quarta-feira, agosto 25, 2010

Limpem-me PORRA!!!

Olá sou uma casa imunda em Beringel e pedi ao Zig para me fotografar! A minha dona está internada no Hospital e não há ninguém que tome conta de mim! Moram aqui cerca de uma dezena de cães, uma espécie de cobras, ratos de todas as cores, odores e sabores, bem como um incontável número de outros animais não identificados, pelo que eu hoje sou um problema de saúde pública, causando problemas graves aos meus vizinhos!
Se a Junta de Freguesia de Beringel não me conseguir limpar, então que venha a Câmara de Beja, ou outra qualquer entidade pública ou privada, porque a situação é insustentável!

25 comentários:

  1. Xii! Isso parece dificil, primeiro encontrar alguém competente que se responsabilize pela limpeza, sobretudo que saiba como fazê-lo e por onde começar, isso parece-me uma grande michórdia. :(

    ResponderEliminar
  2. Já sei desta historia a muito...

    Se nenhuma dessas entidades fizer o que é suposto fazer , em conjunto com outras entidades, teremos que aderir ao voluntariado daqueles que tanto se compadecem com esta situação!
    Estou disposta a colaborar!

    ResponderEliminar
  3. Anónimo09:34

    a fotografia não demonstra plenamente as condições degradantes em que a senhora vivia, por motivos profissionais estive nessa "casa" ...o que me choca e preocupa, é como é que num país dito civilizado, uma pessoa pode sobreviver durante tanto tempo nestas condições sem que nenhuma instituição tenha intervido...Dessas que puxam sempre da moral e etica para justificar algumas coisas que fazem

    ResponderEliminar
  4. Anónimo09:35

    outra coisa, mesmo que limpem a casa, esta não tem as condições básicas de habitabilidade...

    ResponderEliminar
  5. Subscrevo todas as frases que aqui ficaram escritas!

    ResponderEliminar
  6. Anónimo11:30

    Por falar em limpeza, neste caso de procedimentos:

    Evento foi adjudicado por ajuste directo por 74.950 euros. A partir dos 75 mil euros, "a autarquia seria obrigada a contactar pelo menos três empresas".

    A adjudicação pela Câmara de Beja, por ajuste directo, de um evento ligado à promoção dos vinhos alentejanos levou a CDU local a pedir explicações ao executivo municipal há dois meses. Os socialistas que governam a autarquia continuam sem dar resposta.

    Realizada a 3 de Julho, no castelo da cidade, a Beja Wine Night incluiu "música ao vivo, actuações de DJ, jogos de luzes e espectáculos pirotécnicos", refere o site do evento. "Entre os convidados, estiveram presentes conhecidos nomes do teatro e da televisão", acrescenta a empresa organizadora, a Essência do Vinho. O que o vereador da CDU Miguel Ramalho estranha é que a realização do evento tenha sido "adjudicada a uma só empresa, por ajuste directo e por 74.950 euros, no limite estipulado por lei". A partir dos 75.000 euros, "a autarquia seria obrigada a contactar pelo menos três empresas", prossegue o autarca, explicando que a realização da festa "foi adjudicada antes das alterações ao orçamento". Ou seja: foram feitas alterações ao orçamento a 7 de Julho para um evento que tinha tido lugar quatro dias antes.

    Há dois meses que a CDU, força opositora ao actual executivo da Câmara de Beja, gerido por uma maioria absoluta socialista, aguarda explicações. Pretende saber quanto custou o evento, a quem e como foi adjudicado, a que público se dirigiu e quais os patrocinadores e os montantes envolvidos.

    Segundo o vereador da Cultura e do Turismo, Miguel Góis, a Beja Wine Night foi uma "acção de marketing territorial", para mostrar que Beja se pode "afirmar como destino turístico de referência, impulsionado pelo sector do vinho". Os números apresentados pela autarquia referem que compareceram à iniciativa "mais de 1500 pessoas".

    Como a CDU não obteve respostas, Miguel Ramalho levou o tema à reunião de câmara do passado dia 7 de Julho. Confrontado pelos seus opositores, o presidente da autarquia, Jorge Pulido Valente, reagiu: "Não faz qualquer sentido estarmos a ser constantemente fiscalizados pela oposição", e " muito menos a fiscalizações prévias".

    Quanto aos esclarecimentos, remeteu-os para um relatório a entregar mais tarde. Na sua resposta, a CDU exigiu ainda saber "como e quanto (se foi em dinheiro) cada empresa patrocinou" e "quais as receitas em que se traduziu esta iniciativa", lembrando que Pulido Valente tinha anunciado dias antes da realização do evento que a situação financeira do município "era insustentável", pelo que a autarquia iria ter de avançar com um plano de austeridade.

