domingo, maio 30, 2010

O PS e as Presidenciais..

O PS formalizou hoje quem vai apoiar nas próximas eleições presidenciais!

27 comentários:

  1. MARIA BALEIZÃO20:47

    O Conselho Nacional do PS , com o seu apoio ao troca-tintas do Manuel Alegre , já renovou o mandato de Cavaco Silva

    ResponderEliminar
  2. Só faltava formalizar!

    ResponderEliminar
  3. Anónimo22:30

    Tá ganho!

    ResponderEliminar
  4. Anónimo22:30

    Tá ganho!

    ResponderEliminar
  5. Anónimo20:04

    É obvio que tinham que apoiar Manuel Alegre. O governo sabe que mais cedo ou mais tarde vai cair, e o eleitorado não votaria PSD com Cavaco na presidencia, assim Sócrates que não é inteligente, mas também não é parvo, apoia Alegre, para equilibrar.
    Por outro laso, e se tudo correr pelo pior para este malfadado país, o governo Sócrates se aguentar, ele prefere estar com Alegre, pois se o apoia, o outro não o vai demitir ... enfim, politiquices, é disto que se faz o país e é isto que nos tem levado a este estado de crise.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo20:07

    Pensei em votar Alegre, com este apoio do PS, só poderei votar no Cavaco, ou outro candidato que se apresente à direita (com possibilidades de ganhar, claro).

    ResponderEliminar
  7. Anónimo22:49

    Cavaco é tão volátil e fragil...

    ResponderEliminar
  8. @anónimo - Comparando com Alegre, acha que se pode chamar volátil ao Cavaco?!

    ResponderEliminar
  9. Anónimo08:29

    Meu amigo, o mandato do Cavaco foi sempre pouco esclarecer e ambíguo. O mais imcompreendido mandato desde que se inventou o cargo. Até porque, sendo o único homem a direita, mesmo com maioria, e católico, nunca se percebeu o que queria para o caso do casamento de pessoas do mesmo sexo; e não só. Por definição, volátil!

    Mas, Alegre é inconstante? O percurso que tomou foi todo ele muito "decidido e determinante".

    ResponderEliminar
  10. Num aspecto estamos de acordo: o Primeiro mandato de Cavaco, ficará na história como o PR de direita, mais à esquerda que os da esquerda: foi o mandato do aborto, do divórcio simplex e do casamento gay! Mas.. que poderia o PR fazer nestes casos? Amuar?!

    Sobre Alegre, nos ultimos meses, quando se ajoelhou e implorou pelo apoio do PS, demonstrou uma inconsistência que eu não lhe conhecia!

    ResponderEliminar
  11. Anónimo11:14

    O que é que poderia fazer??? Mas ele não tem escolha? Não tem auto-consciência? Não tem um grupo de acessores maior que um grupo de docentes de uma universidade qualquer? Não representa um grupo, uma maioria(50,3%), que depositou nele uma responsabilidade de verdadeiro chefe de Estado? Eu não percebo então qual será a importância de PR. Segundo este mandato, conclui que é completamente banal! As pessoas, como você, não votaram nele porque parecia alto, magro e engraçado na maneira frágil com que evitava os assuntos importantes e polémicos, mas sim porque se reviam nas suas ideias e no travão que poderia impor à maioria absoluta socialista. E ele não soube representar esse grupo, cedendo todos os pontos promulgando-os, vetando os mais absurdos, não esquecendo a moderação activíssima e bem presente entre classes, políticas e sociais, que deve ter em conta no seu papel. 4 vetos! Para depois não corresponder nos problemas, que, penso eu, seriam desvirtualizados não só dos seus ideias como da grande maioria portuguesa. Se gostou dessa volta, não vejo nada contra com o seu apoio, mas, isso de voltar a cair no mesmo buraco não é lá muito abonatório.

    Quanto a Alegre, será verdade que implorou? É de certo um apoio impotante, mas as criticas internas não mudam de voto, à primeira volta. E ele sempre esteve bem consciente disso.

