segunda-feira, agosto 30, 2010

Pense nisso...

Não sou hipócrita: não cumpro a totalidade das regras de trânsito. Até porque felizmente já me esqueci de inúmeras delas! Como sou um perfeito nabo em mecânica: não comentem, mas ainda percebo menos de carros do que percebo de vaginas!
O leitor pode pensar e bem que este post sobre prevenção rodoviária é motivado por este feio Agosto onde morreram demasiados portugueses na estrada! Mas está enganado: não estranho que morram tantos, o que me faz confusão é como não se morre mais nas nossas estradas!
Hoje numa curta viagem, por duas vezes tive de sair da estrada porque duas bestas rectangulares compraram o meu lado da estrada e esqueceram-se de me avisar e, por quase nada, não levei duas cornadas! Aliás, é feio dizer isto e até pode cheirar a falta de respeito pelo sofrimento das famílias, mas alguns dos acidentes mediáticos destes dias, tiveram escrito irresponsabilidade em todo o trilho!
Porque o problema dos nossos acidentes rodoviários não são os carros, as estradas, as péssimas aulas em que não se ensina a conduzir: morre-se na estrada por falta de civismo, porque há demasiadas bestas com carro nas patas, sem o menor respeito pela vida alheia! E isto só se resolve com murros ou com prisão!

13 comentários:

  1. Concordo. Plenamente. Não há maus carros, más estradas ou maus condutores.
    Há sim, bestas com carro.

    Nota: a comparação de mecânica com uma vagina vai obrigar-me a mais uma consulta no psicólogo. Obrigado!

    ResponderEliminar
  2. Nunca é demais lembrar...!

    Também eu tive a minha situação ainda há pouco...uma "besta", neste caso feminino, passou o vermelho quando no meu lado indicava verde...depois circulava muito devagar, quando a passei estava a falar ao telemóvel - realmente!

    ResponderEliminar
  3. Concordo.

    Não há maus carros mas há carros em más condições, logo são maus...

    Há estradas más e ponto final. Em estradas boas mesmo os maus condutores não teriam os acidentes que têm! Nem as bestas!

    Acho que um dos problemas é pensar-se que ter a carta é um direito de todos. Para mim não é.
    Ter a carta é uma responsabilidade que só devia ser dada a alguns...

    Mas ganha-se muito mais dando a carta a toda a gente, claro....

    ResponderEliminar
  4. Anónimo03:43

    Então e os atrasados mentais q um gajo apanha de noite:
    - Os que ñ desligam os maximos, chegam a vir em fila uns atrás dos outros com os maximos.
    - Os gajos do xunning que se picam com o carro de uma pessoa e desatam a fazer ultrapassagens fora de tempo e de sitio apropriado só para ficarem à nossa frente e terem uma erecção quando o conseguem, sendo q muitas vezes somos obrigados por uma questão de ética e de moral a travar a fundo para que o cromo ñ se espete com o que vem de frente ou saia fora da curva, tudo porque quis fazer a ultrapassagem onde ñ devia e não viu a curva ou os carros que vêm de frente.
    - Os ciclitas "profissionais" que andam quase no meio da faixa de rodagem.
    - Os gajos que andam de bicicleta à noite sem qqr luz reflectora ou colete na faixa de rodagem.
    - Os piões que andam também a pé pela faixa de rodagem sem qqr tipo de colete reflector.
    - Pessoal distraido a conduzir com telemovel, pintarem os olhos, e sei lá mais o q.
    - Gajos e gajas que sem razão nenhuma travam a fundo.
    - Pessoal q ñ dá pistas, é como acertar no totoloto, temos que calcular para onde é q o bicho vai virar, esquerda ou direita?
    - Malta que gosta de roubar parques de estacionamento msm que para isso quase q atropele alguem ou bata no carro que já ia estacionar.
    - Pessoal que gosta de conduzir dando beijinhos no nosso para-choques ou que nas subidas se cola a nos correndo o risco de em caso de ser necessario imobilizar o veiculo ou um descuido e o carro discaia ligeiramente para trás acabe por bater.
    - ETC!!!
    Tudo isto já assisti eu em 4meses de carta "LOL".
    As escolas de condução são um negócio do pior, sai-se de lá sem saber conduzir e depois estamos por nossa conta nesta selva.. basta perguntar a quem acabe de tirar a carta se tá pronto para andar sozinho a conduzir ou melhor.. o que ele acha dos arranques nas subidas em carros a gasolina, para ver o pânico instalar-se neles!

