sábado, março 15, 2008

"O almoço do trolha", de Júlio Pomar...

Júlio Pomar é um exemplo escasso de um artista que conseguiu em vida ver reconhecida a sua arte! E só a possibilidade de homenagear um artista ainda vivo, justiça a escolha desta noite.
Ofereço ao meu leitor o “almoço do trolha”, quiçá a mais exuberante obra do neo-realismo lusitano, que nos retroagir ao Portugal de Salazar, um Portugal orgulhosamente só, fechado sobre si mesmo, na sua miséria económica e moral!
Na tela, uma família patriarcal, onde a esposa aninha no colo o seu filho, leva a marmita ao esposo, que sentado no chão engana o corpo exausto com uma refeição naturalmente escassa. Nas entrelinhas do quadro, conseguimos encontrar retalhos de crítica política, a censura que nunca soube calar, nem pintar com cores de conformismo!
Não é coincidência que Pomar centre o quadro num operário, de rosto cerrado e triste, com semblante carregado, ecoando ao vento sofrimento, a mágoa do assalariado, em sintonia com o olhar infeliz das sua esposa, num contraste com o menino, enrolado num manto de esperança! Por outro lado, é sintomático o elogio ao trolha, o mais caricato estereótipo das últimas décadas no mundo português!
A sua participação política valeu-lhe uma estadia em Caxias, onde pintou um dos seus quadros mais famosos, o retrato do seu companheiro de cela, Mário Soares. O ambiente politicamente hostil em Portugal é o convite que precisa para percorrer as capitais europeias da cultura (Madrid e Paris), onde conhece de perto as obras dos grandes mestres do século, como Goya ou os grandes nomes da pintura próximos do Partido Comunista, Rivera e Portinari, influencias maiores do neo-realismo português!
O Júlio Pomar octogenário não resiste a pintar, conduzido pelo mesmo sentimento que o fez desenhar as primeiras telas: a inquietação! E será inquieto que a vida um dia o irá levar, imortalizando a sua arte, conduzindo-o à restrita galeria dos imortais. Onde um dia irá assistir ao elogio do tão criticado quadro presidencial de Mário Soares…

4 comentários:

  1. Para quem aprecia Júlio Pomar, poderá conhecer grande parte das suas obras no Museu Serralves no Porto.

    A exposição denomina-se “Cadeia da Relação” e vai até 20 de Abril.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo17:46

    É uma interpretação "muito livre" mas oferece ainda mais brilho ao quadro!

    ResponderEliminar
  3. Anónimo19:17

    Bem ...
    Vim aqui ter por acaso, andava a ver quando foi pintado o quadro referido de júlio Pomar(Só cá por coisas)...

    Agradeço sempre a quem me faz rir, e nesse contexto achei divinal a indução de pensamento seleccionada para incentivar o respeito pelas opiniões contrárias...

    sugiro que acrescente" e ou cônjuge " talvez ainda mais contundente , não?.
    Isabel Seixas

    ResponderEliminar
  4. Obrigado Isabel! E vou aceitar a sua recomendação! Volte sempre...

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!