretende esta carta elucida-lo sobre a questão do seu Aeroporto do Alentejo versus Aeroporto de Beja.
    Começando pelo nome, em Portugal não há memória de algum aeroporto ser conhecido pelo nome da região em que se encontra inserido, para isso basta lembrar: Aeroporto de Lisboa-Portela, do Porto-Pedras Rubras, de Faro, do Funchal. Nos Açores: de Ponta Delgada, na Ilha de S. Miguel, da Horta no Faial das Lajes na Terceira, estes são os nossos aeroportos internacionais.
    Nos nacionais: aeroporto do Porto Santo, Aeroporto das Flores, do Corvo, do Pico, de S. Jorge, da Graciosa e de S. Maria.
    Parece que não me esqueci de nenhum, e quanto ao nome não vejo nenhuma utilidade em mudar o nome já que Beja circula em todos os documentos e cartas aeronáuticas do mundo e é mais conhecido que a própria cidade.
    Em relação aos militares eles que se defendam, pelo que conheço do meio eles são parte da solução e não do problema. Esse (o problema) está do lado da ANA – Aeroportos de Portugal, que só vai gerir a aerogare e o seu parque de estacionamento, e isso não tem nada a ver com os militares já que é autónomo. Para ver como a parceria resulta basta lembrar o que acontece na Ilha Terceira com o aeroporto local, este não é mais que uma cópia daquele, tendo ainda aquele aeroporto a condicionante de que a placa onde os aviões estacionam ser militar, e de nesse aeroporto ter ainda outra nacionalidade – os americanos.
    A ANA não tem interesse em que a certificação avance porque está a prever o fiasco, o INAC arrasta os pés. Apesar desta pista de aterragem ser a 3ª maior do país com 3460x60metros, logo atrás da de Lisboa com 3805x45 metros a do Porto 3480x45. De ser uma das dez pistas a nível mundial onde poderá aterrar o Space Schutle em caso de emergência, falta a sua certificação a nível civil o que não passa de um problema político. Se o ministro da tutela disser que quer o aeroporto certificado num mês não vão ser os militares que vão dizer que não.
    Quanto à gerência, cada macaco no seu galho. Nem os militares se metem em questões de gestão dos fluxos de aeronaves, nem os civis na gestão do espaço aéreo que continua a ser militar, controlado por militares e com a gestão da pista de aterragem, e se, o que conheço dessa gestão continuar como sempre foi, só me resta congratular-me por isso. Estes controladores militares são os mesmos que receberam uma medalha porque em 1990 em plena guerra do Golfo foram distinguidos como os mais expeditos de todos os aeroportos dentro e fora dos Estados Unidos onde aterraram aeronaves americanas, e também são estes controladores de tráfego aéreo que os seus congéneres civis não consideram como iguais porque não querem que lhes seja dada equivalência.
    Quanto ao apetrechamento aeronáutico este aeroporto tem mais ajudas à navegação aérea que a Portela, tem ajudas civis e militares, é uma das rotas para sul e para norte do país tem ajudas da parte dos controladores para o mau tempo com o PAR Precision Approach Radar que não existe em nenhum aeroporto civil, que não é mais do que um guiamento através de um controlador até uma determinada altitude de aterragem e ainda tem espaço para estacionar que nunca mais acaba, na parte militar. É o que acontece em Lisboa com a Placa Militar a que chamam erradamente de aeroporto militar do Figo Maduro, quando o aeroporto de Lisboa necessita de mais espaço pede aos militares.
    Não me alongando mais, esperando ter contribuído para um melhor esclarecimento do seu blog que tanto prezo e com o qual me divirto e instruo todos os dias, me despeço com os melhores cumprimentos
    Zé Mó

    ResponderEliminar
  19. Sim sr estou abesbilicamente estupfacta com tanta erudição. Ora bem eu disso tudo só conhço a torre de controle e sinto-me uma sortuda de lá conseguir ter ido. O puto sabe umas coisas de aeronavegação ...

    ResponderEliminar
  20. José - Muito Obrigado pelos pertinentes esclarecimentos! Concordo com quase tudo - mormente o facto de ser uma questão política -, embora mantenha o receio da solução ANA. Preferia concorrência...
    Abraço

    ResponderEliminar
  21. Quero agradecer a Lou Alma o tratamento por puto. Para mim é um elogio e nem imagina porquê?
    Posso dizer-lhe que estou à disposição quando quiser visitar outra vez a Torre de Controlo de Beja. Quanto à aeronavegação ou navegação aérea poderá consultar o blog “ auroque em orgias e bacanais” e saber mais histórias sobre tráfego aéreo. Mais uma vez agradeço o elogio.
    Quanto ao que “h” disse, já há um aeródromo municipal em Portugal com alguma qualidade, o aeródromo municipal de Cascais, gerido pela câmara . Pelo que conheço de Beja, em tudo o que a CM de Beja mexe só estraga porque as gerências além de não perceberem nada de gestão ainda cortam as pernas a quem tem ideias.
    Acho piada aos anónimos que pedem ao governo um aeroporto, depois querem que o governo lhes arranje companhias para lá aterrarem, depois querem que o governo lhes arranjem pessoas para os aviões, depois querem dinheiro para ficarem sentados a olhar para ontem, porque falam, falam e não fazem nada. Haja iniciativa privada em Beja.

    ResponderEliminar
  22. Pikas - deixe-me aplaudir a ultima frase!!!

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!