sábado, novembro 29, 2008

Cine Teatro Pax Julia (com adenda)

Segundo esta noticia, o Pax Julia abriu hoje as portas para receberem uma manifestação de "professores" onde foram afixadas frases como "abaixo a ditadura" e "Milu, Milu. Faz a trouxa, faz as malas, pára de ser mentirosa e vai p'rá escola dar aulas".
Digam-me que isto é mentira! Por favor...

Adenda: Depois de uma noite de sono, reflecti e compreendi que fui incoerente neste post: afinal não me fica bem reclamar que o Pax Julia devia ter mais gente e agora protestar porque ontem esteve cheio...

22 comentários:

  1. Anónimo01:42

    Confirmo a notícia: nao tem noção de vergonha! Um nojo!

    ResponderEliminar
  2. Anónimo11:11

    o PCP ao seu mais alto nivel

    ResponderEliminar
  3. Ao menos sabes os porquês dessa "abertura"???

    ResponderEliminar
  4. A realidade ultrapassa a ficção... O que virá a seguir?

    ResponderEliminar
  5. Zig - quais as razões que justificam abrir um espaço público para pedir a demissão de um membro do Governo?

    ResponderEliminar
  6. Este "caso" (que o é apenas para alguns...) pode ser vista pelos óculos de várias cores, ou seja, por vários lados. Agora, não se deixa pessoas à chuva com um espaço aberto ao público logo ao lado.

    E, tanto quanto sei, o Largo S. João também o é tanto como a Avenida da Liberdade em Lisboa. Acho que estão a criar um caso sem fundamentos...ou então, estão a encontrar razões onde elas não existem...ou então criar casos só por criar...não sei, enfim!

    ResponderEliminar
  7. @Zig - sabes bem que te estimo bastante! E, até ao momento, ainda não me pronunciei sobre este "caso"! Embora não seja surpreendente a minha opinião!
    Pergunto: o Pax Julia estava aberto e foi invadido pelos manifestantes ou alguém foi abrir a porta? Far-se-ia o mesmo se os manifestantes fossem defender a Ministra ou exigir a demissão do Presidente da Câmara.
    Voltamos à história do autocarro emprestado para a Manif: e ao lamentável facto de se confundir a CGTP, com o Partido e com a cidade!

    ResponderEliminar
  8. Igualmente meu caro, igualmente!

    O Pax estava aberto, nessa altura, mas apenas a bilheteira. Pediram para entrar já que o tempo não estava nada bom lá fora. Só que, nunca ninguém adivinhava que podiam encher por completo esse pátio e fazer a barulheira que foi. O Pax quis ser amigável, como o é com toda a gente, e foi o que foi! Não quero entrar aqui e nem contigo em polémicas, mas este caso não tem absolutamente nada a ver com política. Além disso, o Pax também não é responsável pelo que se diz, canta ou toca nesse palco, essa responsabilidade é inteiramente dos artistas. E, convertendo para esse caso, os responsáveis são apenas e só os sindicalistas dos professores. O Pax quis ser apenas simpático em não os deixar na rua, à chuva e ao frio. Acho que qualquer um fazia o mesmo.

    Essa velha questão dos autocarros! Outras câmaras de outras cores também emprestam os seus veículos, como, por exemplo, para ir ao Preço Certo, imagina só. Disso ninguém fala. Não quero aqui defender o PCP, mas parece que apenas se fala nesses casos quando se trata de um assunto ligado à essa câmara. A CMB também já nos (coro) emprestou um dos seus autocarros, e por mais que uma vez, facto que agradecemos bastante. Não sei se em modos iguais, mas nós pagamos um X por quilómetro, por isso, não se pode falar de cedência, mas sim, de um empréstimo.

    ResponderEliminar
  9. @Zig - Se os professores "invadiram" o Pax Julia sobre o pretexto da chuva e depois usurparam o espaço para fazer o comício, então a resposta à pergunta que fiz é "não" e a CMB é inocente neste incidente! Apenas deixava o conselho aos seus responsáveis para publicamente criticarem o facto, desmarcando-se do mesmo!
    Sobre o autocarro, meu caro, sabe bem que é um bejense com H grande e é a última pessoa que quero entrar em polémica: mas se o dever da CMB é apoiar entidades como o Coro, pelo que faz bem em ceder o autocarro; o estranho é que quem vai servir a cidade pague X por quilómetro quem vai criticar o Governo vá de borla!

