quarta-feira, novembro 19, 2008

Polémicas aqui do chaparro...

No seu blogue pessoal, alguém que se intitula "Be(i)ja" deixou escrito, referindo-se à Revista Mais Alentejo: "Tanto quanto sei e posso comprovar (lendo-a) esta revista mais não faz do que ir atrás dos seus interesses publicitários, publicando temas (sejam notícias, entrevistas ou reportagens) que dizem respeito a uma autarquia, por exemplo, se a própria se comprometer a anunciar uma festa ou romaria local. Não é o interesse do leitor, a pertinência dos temas que urge colocar em prmeiro lugar. Quem dita as regras e os alinhamentos desta revista são os seus anunciantes."
Por acaso, não subscrevo a opinião. Acho que a Revista em causa é das coisitas boas que se fazem por cá, com um excelente núcleo de cronistas (do qual não faço parte, deixo claro!).
Em resposta à critica, "alguém" que afirma ser António Sancho, Director da Revista afirma"realmente, a qualidade da revista Mais Alentejo - de longe o melhor produto jornalístico com sede em terras alentejanas e reconhecidamente um dos mais aplaudidos a nível nacional - é geradora de múltiplas dores de cotovelo e intensa inveja. O(s) cobardes ou a(s) cobardes que se escondem no anonimato para fazer as mais torpes calúnias e mentiras, outra coisa não merecem senão retractar-se em tribunal. Dei já instruções ao meu advogado para agir em conformidade".
Pergunto, porque perguntar não devia ofender: não estamos a exagerar assim um "picadinho"? Não deve ser a primeira obrigação do jornalista saber encaixar uma crítica, mesmo quando a mesma pode ser injusta?

9 comentários:

  1. Sempreempé13:09

    H tens razão quando afirmas da injustiça, bem como tens razão que as pessoas deveriam aceitar melhor as criticas.
    O problema aqui realçado deve-se ao facto de esta Revista ser geradora de muita "dor de cotovelo", quer pelas crónicas ali publicadas quer pelas imensas porradinhas que são dadas a muita gente (com razão ou não).


    Verdade, verdade, é que a Revista Mais Alentejo é sem margem de dúvidas a melhor publicação que existe em todo o Alentejo, prova disso é o Prémio Gazeta conquistado, prémio este que se trata do mais importante galardão da imprensa portuguesa.

    Isto é matéria suficiente para orgulhar qualquer alentejano que se digne, é prova provada que no Alentejo se fazem coisas boas, mas pelos vistos existe sempre alguém à espera de destruir.

    Verdade também é que os prémios, bem como a gala de entrega dos prémios são reconhecimentos públicos, e aqui deverá haver muita gentinha que gostaria de o ser, e não o é.


    Quanto aos conteúdos da Revista, os mesmo são da responsabilidade de quem tem poder decisório para os publicar, e aqui quer se goste ou não, só compra quem quer.
    Vide exemplo da Revista "Maria".

    Sou leitor assiduo da Revista, gosto de a ler, e já reparei que quanto às Câmaras Municipais a única, sublinho a única que não participa em termos publicitários na Revista é a Câmara de Beja, é no minimo estranho!... Deveria ser orgulho para a Câmara, pois a sede da Revista é em Beja. Tal como diz o Zig: "penso eu de que...".

    Verdade para quem percebe destes negócios de imprensa, é que não há imprensa regional que sobreviva sem publicidade. Agora cada um que tire as suas conclusões.

    Uma última nota: desde sempre a gala da entrega dos prémios da Revista Mais Alentejo sempre foram feitos em Beja, este ano irá ser realizada em Évora, no Convento do Espinheiro.

    Mais dia menos dia, lá vai mais algo de Beja para Évora.

    Abram os olhos, independentemente das pessoas e do seu modo de estar.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo16:03

    O que não justifica como diz o H a atitude de "virgem ofendida" do jornalista... não conheço a pessoa em causa mas imagino-a muito "pequenina"!

    ResponderEliminar
  3. Anónimo16:03

    O que não justifica como diz o H a atitude de "virgem ofendida" do jornalista... não conheço a pessoa em causa mas imagino-a muito "pequenina"!