    ResponderEliminar
  5. COMPLETAMENTE DE ACORDO COM O POST.
    QUANTAS E QUANTAS VEZES EU TENHO QUE ME ENCOSTAR O MÁXIMO À DIREITA PRA NÃO LEVAR CORNADA DOS ASNOS QUE ME ULTRAPASSAM. JÁ PERDI A CONTA A ISSO.

    ResponderEliminar
  6. com quase 2 anos de carta já vi tanta, mas mesmo tanta asneira que realmente dá que pensar como é que não morrem ainda mais...

    Ainda há coisa de 2/3 semanas ia levando com um em cima porque lhe apeteceu fazer uma ultrapassagem em cima de uma curva sem visibilidade. Se calha eu ir um pouco mais depressa ou não tivesse travado assim que o vi, não tinha ficado nada bem tratado!

    ResponderEliminar
  7. @Miguel

    Um bom condutor sabe conduzir um carro mau ou em más condições (embora não deva) e não querer fazer dele um carro bom.

    Diz que há estradas más. Eu acho que para bons condutores todas as estradas são iguais, porque o bom condutor sabe distinguir as condições de circulação de qualquer estrada e adaptar a condução.

    Que me lembre, o maior acidente até agora neste ano aconteceu numa estrada excelente, certo? A não ser que até uma auto-estrada com a A25 seja má. Bem, neste caso foi, pois alguns maus condutores tiveram um acidente.

    Repare que nem só os maus condutores têm acidentes. Estamos a falar globalmente.
    E globalmente o que vemos é aquilo com que todos os dias convivemos na estrada.

    Concordo que ter a carta não é um direito de todos. Ou não devia.

    Nos USA as multas de trânsito, para além da coima, estão sujeitas à suspensão da carta de condução e ao agravamento do prémio de seguro. Também o facto das matriculas terem uma validade e necessitarem de uma renovação periódica, facilita o controle de quem pode ou não ter licença para conduzir. Ou até matricular um carro e fazer seguros.

    Em Portugal, já passamos à muito a fase do agravamento de coimas e de penas.
    Está talvez na hora de fazer as coisas a doer.
    Digo eu.

    ResponderEliminar
  8. @paulo e Miguel, e os outros que quiserem ler!
    Não estou a defender o modelo para Portugal, porque num País com tanta fuga ao Fisco era perverso! Mas, na Suíça, os valores das multas depende dos rendimentos/património, o que é interessante! A semana passada fui multado em 30 Euros e sem falso puritanimo, não perdi o sono e voltarei a estacionar no mesmo sítio: mas para demasiadas pessoas, esses 30 euros significavam um abalo terrível nos débeis orçamentos. Por maioria de razao, as multas de excesso, para muitos condutores não funcionam como sanção, porque não lhes custa pagar!

    ResponderEliminar
  9. H,

    Acho que o problema não são as multas, se bem que pudessem ajudar.

    O estacionar mal é uma coisa quase para rir ao pé do que estamos a falar. Não tem nada a ver. Mas sei que foi um exemplo, que concordo. Para certas pessoas pagarem 500 ou 1000 euros de multa é uma brincadeira. Mas se ficassem sem carta 1 ano ou mais...

