quinta-feira, setembro 02, 2010

Memórias da minha praia - I


No outro dia lancei a ameaça e hoje coloco um pequeno texto de memórias da minha praia! Não o melhor texto, mas há coisas que não posso escrever e outros que não me apetece! O ano do Tide, foi há muitos anos, ainda eu era estudante!±
Foi o Verão mais longo depois da minha infância! Eu estava de ressaca depois de um par de patins, uma verdadeira época de dor de corno, após o fim do primeiro quase amor! Duas semanas a lenços de papel e depois mergulhou com um monge nos livros: o terceiro ano de Direito era o pior do curso, não tinha cadeiras, eram praticamente todas verdadeiros sofás!
Obrigações - que se tornou fácil porque me apaixonei pela Professora, a deslumbrante Maria Manuel (era este o nome??), Família e Sucessões (para os juristas, a parte das partilhas era assassina, uma espécie de matemática avançada), Direito do Trabalho (soube mais tarde que fui o primeiro aluno da Universidade a dispensar, razão pela qual ainda hoje não percebo nada de Direito Colectivo) e, salvo erro, Direito Penal, com o querido Pinto Pereira, o Professor que me inspirou para os meus estranhos casos práticos, embora os dele fossem bem mais perversos! Dispensei a tudo, excepto a FS, que fiz oral a 31 de Julho, de pé, uma oral soberba segundo o Professor, que me deu catorze. Valores!
Cheguei à minha praia a 19 de Junho (no dia a seguir aos anos da nossa gordinha) e fiquei cá até Setembro, excepto a ida à oral e uma semana de férias lá fora, onde tive o privilégio de conhecer o Carnaval Gay em Ibiza!
As férias foram terríveis: como todo e qualquer homem parvo com dor de corno, entendi que a forma adequada de lidar com a frustração era beber como um animal e conhecer o maior número de vaginas possível!
Mas a história do Tide aconteceu para o fim de Agosto, em plena maldição dos manos! Estava em casa com um amigo e a maldição dos manos era o facto de o mano sair aqui de casa sempre depois das oito da manhã e a mana aparecer pelas 10h, em frustradas tentativas de nos arrastar para a praia! Jantávamos tarde, corríamos as taskas todas, especialmente o Bar do meu querido Marcelo (na época era no Vasco da Gama, versão junto da Piscina) e não raras vezes, havia sempre um feia sóbria que nos levava para a Kadoc, Ubi, um estranho bar perto de Albufeira ou onde quer que o Diabo nos chamasse!
Ao fim da noite, cá em casa! A última cerveja - sim!!! - acompanhada por fruta, comprada no quiosque da rua! E sempre que aqueles animais iam comprar a fruta - melão -, compravam uma embalagem de tide máquina! A história terá começado porque o mano G. quis comprar pasta de dentes às sete da manhã e como não havia pediu um Tide máquina! E por uma estranha razão, quando se está muito bêbedo isto tem piada...
No fim de duas semanas a minha mãe regressou a casa! Fez a vistoria, estranhou nada ter desaparecido e durante duas horas nada comentou sobre o facto de estarem no corredor 12 embalagens de tide máquina! Até que disse a lapidar frase: mas nesta casa, nem há máquina de lavar...

± meus caros e minhas caras alunas, isto é tudo mentira!!!

15 comentários:

  1. Bom antes Tide comprado do que sinal de trânsito roubado ( eu não disse isto!)

    ResponderEliminar
  2. Anónimo08:56

    E isto meus amigos.....é uma versão muito soft do que eram as ferias do Sr. Professor na altura em que era estudante!!!

    Loira.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo09:47

    Não me diga que não vai comentar o (não) relatório do Beja Wine Night. Já sei não o conhece por questões de segurança não foi tronado público.AhAhAh

    ResponderEliminar
  4. Anónimo10:14

    Por razões de segurança não vou comentar o não concurso da tal rotunda dos 50.000 euros, que foi pedida pelos camaradas Chico e Miguel Ramalho, sem cabimento, sem orçamento, sem nada. Foi do tipo, preciso que façam isso e rápido pois as eleições estavam à porta e depois logo se vê.
    Igualmente por razões de segurança tb não vou comentar as centenas de adjudicações por ajustes directissímos às empresas do regime (só com um convite).

    ResponderEliminar
  5. Anónimo10:23

    A argumentação deste pouco anónimo diz muito do que foi o prcesso Beja Wine Night, foi igual ao que os outros fizeram mal, está tudo dito.
    Demita-se senhor Costa!
    Aqui não há quem viva...

    ResponderEliminar
  6. Anónimo10:47

    não quero, nem estou a dizer que estes fizeram ou fazem tudo bem, longe de mim. Mas que antigamente era 10 vezes pior era.

    Só faço votos sinceros, (o meu partido é BEJA) que estes novos senhores façam as coisas transparentes e claras.

    A festa foi um sucesso, parabéns. a Adjudicação um fracasso. Aprendam.

    ResponderEliminar
  7. @anónimo - A minha posição sobre a Wine Night é clara e conhecida!

    ResponderEliminar
  8. Anónimo11:30

    Não, não, o h tinha dito que voltava a falar quando fosse divulgado o relatório.Se não o conhece é outra coisa...mas que valia a pena divulgar o dito lá isso valia.

    ResponderEliminar
  9. Anónimo11:43

    E já agora de certeza que já leu: http://bejahoje.blogs.sapo.pt/50659.html

    ResponderEliminar
  10. bom dia...
    Quer dizer que esse foi o ano do Tide...
    Eu tb teria muitas historias para contar sobre Monte gordo, em versão femenina. Mas mais soft, H.
    ehehe
    Belos Tempos...não melhores que agora, mas diferentes...

    ResponderEliminar
  11. @anónimo - Desconhecia em absoluta que já havia relatório! Aqui na minha praia vendem bolas de berlim, mas relatórios ainda não!
    Depois de um belo robalo, vou fazer a ronda dos blogues e imprensa e tentar perceber o que se passa!

    ResponderEliminar
  12. Anónimo15:22

    Hugo, posso contar a história das manas? LOLLLLL

    ResponderEliminar
  13. Porca - isso é tudo mentira! Boatos, calúnias, difamações e coisas piores!

    ResponderEliminar
  14. Lou - Se me disseres que usavas o sinal para fazer dança no varão, fico ainda mais teu fã!

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!