segunda-feira, junho 23, 2008

Porque perguntar não devia ofender...

Terá alguma relação com o aquecimento global do planeta e com o problema na camada do osório, que quando chega o verão, os raios ultra-violentos fritem o cérebros dos nossos representantes autárquicos e, sem nada de relevante para dizerem, comecem a defender uma tal de Universidade do Alentejo? Antes o vírus teve em Beja e agora chegou a Évora...

3 comentários:

  1. sgpax17:55

    A sorte é que nas farmácias regionais ainda não se acabaram os medicamentos essenciais, e esperemos que os "técnicos farmacêuticos" não se descurem....

    Mais uma boa razão para a criação do chamado:

    "movimento pró-beja"
    ou
    "movimento anti-évora"

    H » a ideia está dada, só falta aparecer a pessoa certa para criar o movimento!...

    ResponderEliminar
  2. Gosto demasiado de Évora, para de alguma forma me ligar a um movimento contra-Évora ou, contra quem quer que seja!
    Mas.. movimento pró-Beja esse tento integra-lo e sem pudor me assumo como Bejense, antes de tudo!

    ResponderEliminar
  3. Anónimo18:30

    Será que não há mais nada a fazer no e para o Alentejo, do que perder tempo em masturbações pseudo-intlectuais.

    Cada um que seja pró e contra o raio que o parta.

    O que é um facto e uma realidade, é que mais do que palavras, que tal começar a trabalhar um pouco mais com e para o que já existe, está sedimentado e tem pernas para andar. E só não anda melhor por estupidez e a ganância de meia dúzia que não se sabendo bem porquê, chegam a lugares de alguma importância, e depois como não sabem fazer mais nada, desatam a inventar balelas para dar nas vistas e escamotear a sua incompetencia.

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!