    ResponderEliminar
  10. Anónimo20:51

    Malta, ao menos assim os prof foram ao Teatro.

    ResponderEliminar
  11. Anónimo22:41

    Estive lá e vi militantes do PSD, do BE e do PARTIDO SOCIALISTA!!! Acontece que o mau tempo levou a organização da manifestação, devidamente autorizada, a solicitar o espaço do Pax Júlia. Fazem parte deste tipo de situações as palavras de ordem. E eu gostei, particularmente, das que militantes do PS gritaram frente à pota do Governo Civil: "A malta não esquece, não vamos votar PS". Não pense o H que eram quaisquer militantes. Tratava-se de pessoas que já tiveram importantes cargos na educação, como sejam o CAE e a IGE!!

    H,permita-me que o aconselhe a ler qualquer coisita importante em matéria de educação. Leia, por favor, Maria Filomena Mónica e o que ela escreve a propósito dos "teóricos do eduquês". É esta gente que pulula na 5 de Outubro e na 24 de Julho que tem levado a educação ao estado em que se encontra.
    Já agora, permita-me, também, que lhe diga que conheço muito bem o ensino superior (e também a Moderna de Beja)e que os piores professores que tive foi nestas instituições. Avalio professores e, creia, atribuiria, a muitos, a menção de Insuficiente, sem remorsos!! Nada sabem de pedagogia e, muito menos, têm noção de como se avaliam os alunos. Alguns até avaliam tendo em conta performances nada académicas. E mais não digo...

    ResponderEliminar
  12. Anónimo22:41

    Estive lá e vi militantes do PSD, do BE e do PARTIDO SOCIALISTA!!! Acontece que o mau tempo levou a organização da manifestação, devidamente autorizada, a solicitar o espaço do Pax Júlia. Fazem parte deste tipo de situações as palavras de ordem. E eu gostei, particularmente, das que militantes do PS gritaram frente à pota do Governo Civil: "A malta não esquece, não vamos votar PS". Não pense o H que eram quaisquer militantes. Tratava-se de pessoas que já tiveram importantes cargos na educação, como sejam o CAE e a IGE!!

    H,permita-me que o aconselhe a ler qualquer coisita importante em matéria de educação. Leia, por favor, Maria Filomena Mónica e o que ela escreve a propósito dos "teóricos do eduquês". É esta gente que pulula na 5 de Outubro e na 24 de Julho que tem levado a educação ao estado em que se encontra.
    Já agora, permita-me, também, que lhe diga que conheço muito bem o ensino superior (e também a Moderna de Beja)e que os piores professores que tive foi nestas instituições. Avalio professores e, creia, atribuiria, a muitos, a menção de Insuficiente, sem remorsos!! Nada sabem de pedagogia e, muito menos, têm noção de como se avaliam os alunos. Alguns até avaliam tendo em conta performances nada académicas. E mais não digo...

    ResponderEliminar
  13. Anónimo22:41

    Estive lá e vi militantes do PSD, do BE e do PARTIDO SOCIALISTA!!! Acontece que o mau tempo levou a organização da manifestação, devidamente autorizada, a solicitar o espaço do Pax Júlia. Fazem parte deste tipo de situações as palavras de ordem. E eu gostei, particularmente, das que militantes do PS gritaram frente à pota do Governo Civil: "A malta não esquece, não vamos votar PS". Não pense o H que eram quaisquer militantes. Tratava-se de pessoas que já tiveram importantes cargos na educação, como sejam o CAE e a IGE!!

    H,permita-me que o aconselhe a ler qualquer coisita importante em matéria de educação. Leia, por favor, Maria Filomena Mónica e o que ela escreve a propósito dos "teóricos do eduquês". É esta gente que pulula na 5 de Outubro e na 24 de Julho que tem levado a educação ao estado em que se encontra.
    Já agora, permita-me, também, que lhe diga que conheço muito bem o ensino superior (e também a Moderna de Beja)e que os piores professores que tive foi nestas instituições. Avalio professores e, creia, atribuiria, a muitos, a menção de Insuficiente, sem remorsos!! Nada sabem de pedagogia e, muito menos, têm noção de como se avaliam os alunos. Alguns até avaliam tendo em conta performances nada académicas. E mais não digo...