    Como o prazo para apresentação do relatório prometido por Pulido Valente foi entretanto ultrapassado, a CDU pediu o agendamento da matéria para a próxima reunião de câmara, marcada para 1 de Setembro. O vereador Miguel Góis adiantou que o relatório será "possivelmente" apresentado nesse dia.

    ResponderEliminar
  7. Anónimo11:31

    Por falar em limpeza, neste caso de procedimentos:
    http://www.publico.pt/Local/noite-dedicada-ao-vinho-suscita-duvidas-a-cdu-de-beja_1452777

    ResponderEliminar
  8. @anónimo - já o escrevi antes e se o deixa feliz volto a fazê-lo: apresentem um relatório e mostrem os números! Uma das razões que pessoas como eu lutaram pela mudança, foi porque não aceitamos a falta de transparência! Já ouvi uma "mente pensante" defender que como no passado o PCP não apresentava os números, não devem perguntar agora!!! São conversas de gente tonta, para gente tonta ler!
    Fui e sou pela transparência e os vereadores CDU e sobretudo os bejenses, têm o direito de saber!

    PS - uma breve nota: é lamentável que o jornalista que assina a reportagem não tenha feito a cobertura do evento e agora publique a polémica: uma mau serviço ao jornalismo, um mau serviço à cidade!

    ResponderEliminar
  9. Anónimo12:36

    Você não está a ver bem o filme: está aver o público a escrever: Lili Caneças participou ontem num chiquérrimo evento realizado no Castelo de Beja, para além desta socialite estava ainda o ilustrissimo vereador Miguel Góis que vestia uma elegante camisa branca cintada, a fazer pendant com uns vistosos óculos também brancos.
    Não é bem o género do Público, quanto muito do Correio da Manhã, esses sim prestam um grnade serviço ao jornalismo.
    Mas essa sua forma taxativa de julgar os jornalistas e a forma destes desempenharem a sua profissão deixa um bocadinho a desejar.

    ResponderEliminar
  10. @anónimo - Discutam-se os valores, discutam-se a transparência, se teve ou não a dimensão que se esperava: mas é inequívoco que foi um evento com pertinência, uma forma diferente de evocar o vinho!
    Reconheço que no panorama actual dos media o que "vende" são as polémicas, o lado negativo das coisas e não as boas iniciativas: mas reconhecer isso, não me obriga a sufragar! Tenho pena que jornalista da cidade não tenham tido a capacidade de divulgar algo que foi positivo para a cidade: porque o seu mau serviço à região, deixou muito a desejar! Infelizmente, para muitos é dificil a frase: o meu partido é Beja!

    ResponderEliminar
  11. Este tipo de situação ocorre a espaços, em várias localidades, não sei se a indignação agora é por ser em Beringel...
    Recordo que em Beja, a casa da herdeira do Luis da Rocha, em pleno Centro Histórico sofreu de várias limpezas e desinfestações efectuadas pela Câmara. E a Sra. tinha familiares, herdeiros que prontamente se disponibilizaram a lá entrar...depois dela morrer. Outros casos do género eram detectados na malha urbana e a Câmar programava a intervenção de limpeza, contactos com faimiliares, noutros casos, diligenciava com outras entidades o internamento dos seus moradores, etc...
    Não se pode dar notícias sem saber a totalidade dos factos.
    Não conheço o caso em apreço mas é muito fácil intervir: Alguém apresenta a queixa ao municipio - neste caso tanto pode ser a Junta como um vizinho - o GDS efectua visita, identifica os meios necessários à limpeza, agenda a mesma com os serviços, articula com o Hospital e a Seg. Social as necessidades futuras da moradora e..voilá, assunto arrumado.

    ResponderEliminar
  12. Mar - quando pela primeira vez falei nisto, referi que era Beringel mas podia ser em Beja ou em outro qualquer local!
    Se destaco o tema foi porque me pediram ajuda! E esta é a única forma que tenho de ajudar! (não faço telefonemas!) E, pela experiência que tenho, falar em público nestas coisas tende a ajudar!
    Sobre o caso concreto, os prejudicados já foram à Junta e à Câmara, que estão a jogar ao empurra: pode ser que assim as coisas evoluam e finalmente se possa escrever... assunto arrumado!

    ResponderEliminar
  13. Fazes tu senão bem em (re)colocar aqui o assunto! Talvez assim se junte um grupo de pessoas a ajudar essa senhora, já que as entidades oficiais pouco mais podem fazer do que limpezas pontuais.

    Também me lembro do caso no Centro Histórico de Beja, era em tudo semelhante, tirando a parte animail que só tinha um, tanto quanto me recordo. Acerca dos animais de Beringel, já estão a "salvo", pelas minhas informações

    ResponderEliminar
  14. Zig - A informação que tenho é que ainda ficaram cães...