    Um dos problemas começa logo pelo código da estrada que tem muitas aberrações.
    Os limites de velocidade estão, na sua base errados porque há estradas onde se pode perfeitamente andar a 150 e há outras em que ir a 50 chega a ser perigoso. As estradas não cabem todas nos 50, 90 ou 120...
    É só um exemplo fácil!

    Há pessoas que não têm qualquer coisa (não sei bem definir o quê mas pode até ser jeito ou consciência ou aptidão...) que lhes permita pegar num carro...
    Do mesmo modo que nem todos têm jeito para futebolistas ou para medicos ou engenheiros ou politicos...

    Eu que tenho mau feitio, mesmo, acho que isto é uma coisa do género de se ter filhos: parte-se do principio que é um direito de todos mas há gentinha que não está minimamente capacitada para ser pai/mãe pelo que não devia nunca ter filhos. Um filho é um bocadinho mais que um nenuco... tal como andar na estrada é bem diferente de brincar com carrinhos!

    ResponderEliminar
  10. H, esta imagem até me tirou a vontade de fazer a minha viagem preferida!

    ResponderEliminar
  11. R. No Brasil há vários Estados onde existem estas imagens perto da estrada! Parece-me eficaz! Aliás, no meu caso, aquelas flores junto à estrada fazem-me sempre baixar a velocidade!

    ResponderEliminar
  12. Paulo,

    Não discordo em absoluto do ponto de vista do seu argumento, na sua base, digamos assim, mas isso tem pouco de vida real. Coloca o peso de tudo no condutor... e isso já me parece errado.

    Há carros maus. Ponto final.
    Nenhum supra sumo do volante transforma uma lata num carro xpto. ´
    Por outro lado, concordo que um bom condutor adapta-se ao carro que tem... Acho que é esta também a sua ideia.

    Há estradas más, por estarem degradadas, e há estradas más, por estarem mal concebidas!
    Nenhum supra sumo do volante as torna boas, seja qual for a circunstância.
    Do mesmo modo, no seu raciocinio, que eu concordo, o bom condutor adapta-se.

    Estes 2 problemas estariam reslvidos se nós, os bons condutores, fossemos perfeitos. Mas não somos. Temos falhas, também passamos os limites aqui e ali... acontece. Se isso acontecer num carro xpto e numa estrada bem concebida e em boas condições, não há azar. Mas se não for assim?

    Um dos problemas do país é a desresponsabilização de tudo e todos para (quase) o que quer que seja... Aqui e ali vão-se pedindo responsabilidades menores a gente menor e vamos vivendo neste faz de conta que se vai governado isto.

    Esta coisa das inspecções, teoricamente está muito bem mas depois vêem-se aí viaturas que é impossivel que passem numa inspecção. E isto é relativamente frequente. É só um exemplo.

    Se as pessoas fossem responsabilizadas, se os gajos que fazem as estradas mal feitas perdessem o emprego e o direito a fazerem mais coisas dessas (e isto aplicado a todas as profissões - por exemplo acabava logo com os atestados falsos porque nenhum médico se arriscava a ficar se poder exercer) muita coisa ia mudar.

    Não é preciso multas.
    As multas são para pequenas infracções, como o estacionar. Tudo o que é incompetência (e muita gente que anda de volante nas mãos é incompetente a conduzir) e tudo o que é falcatruas era cortar o mal pela raiz: para isto não serves, vai arranjar outra actividade onde possas ser competente e honesto!

    Isto chegou a um ponto, como diz o H, que para muitos as multas até os fazem rir... ainda dão gorjeta se for preciso!

    ResponderEliminar
  13. Anónimo22:14

    Sou brasileiro, residente no Rio de Janeiro, e achava que essas estupidezas só aconteciam aqui, nas estradas e ruas do Brasil, onde por uma questão estrutural, está cheio de bestas conduzindo veículos.
    Mas pelo que vejo, a burrice e a irresponsabilidade está espalhada pelo mundo.

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!