    ResponderEliminar
  4. @anónimo 4.03 - Também não conheço o Director da Revista e tive o cuidado de frisar que não sei se o comment é do "dito" ou de alguém que se assume como tal.
    No entanto, e enquanto jurista pouco apaixonado por Direito Penal, não vejo nenhuma razão para um processo judicial: apenas o direito de alguém expressar a sua opinião, que, por acaso, até nem subscrevo!
    Aliás... se existisse razão para Processo neste caso, presumo que o DA já tivesse ido a Tribunal procurar reconhecer o Direito de me fuzilar!!!

    ResponderEliminar
  5. Vou mesmo ter que começar a comprar essa revista!!!

    ResponderEliminar
  6. Anónimo21:53

    É ridiculo alguem ir queixar-se a tribunal por isto! O Sanches que tome juizo!

    ResponderEliminar
  7. Anónimo00:47

    Esta é cá das minhas... É tesa e está cheia de cagaço... Olhem o que ela responde no Eufêmea:
    Sr Director - Fico a aguardar.
    Se houvesse um prémio Mais Alentejo denominado processos perdidos, o Sr. ganhava-o certamente! :)

    ResponderEliminar
  8. @anónimo - A resposta é realmente muito boa! E por acaso surpreendeu-me! Esteve várias dias calada e até parecia que tinha ficado com medo!
    Reitero. Acho que não teve razão no comentário sobre a Revista. Mas esta resposta... é de gaja a sério!

    ResponderEliminar
  9. Anónimo13:04

    Carta aberta à "Eufêmea".
    Aberta porque não consigo escrever no seu blog, burrice minha com as tecnologias.



    Este tema através do V&P, fez-me conhecer o seu blog.

    Admiro e até concordo com a sua descrição de "Eufêmea".

    Admiro e até concordo com a sua opinião positiva sobre a revista.

    Até aqui tudo bem.

    Contudo, algo me faz um pouco de confusão na sua critica "construtiva"!...

    Se a mesma é considerada como o melhor produto jornalístico que se faz no Alentejo, e foi reconhecido nacionalmente como o melhor produto regional, porque duvida tanto dos seus conteúdos? Caso não saiba, que até me parece que o sabe, qualquer que seja a imprensa regional, a mesma só sobrevive se tiver publicidade. E qual o mal dessa publicidade ser Institucional? A MaisAlentejo além de ter sede em Beja, fala muito sobre a n/ cidade e a n/ Câmara insiste em não publicitar na mesma. Garanto-lhe mais uma vez que não há produto jornalístico do mesmo nível de qualidade que sobreviva sem publicidade. Permita-me a provocação, saberá V. Exa. porque é que a CMBeja insiste em não publicitar "ajudar" este produto jornalístico, não contribuindo para a sua sobrevivência?

    Outra nota, se por lá passaram muitos jornalistas, pergunto-lhe será que os mesmos teriam qualidade suficiente para fazer parte da equipa? Não quero ofender jornalistas, mas os melhores, os mais interessantes estarão provavelmente a trabalhar em comunicação social de cariz nacional, acho eu!...

    Quanto à sua observação de vulgo marido, mulher e filha, posso-lhe dizer também que esta relação já não existe, foi quebrada. Mas isto acho que não interessa. O que interessa realçar, é que a MaisAlentejo se calhar como tantas empresas na região, tem um cariz familiar, acho eu!...

    Quanto aos calotes, não lhe parece que isso será um assunto entre os caloteiros, ou seja, entre o calotado e o caloteiro. Se tem conhecimento, não levante suspeitas, não fica bem.

    Quanto aos prémios, sou da opinião que é das melhores iniciativas que conheço, pois trata-se de um reconhecimento público do que os melhores "alentejanos" fazem em diversos sectores.

    Gostei da sua crónica, mas acho-a um pouco destrutiva. Pois para mim o importante é realçar que o produto é bom. Porque quer queira, quer não, o produto é bom.

    Em certos momentos da sua crónica pareceu-me que V. Exa. terá tido algum problema com o seu Director.

    Já agora, eu se fosse o Director, não teria reagido da mesma forma.

    Bem haja por ser critica, por favor, não critique é de qualquer maneira as poucas coisas boas que ainda temos por Beja.

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!