quinta-feira, abril 24, 2008

OviBeja...


Apesar de a Ovibeja estar ligada a algumas das mais deliciosas e inesquecíveis vivências da minha adolescência, começo a crónica desta manhã com uma declaração de interesses, firmando que desde há muito observo com olhar crítico a grande feira do Sul. Tendo mesmo optado em alguns anos, por não visitar o certame!

Não se procure fazer a injustiça de depreender das minhas palavras qualquer tipo de menosprezo pelo excepcional trabalho realizado pela ACOS: é a todos os títulos notável o sucesso da feira, uma das maiores iniciativas do Sul do País, o mais belo cartão de visita da nossa região! Nunca me irei esquecer, do regionalista prazer que sempre senti ao trazer a Beja amigos de fora, surpreendendo-os com aquilo que o Baixo Alentejo tem de melhor para oferecer! E, para que a minha posição fique imaculada, deixo claro o que é óbvio: eu não tinha tido capacidade para fazer esta grande feira, pelo que me rendo à excelência do trabalho dos promotores da Ovibeja!

Mas os elogios não podem ser cegos e nem a Ovibeja pode procurar estar acima da crítica, mormente aquelas que tendem a ser construtivas: sendo uma iniciativa privada, a Ovibeja é hoje muito mais que a Acos é a feira de uma cidade, de uma região!

Em conversa com o Engenheiro Castro e Brito no programa Conselho de Opinião, o rosto da Ovibeja usou de forma feliz, um lugar comum popular: "mais vale cair em graça do que ser engraçado"!

Com efeito, ano após ano a Ovibeja tem repetido perigosos equívocos: as entradas continuam muito caras (não obstante nos últimos anos terem surgido algumas alternativas como o bilhete familiar e o bilhete para toda a feira), os preços cobrados aos expositores elevados, repercutindo-se nos custos das feiras, onde tudo é demasiado caro e num melting pot de produtos e serviços, uma multidisciplinaridade de ofertas, que podem descaracterizar a Feira, cada vez mais igual a qualquer outra! Importa não esquecer a génese agrícola do certame, a exuberante importância da pecuária, que sempre funcionou como o elementos diferenciador da Ovibeja face à concorrência, a especificidade que definia esta feira e a tornou numa exposição obrigatória!

Não ignoro que é difícil baixar bilhetes quando de ano para ano se batem recordes de visitantes; que em termos de gestão parece loucura baixar o preço de um produto quando a procura excede a oferta: não desconheço que abrir a porta da diversidade foi a única solução possível nos anos maus e que permitiu salvar a feira em tempos de crise! Como acredito e desejo que este ano poderá ser a mais visitada feira de sempre!

Mas deixo o alerta aos que de forma tão positiva têm organizado a Ovibeja: pensar no imediato, descaracterizar a feira para maximizar os lucros de um ano, pode ter custos elevados a longo prazo! Por isso é bom que nunca esqueçam que um evento que " caiu em graça em vez de ser engraçado" corre o risco de passado uns anos não ter graça nenhuma!

4 comentários:

  1. rui p15:24

    Excelente post.
    De uma lucidez invulgar.
    Parabéns pelo teu dom quer de escrita, quer da interpretação de certos matérias.
    Subscrevo na íntegra esta opinião.

    ResponderEliminar
  2. mas este ano veja la s me faz uma visita jk la vou estar a trab lol

    k

    ResponderEliminar
  3. Bom post! Acho que davas um melhor jornalista do que professor, mas como não te conheço como professor, aliás, nem sequer te conheço pessoalmente, deves estar bem onde estás :)

    Bem, é difícil saber para onde a Ovibeja se deve dirigir no futuro, que rumo deverá seguir. Penso que estão num bom caminho, todos os anos há novidades e inovações, todos os anos os promotores do evento aprendem algo de novo que vão aproveitar para o ano seguinte.

    Já agora, nós (Associação Cantinho dos Animais), à semelhança dos anos anteriores, estaremos de novo nessa feira. Vamos estar no 1º Pavilhão do Nerbe, aquele que se encontra logo após passar o túnel que separa os dois espaços da Ovibeja. Como sempre, tentaremos dar para adopção alguns animais e vamos fazer uma campanha de angariação de fundos para podermos construir um novo canil, já que estamos quase de saída definitiva do Canil Municipal!

    ResponderEliminar
  4. Anónimo10:46

    respondendo ao Zig, como aluno(a) q fui, posso garantir que é um óptimo professor.

    qto à ovibeja, só é pena não terem 'pulseiras' aquando da aquisição do bilhete para poder entrar e sair livremente do espaço da mesma para que quem a visite possa por ex. ir conhecer tb a cidade e de novo regressar para os espectáculos!

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!