    ResponderEliminar
  12. @anónimo - com uma maioria de esquerda no Parlamento, nem todos os Professores do Mundo lhe davam outra possibilidade! Excepto convocar eleições: acha que se justificava pelo casamento gay?!

    Sobre Alegre... ajoelhou e rezou pelo apoio...

    ResponderEliminar
  13. Anónimo19:46

    É precisamente por Alegre ajoelhar a Sócrates que não terá o meu apoio.
    Poderei até nem apoiar Cavaco, ainda estou a ponderar. Alegre com o apoio do PS, nunca.

    ResponderEliminar
  14. Anónimo20:36

    Se não houve outra possibilidade, então, logicamente, não deveria haver PR em Portugal. Nem sequer tinham lugar as polémicas que houve!
    Só pelo casamento gay? Não! Obviamente que não! Talvez mais pela não-coragem que teve de vetar os diplomas que tinha de veter segundo a sua ideologia política e pessoal em representação do seu eleitorado! Ou vai dizer-me que Cavaco alinhou de livre vontade à estratégia de Sócrates, depois de provocar umas bizantices juridicas incertas no Estatuto dos Açores? Ou, as escutas(que ninguém acreditou e que mais tarde ninguém voltou a falar) em Belém? Por ai fora...

    Quanto a Alegre, sim, deve ter rezado! Mas rezado, vulgo, planeado. Ou pensa que os acontecimentos, de génio, que aconteceram entretanto nestes últimos 4anos foram mero acaso de uma ajuda "divina"?

    ResponderEliminar
  15. @anónimo - por vezes misturar tudo, é giro para a confusão: mas não esclarece ninguém!
    Cavaco esteve lamentável no caso das escutas. Ponto Parágrafo!

    Sobre o casamento gay e o divórcio, bem como no aborto, a CRP não lhe permitia fazer mais do que fez. Como se viu no caso dos Açores!

    ResponderEliminar
  16. Anónimo22:14

    Se está muito confuso, não é por minha causa. Se acha giro a confusão, a diversão é sempre sua, porque, aliás, sempre achei a banalidade do mal uma coisa muito engraçada.

    ResponderEliminar
  17. Anónimo22:14

    Aliás, lê-se também...

    ResponderEliminar
  18. @anónimo - volte a ler e responda: o confuso sou eu?!

    ResponderEliminar
  19. Anónimo18:51

    Completamente! Bom, já se fez muito comentário aqui, nenhum ponto a favor a Cavaco na sua qualidade de politico foi enunciada. E acrescente-se, não sei se tem sequer! Mas, eu percebo, é o seu ídolo e devemos tratá-lo com todo o amor e carinho.

    ResponderEliminar
  20. @anónimo - o ídolo de quem?!

    ResponderEliminar
  21. Anónimo12:32

    Talvez seja do seu amigo imaginário. O que acontece é que nem mesmo assim consegue fundamentar os pontos positivos de Cavaco na presidência da República.

    ResponderEliminar
  22. @anonimo - quando tomar - e se tomar - uma posição sobre Presidenciais, vou assumi-la, como sempre fiz. Até agora limitei-me a dizer não a Alegre e demonstrar simpatia por Nobre.

    ResponderEliminar
  23. Anónimo18:44

    Mas não está a ponderar voltar a "apoiar" Cavaco como da última eleição?

    ResponderEliminar
  24. @anónimo - O meu apoio a Cavaco nas ultimas foi tímido. Nestas, a única coisa que escrevi foi isto: http://ireflexoes.blogspot.com/2010/03/fernando-nobre.html

    ResponderEliminar
  25. Anónimo20:32

    Nesta, ainda falta muito tempo!

    ResponderEliminar
  26. @anónimo - não apenas falta tempo, como tenho curiosidade com Nobre...

    ResponderEliminar
  27. Anónimo21:37

    Boa sorte...

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!