    ResponderEliminar
  14. Meu caro anónimo - Para quem mais não diz, não tinha de o dizer três vezes!

    Deixando de lado o que não interessa (a Moderna está morta e enterrada e sendo que tive duas passagens efémeras pela casa "dou de barato" que como em qualquer outro lado do ensino superior havia professores bons e maus - só no secundário é que há trinta anos todos têm BOM - e as nossas divergências sobre a ministra - a minha posição é conhecida - limito-me ao que interessa neste contexto: este bem ou mal a CMB em emprestar o Pax Julia para a manif?
    Eu acho que não! E, diria exactamente o mesmo, se concordasse com a causa! Tem dúvidas?

    ResponderEliminar
  15. Anónimo02:46

    Lamento o nº de vezes, foi sem intenção.

    Ponho de parte a Moderna.

    Ninguém deverá censurar uma Câmara por abrigar pessoas da chuva. O "Pax Júlia" faz parte de um fenómeno que ultrapassa a esfera de influência do PCP. Integrou, até, pessoas sem filiação partidária, tal como eu. Usaram da palavra durante escassos minutos o representante da FNE e o da FENPROF que praticamente não falou, pois estava afónico. A intenção não era fazer um comício no Pax Júlia, mas serem recebidos pelo Sr. Governador Civil.Portanto, fica o assunto morto e enterrado.

    Reitero a sugestão que há pouco lhe deixei: leia alguma literatura sobre o tema, pois a sua ignorância é confrangedora. Ao menos dê uma vista de olhos ao artigo 9º do Decreto-Lei 409/89. É que a um "jurista" o que fica bem é documentar-se, mais que não seja, por curiosidade. Vá ler sobre os últimos trinta anos e verá que o anterior ECD contemplava apenas as menções de Satisfaz e de Não satisfaz. Nunca foi atribuído o Bom com implicações na carreira, pela simples razão de que nunca foi regulamentado, pois isso implicava questões remuneratórias.
    Também existiu a obrigatoriedade de prova pública para acesso a determinados escalões. Como vê, nada do que tem afirmado corresponde à verdade!

    Ninguém lhe censura a afeição e o desvelo que tem para com a ministra - cada qual tem as suas projecções, muito próprias, de "gaja castigadora". Ninguém se chateia que comunguem do mesmo ódio - cada qual tem os delírios que lhe aprouver. Ninguém se rala que não compreenda as razões que movem os professores - a inteligência de cada um vai até onde pode. O que é intolerável é que faça afirmações sobre trinta anos de algo que desconhece em absoluto!

    Ah! espero vê-lo a propôr, com o mesmo ímpeto com que ataca os "professores", ao seu Ministro do ensino superior, a aplicação do modelo de avaliação de MLRodrigues. É o mínimo que se espera que faça! Ainda que o modelo seja de inspiração "marxista, do século passado, oriundo do Chile", segundo Alberto João Jardim, e completamente inaplicável!

    Caro H, abrace a causa chilena para a SUA avaliação!!

    ResponderEliminar
  16. Anónimo11:04

    Chovendo que estava e com um frio de rachar, para onde iriam os professores senão para um espaço público?

    Será que H gostaria que ficassem doentes e não pudessem dar aulas nos dias seguintes ? Ou será pura e simplesmente porque o está a incomodar esta extraordinária luta dos professores?
    Pois sabe muito bem que foi a postura destes que pôs os sindicalistas a dar o máximo e que levou os sindicatos a terem este tipo de ações.

