terça-feira, novembro 11, 2008

A Ministra, os alunos, os professores e os ovos!

Bater em professores é quase sempre feio: mas, se for na Ministra da Educação, até tem a sua graça, não é?

Adenda: Para não me acusarem de insensibilidade, repito aqui o repto que deixei aos professores esta tarde no Programa Conselho de Opinião: façam outra mega manifestação, na cidade de Beja. 120.000 professores a manifestarem-se em Beja, pode não resolver os problemas da classe docente, mas, usada e muito a economia na cidade de Beja...

13 comentários:

  1. desde os tempos mais remotos, que atirar ovos e tomates(por ser o que estava mais á mão)é um claro sinal de desagrado e insatisfação...é desta forma que congratulo o reactivar das lutas estudantis.Se as palavras não conseguem chegar ao destino...então vai mesmo com ovos!!!!

    ResponderEliminar
  2. Comos estamos a falar de educação e ovos:
    "Com a idade que tenho e com os combates que travei não tenho mais paciência para suportar o quero posso e mando, a ideia que se pode ter toda a razão contra tudo e contra todos. Isto não é suportável, não é suportável por parte de um Governo apoiado pelo PS, que tem uma tradição e uma cultura democrática; e não é suportável por aqueles que prezam sobretudo a democracia", declarou.

    Manuel Alegre contrapôs depois que a democracia "é feito de confronto, mas também de diálogo e de tolerância". "Ninguém põe em causa a necessidade de avaliação, mas penso que se está a cometer um erro estratégico, porque não se pode governar para as estatísticas, não se pode passar de um laxismo a um excesso de burocracia e facilitismo, porque a falta de exigência degrada a escola pública".Manuel Alegre(deputado PS e Vice-Presidente da AR)

    ResponderEliminar
  3. Anónimo23:18

    Bater é sempre uma coisa que nunca, em situação alguma, deveria ter graça.
    Não gosto da ministra, acho-a uma pessoa arrogante e autista mas isso não significa que aprove o que aconteceu em Fafe.Achei lamentável.
    SA

    ResponderEliminar
  4. Anónimo23:46

    Bater na ministra só pode ser um exagero de linguagem. Vi uma ministra dentro de um BMW bem protegida com vidros à prova de bala e outros projécteis, polícia à volta em todo o lado, presidentes das câmaras municipais e outra rapaziada xuxa a proteger a dra. Quando um professor é agredido na verdadeira acepção da palavra só o vejo reconfortado por outros colegas e pedir ajuda/justiça ministério público Percebeu? Ao menos disfarce que é xuxa e use a pele de jurista, fala melhor e raciocina melhor.

    Quanto à razão dos ovinhos os miúdos tem razão. Com o único intuito de enganar estatísticas e fingir que há rigor e exigência (que não há e diminuiu) a sra. ministra trata todo o tipo de faltas como somente faltas e mete alunos com atestado médico de 3 semanas ou um mês a fazer testes de matéria que não assistiram num curtíssimo espaço de tempo. Os alunos vadios repetem tantas vezes testes quantos os necessários para os professores se desgastarem e aprovarem-nos finalmente.

    ResponderEliminar
  5. Anónimo23:51

    Tive a ver o seu blogue melhor. Realmente você nem disfarça que é xuxa. Nem uma única notícia sobre a manifestação de 120000 portugueses contra arbitrariedades? Que profissão metia 80% da classe profissional a manifestar-se?

    ResponderEliminar
  6. @corajoso anónimo - quem escreve este blogue, assume quem é e dá o nome e a cara pelo que acredita! Quer no blogue, quer em outros espaços onde exerce direitos de cidadania!
    Sabe, a liberdade que tenho para criticar PCP, PS e PSD é a suprema liberdade de viver sem precisar de favores políticos, sem andar a mendigar favorzinhos ou ter de aplaudir o patrãozinho, com medinho! Presumo que não saiba dar valor a isso! E é mais fácil chamar de "xuxa" mesmo quando é público que não tenho nem nunca tive "favores politicos" do que procurar debater argumentos. Obviamente anónimo, porque além de inteligente é corajoso!

    ResponderEliminar
  7. @ito - Ouvi as declarações de Manuel Alegre, um caso de rara coragem na política nacional. Não subscrevo o que ele diz: mas respeito e admiro as pessoas com coragem para assumir o que pensam, contra os interesses instalados. E, vamos ver se o PS tem "estômago" para o colocar nas listas!

    ResponderEliminar
  8. Anónimo13:06

    A coragem de Manuel Alegre, devia ser a coragem de todos os professores nas escola.
    Na minha escola, não a temos, pois já fomos ameaçados pela presidente do conselho executivo que é tão dura quanto a ministra.

    ResponderEliminar
  9. @anónimo - Falamos de que tipo de ameaças?
    Que são obviamente intoleráveis! Aliás... infelizmente está instituída a politica do medo, como em alguns post fiz referência!

    ResponderEliminar
  10. Anónimo18:49

    As ameaças são feitas através de "bocas indirectas" do mais baixo nível. Os contratados, na minha escola, estão assustados.Mas há mais:
    -Há professores fechados no executivo, a dizerem mal de outros colegas;
    -Há choros; acusações e vinganças.
    -Há cartas anónimas a falarem mal de este e daquele.
    NUNCA vi tal coisa, em quinze anos de ensino.
    Sinto-me profundamente desiludida com a escola.
    Gostava que alguém com mais experiência me dissesse, se alguma vez o ambiente das escolas foi tão mau. E se têm alguma segredo para não se deixarem envolver com estas questões.
    Obrigada e Força a Todos. Estamos TODOS no mesmo barco.

    ResponderEliminar
  11. @anónima - Por acaso, não me surpreende! Infelizmente são muitos aqueles que confundem estar no poder com despotismo! E outros que tendo a obrigação moral de falar, escolhem o cobarde silêncio!

    ResponderEliminar
  12. @6:49 PM

    É óbvio que o ambiente é de terror. As escolas estão agora cheias de comissários políticos socialistas. Há muita coisa que não concordo com o Alberto João Jardim mas hoje falou muito bem: modelos de avaliação baseados no Chile do Allende e da Bachelet só podem dar nesta espécie de Terror à Robespierre. Mas o Robespierre foi ele próprio guilhotinado pela sua revolução que ele tão ardilosamente defendia.

    Que escola é essa que referiu? Temos de nos ajudar uns aos outros.

    ResponderEliminar
  13. @rataplan - compreendo o que quis dizer e reconheço que o funcionalismo público está cheio de pequenos pulhas ditadores; mas cuidado com os exemplos! O mesmo Alberto João que confirmou isto, não apenas avaliou os professores por portaria, como, convenhamos, não será o exemplo ideal de imparcialidade política...

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!