    ResponderEliminar
  15. Confirmam-me agora que ficaram 6 cães! Sem água e sem comida, dependentes da piedade dos vizinhos!

    ResponderEliminar
  16. Epá coitados dos bichos,achas que os vizinhos vão tratar bem deles ou isso é só para ficarem bem vistos. È que os pobres bichos precisam de muito mais do que alimentaçäo para serem saudáveis e minimamente felizes.

    ResponderEliminar
  17. Lou - Conheço pessoalmente alguns vizinhos, três para ser específico: e garanto-te: são pessoas de uma profunda generosidade! Mas.. não podem "aguentar" a situação, até porque, num caso de um dos vizinhos, não tem condições económicas para tal!

    ResponderEliminar
  18. OK H, ainda bem que já existem esforços para que alguém resolva a situação. Agora o jogo do empurra...não comento.
    Como referi, "antes" era assim que se fazia...

    ResponderEliminar
  19. Mar - falei no tema, porque me entristeceu conhece-lo, ciente de que há demasiados similares, um pouco por todo o lado!
    Mas abordei-o num contexto: governar é traçar prioridades: e a minha não é resolver a histeria de um muro que não faz mal a ninguém!
    Sobre o jogo do empurra.. faz parte do Pais onde vivemos: e ser entre a junta de Beringel e a CMB, deixa-me confortável, porque é público que tenho proximidade com o actual executivo e o Presidente da Junta de Beringel merece-me respeito: tinha sido um óptimo candidato pela Beja Capital!

    ResponderEliminar
  20. Mau...:(

    Não sabia!

    Vou-me informar melhor, depois digo qq coisa!

    ResponderEliminar
  21. Zig - Foi a informação que me deram hoje...
    PS - E há interessados em adoptar...

    ResponderEliminar
  22. Então, se houver interessados, força nisso! Penso que não haverá problemas se alguém quiser ficar com um dos cães, vou, no entanto, aguardar o que me dizem sobre este caso, o que me dizem as pessoas que tiraram a foto.

    ResponderEliminar
  23. H concordo em absoluto com a definição de prioridades. A histeria do muro só mesmo para rir, de facto. Ando a ver o que diz a Aministia Int, da expulsão em massa de uma etnia da França mas se calhar em Beja seremos mais importantes, sei lá...:-)

    ResponderEliminar
  24. Mar - já o escrevi em outro post: pessoalmente, preocupa-me mais a expulsão de generosas e altruístas brasileiras...

    ResponderEliminar
  25. Anónimo22:56

    Fui a Beringel... ...e vim doente:(
    Como é possivel o ser humano testar os seus limites de forma tão cruel e masoquista?
    Depois de ver a foto do Zig, preperei-me para o pior, mas nada como ver os bichinhos andarem pelas recordações da dona da "casa" ao som do ladrar de 6 cães completamente possessos pela fome e saudades de uma palavra de carinho sem ser "calem-se porra".
    O cheiro?
    Bati à porta da vizinha para me auxiliar a "conhecer" melhor os animais, apareceu uma senhora com um ar doce e ternurento de nome Maria Carolina e pergunta: "vem buscar os cães?", expliquei-lhe que ia conhece-los objectivando adoptar um! "só um?"
    Depois de ouvir o vizinho dizer: "quando os levam a todos? A gente já não dorme...."

    Depois de uma troca de desabafos misturados com perplexidade percebi que afinal a senhora tem familia!!!! Apenas vivem longe e ocupadas com as suas oriversarias na capital...
    Coloco a questão de novo: "como é possivel?...."
    Não abrimos a porta, logo , não foi possivel conhecer os caes...de perto. Percebi que o empenho da vizinha D. Maria Carolina é grandioso! A alimentação dos cães feita varias vezes ao dia é feita pelo buraco do vidro da porta!
    Ah...este vidro foi partido para que pudessem lá entrar e salvar a "idosa" , pois havia "tempo que a senhora não dava sinais e os caes não se calavam". Assim que arimos a porta fiquei doente, pois os 12 caes estavam encima da senhora que permanecia caida no chão sem se conseguir mexer.."

    Depois de algum tempo, veio um senhor pedir que viesse dizer para Beja ao Sr do Cantinho dos Animais, que lhe levasse comida para 6 gatos por favor!
    Deixei a ração que levava no carro e espero que , assim que abram a porta , os caes saiam e eu finalmente cumpra o meu objectivo!

    Vivemos em que seculo?

    Obrigada pela sua informação , acredito que muita gente carecia de uma hora como a minnha...jamais esquecerei o que vi e acredite que já vi muita pobreza !

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!