    ResponderEliminar
  17. Anónimo12:23

    Mas afinal, o Pax Júlia é alguma igreja? Que discussão mais tonta.Até parece que se passou lá alguma orgia ou coisa semelhante.A manifestação, o protesto, mesmo que sem razão, são o cerne da democracia e o Pax Júlia deve estar ao serviço da democracia. Discutam coisas interessantes, como, por exemplo, A falta de planeamento estratégico da cidade;a perda da identidade de quem vive em Beja;a mediocridade social da cidade; a relação da cidade com o campo; Beja no contexto das restantes cidades do sul de POrtugal; Beja e as cidades espanholas de fronteira; sei lá que mais... Por exemplo porque que razão Beja não tem um restaurante de referencia, um bar, uma livraria,uma empresa, um empresário, um poeta, um escritor, um pintor,um actor.Beja não tem nada daquilo que hoje deve caracterizar o espaço urbano. A cidade do nosso tempo.Não há sutentabilidade social, económica e politica para ir além da pasmaceira.Já repararam que são sempre as mesmas 100 ou 200 pessoas que participam em tudo o que se passa na cidade? E o que é feito dos outros 30 mil????? M&M

    ResponderEliminar
  18. @anónimos 2.46 e 11.04 - A minha opinião sobre a Ministra e a Educação é conhecida: está aqui (http://ireflexoes.blogspot.com/2008/11/em-defesa-da-ministra-da-educao.html ) e é assumida de cara descoberta, bem ciente de que a maioria discorda de mim!
    Não discuto modelos, discuto princípios: e concordo com o principio da meritocracia; tenho pena que a maioria dos professores concorde com o sistema actual daquilo que chamam "avaliação" e que os sindicatos fiquem mudos quando Alberto João Jardim dá bom a todos. O resto... são frases que se escrevem com a vantagem de não ter de as justificar...

    ResponderEliminar
  19. M&M - claro que o "caso pax julia" não deve ser o cerne de uma discussão: mas, também é uma frivolidade debater o caso BPN e a promiscuidade pública privada quando se vive uma crise económica global?
    Será que uma parte da resposta às questões que formula, não de deve ao alheamento do cidadão em relação à coisa pública por estar farto da obscena confusão entre interesses partidários e os interesses das populações?

    ResponderEliminar
  20. Anónimo13:45

    A crise global é a demonstração prática da falência do capitalismo na sua fase mais predadora e irracional.O caso do BPN é assunto de policia e uma vergonha para os politicos do bloco central.É visivel a promiscuidade entre o público e o privado. A questão do Pax Júlia é lateral e pouco interesse tem.Importante é reflectir sobre a cidade que somos e imaginar a cidade que queremos ser.Mas isso é um assunto que dá trabalho.O pessoal é bom é nas bocas e nos lugares comuns.Também são exímios na inveja e na intriga.M&M

    ResponderEliminar
  21. M&M - Porque ter respeito por alguém é responder frontalmente, aqui fica!
    Procurar ver nos crimes do BPN uma questão política de Direita (ou o tal bloco central de interesses) são resquícios da famosa superioridade moral de uma certa esquerda! Que nesta altura eu pensava que já tinha morrido!
    Sobre a questão Pax Julia, obviamente que em si mesma é uma frivolidade. Mas o que está em causa, são questões de principio, moral e ética: a confusão entre interesse público e interesse partidário. E é exactamente por se achar que tudo isso são questões laterais, que o aparelho do Estado se transformou na vergonha que é!
    Sobre a sua questão final... tento fazer o que posso, dentro das minhas limitações!

    ResponderEliminar
  22. Great service, easy transaction, discreet packaging, product works as expected. I received 132 pills instead of 120 + 10. My package was opened by US Border Patrol. Confirmation email showed discounted price for buy viagra. I called the toll free and spoke to an service representatice in Mumbai India. She was very helpful and pleasant.
    FDA approved mens health medication viagra is not a drug to be taken lighliy you should read all about the pros and cons regarding the medication before you buy viagra! or if you would like just to read about Viagra you can visit this location!
    I will keep using it. Have had the most incredible experience using viagra. By that I mean that I am well into my 50s and it gave me that little extra something that I had lost. Thank you i will by more
    Online Pharmacy

    Online Pharmacy

    Online Pharmacy

    Online Pharmacy

    Online Pharmacy

    Phentermine

    Cialis

    Valium

    Xanax

    Hydrocodone

    Vicodin

    Levitra

    Tramadol

    Adipex

    Ambien

    Ultram

    Propecia

    Xenical

    Soma

    Meridia

    Klonopin

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!