quarta-feira, abril 27, 2011

E depois, sentaram-se num banco e ficaram quietos e mudos a ver a vida passar...



Berengária nasceu no dia do seu nascimento, filha do seu pai e de sua mãe – não dos pais do leitor, mas dos pais dela – e por estranhas razões nasceu nua e desdentada! Mas a vida fez-lhe bem e hoje com trinta anos e tantos pecados, é uma mulher deslumbrantemente normal, como eu, se fosse gaja, a leitora ou a rapariga da loja da esquina!
Berengária sempre teve alergia ao trabalho duro e ao esforço! No secundário perdeu anos, porque estudar, por uma qualquer inusitada razão, é mais aborrecido que namorar, cabritar, beber uns copos, fumar daquelas coisas que fazem rir e dão sono; é certo que chumbou de anos, que fez um aborto em Espanha e outro com comprimidos, mas raramente faltou a concertos, fez férias no estrangeiro e divertiu-se faustosamente!
Um dia a vida sorriu-lhe, o mundo mudou em três dias, alguém descobriu uma coisa chamada mais 23 e tornou-se universitária! Porque já tinha vivido tudo e tudo deixou saudades, quis ser e foi adolescente outra vez, foi caloira pintada, veterana trajada, foi a jantares que terminaram no pequeno almoço, arraiais, festas e folias, putarias felizes, porque o Carnaval são apenas três dias e urge comemorar a Pascoa a semana académica e aquelas noites que de pequenos  nadas sem faz um tudo!
Berengária acabou o curso, falou com um primo que era doutor, que lhe conseguiu um estágio que virou emprego sem nunca ter sido trabalho, comprou casa, toda mobilada com plasma na sala  e frigoríficos cinzentos, mais um carro todo charmoso com tecto branco, apesar de azul, foi de férias, perdeu-se na Mango, na Massimo Dutty, as calças eram salsa e a cuecas da woman secrets! Berengária pediu empréstimo ao Banco, fez leasing do carro, encheu os cartões de crédito com as futilidades indispensáveis e fez mais um crédito pessoal, pediu cartão wortem quando apareceu o iphone, com o cartão da fnac comprou um Mac e um dia percebeu que não tinha dinheiro para pagar as dívidas! Felizmente na net conheceu a cetelem, pediu novo empréstimo e para comemorar foi passar um fim de semana num spa! E comprou um par de sapatos!
Berengária foi à manifestação da juventude à rasca! Porque os juros que lhe cobram são insuportáveis, porque os bancos são cruéis e enchem-se de dinheiro a explorar pessoas como ela! Por culpa dos mercados!
Berengária não é mulher! Berengária é um País…  

9 comentários:

  1. Pedro00:56

    Palmas! Parabéns!

    ResponderEliminar
  2. Um bom texto.
    Já tinha lido isto?
    http://tempocontado.blogspot.com/2011/04/antonio.html

    ResponderEliminar
  3. A explicação é tão simples que até custa acreditar, porque é sempre melhor complicar ou atirar a culpa em alguém.

    ResponderEliminar
  4. Capitão - Não conhecia! Mas gostei de conhecer!

    ResponderEliminar
  5. Anónimo11:25

    EXCELENTE!

    ResponderEliminar
  6. Deslumbrantemente bem escrito!! Bravo!

    ResponderEliminar
  7. Maravilhoso como tantos outros =)
    Bjs* cota

    ResponderEliminar
  8. Anónimo21:39

    Boa noite
    Geração a Rasca:
    Músicos ( recibos verdes anos sem fim )
    Actores (recibos verdes )
    Professores ( recibos verdes )
    Licenciados ( desempregados )
    Trabalhadores públicos ( recibos verdes /colegas super efectivos que não fazem nenhum)
    Jovens empresários ( impostos insuportáveis )
    Iva
    Taxas
    IRC
    IRS
    S.Social
    EDP
    PT
    GALP
    Estas são algumas das despesas que aumentaram e perante a precariedade dos empregos que vivemos hoje é insuportável!...
    Nem toda a gente teve a mesma sorte que essa menina que tem vivido sempre a curtir e o seu a rasca são créditos de consumo ( pois bem entregue as coisas se não tem dinheiro para pagar)
    Esta geração o que tem é comum é que são jovens e em inicio de vida muitos com filhos pequenos e uma vida injusta e precária!

    ResponderEliminar
  9. Anónimo15:37

    Em que País do mundo os actores e os musicos têm contratos de trabalho para a vida! Olha que isto de ser radical com horário das 9 às 5, tem que se lhe diga!

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!