quarta-feira, junho 18, 2008

Exame Nacional de Matemática...

Um post assim, não se faz sem grande ponderação! E, nunca como hoje, tive tantas dúvidas sobre postar ou não postar! Desde logo foi necessário garantir a legalidade do post. Mas estive a consultar doutrina e jurisprudência e estou convencido que não vou infringir nenhuma norma legal: não tenho qualquer cargo no Ensino Secundário, não elaborei a prova, não conheço quem a fez e obtive-a de forma lícita! Pelo que não cometo nenhuma ilegalidade ao disponibiliza-la! Claro que também suscitei a questão ética! Tendo recebido, por lapso, a prova por e-mail, dias antes da mesma ser realizada, devo torna-la pública? Tive duvidas, mas... o que é errado? Eu tornar a prova pública ou quem tem dever de sigilo, quem devia garantir da inviolabilidade da prova, ter falhado na sua missão? E.. só eu a recebi? Ou algumas centenas de alunos também tiveram acesso à prova e ficam em vantagem sobre todos os outros? Por isso, certo ou errado, fiz o que me ditou a consciência: torno público o exame nacional de matemática do 12º ano, que se realiza, salvo erro, na próxima semana!

7 comentários:

  1. rui p17:01

    H isso é verdade.
    Se sim, este assunto é gravissimo.
    A prova tem de ser anulada, ou substituida.
    Isto merece um comentário que prometo usar noutros assunto:
    "o país de Sócrates"

    ResponderEliminar
  2. rui p17:04

    Parabéns, fintaste-me bem, sabes que por curiosidade fui ler a prova só depois de comentar.
    Mas quanto ao comentário final esse mantenho.
    Ehehehehehe

    ResponderEliminar
  3. bemmm e o meu mail tb não trazia esta ahahaha

    uauuuu acho q vou publicar tb, pelo menos vou divulgar por uns profs de mat q conheço

    LOL

    ResponderEliminar
  4. e por uns alunos tb... talvez assim se interessem mais pelos numeros e problemas LOL

    ResponderEliminar
  5. hehehe, só tu!!!

    ResponderEliminar
  6. Susana Z13:24

    No teu melhor!

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!