quinta-feira, junho 19, 2008

Haja juízo...

Eu já sabia que faziam bênção das pastas com direito a troca de fitas na pré-primária! Entendo que havia formas mais baratas para os pais de comemorar o fim desta etapa, mas até faço um esforço para compreender a iniciativa!
Mas o que o pobre Tico e o ingénuo Teco não conseguem digerir é a existência de viagem de finalistas para os miúdos que terminam a Escola Primária! E, para não dizerem que tenho mau feitio, nem vou comentar a escolha de Fátima como destino!
Chamem-me todos os nomes, mas não compreendo o que passa pela cabeça de uma professora primária (sei que agora tem um nome mais moderno, mas nunca me recordo qual é!) para assumir o risco de uma viagem de dois dias com vinte e tal putos na idade que ainda são ranhosos e mijam na cama, para celebrar o fim da escola primária! Confesso... isto não entendo!

22 comentários:

  1. As crianças que terminam o 4º ano não são nem ranhosos nem mijam na cama, Hugo. São crianças com 9 anos que não lhes faz mal nenhum sairem do buraco que é esta terra...nem que seja para irem a Fátima.

    ResponderEliminar
  2. Mad, conheces o estilo do blogue!
    Como saberás que não acho que sejam ranhosos e todos ainda mijem na cama: e, se até sei o destino... terei razões para brincar com os miúdos que vão, que merecem tudo!
    E claro que lhes faz bem passear: apenas, acho demasiado prematuro para viagens de finalistas! E uma tremenda responsabilidade para os professores! Para a maioria dos que vão, a primeira noite sem os pais!

    ResponderEliminar
  3. Anónimo17:06

    Mad: Devem sair do buraco que é esta terra mas não é para irem a Fátima nem ao respectivo santuário.
    Sabes nem todos os paizinhos e maezinhas partilham a fé que lá se pratica e estas viagem não deveriam ser de carácter religioso.

    ResponderEliminar
  4. Anónimo17:28

    Porque não arranjam outra recordação do fim da primária?
    Quando chegarem ao fim do ensino superior (os que chegarem) as fitas já não têm o mesmo sabor.

    ResponderEliminar
  5. Anónimo17:29

    Nos países nórdicos da Europa é hábito haver uma viagem de finalistas de uma semana no 4ºano. Falo por experiência.

    ResponderEliminar
  6. @nónimo 5.29 - existem enormes diferenças educacionais dos nórdicos para os latinos!
    Pessoalmente, gosto pouco desta importação dos modelos nórdicos, mormente o famoso finlandês!

    ResponderEliminar
  7. escandalizados com fitas na 4ª classe?? desde que soube q fazem fitas para os miudos que saem do infantário, e vão para a escola primária!!
    acho que há festas ou até mesmo passeios bem mais interessantes para os miúdos.
    E realmente... deve ter-se em conta, que nem todos os pais são católicos... e cada vez mais não se pode olhar para as escolas portuguesas como católicas ou cristãs...
    ou está tudo esquecido que já somos um povo com muita mistura étnica??

    ResponderEliminar
  8. Anónimo21:43

    Modernices que também não concordo e sou Professora do 1ºciclo, do ensino básico (é este o nome mais moderno ;)! Têm fitas e capa na pré e no final do 1ºciclo!!! E agora até viagem de finalistas, ainda por cima de 2 dias! Tremenda tontice!

    ResponderEliminar
  9. Anónimo22:09

    Cotinha, esqueceu-se que também se babam :)
    Os ranhosos são uns fofos e merecem passear mas se acho k uma ida ao Badoka park já é deveras arriscada que dizer dos pestinhas em pleno Santuário... Beijinho

    ResponderEliminar
  10. H, este post faz-me lembrar uma noticia saida em 1ª página de um jornal em letras garrafais. A noticia, posteriormente vem a provar-se que é falsa mas, entretanto o jornal naquele dia esgotou...
    H, não se pode entender tudo...muito menos quando se fala daquilo que, pelos vistos, não sabe mesmo nada. Refiro-me pois á viagem que refere neste post.
    Sou mão de um aluno que foi a esta viagem e ajudei na sua preparação. Como tal deste assunto posso falar. E passo a esclarecer:
    O destino da viagem não foi a Fátima, mas sim a Lisboa e a Coimbra.
    Foram visitar o Mosteiro dos Jerónimos, Torre de Belem, Centro Cultural de Belem, Planetário e Portugal do Pequeninos.
    Fátima só fez parte do roteiro da viagem porque: Foi o local mais próximo de Coimbra onde todas as crianças poderam ficar alojadas no mesmo espaço por um preço que não fosse transtornar o bolso dos Pais ( é que nem todos têm pais ricos.Chegaram ao Centro Paulo VI ao fim da tarde do dia 18 e naquele local jantaram, dormiram e tomaram o pequeno almoço do dia seguinte. Acontece que houve crianças que manifestaram vontade de visitar a Igreja da Santissima Trindade e, apesar de não fazer parte do roteiro, as professoras concordaram e fizeram uma breve visita pela Igreja seguindo imediatamente para Coimbra.
    É verdade que nem todos os pais têm a mesma religião e, por acaso, na turma do meu filho existe uma criança que os pais são Geovás. Contudo, a professora antes de entrar na Igreja, telefonou á mãe e perguntou-lhe se permitia que o miúdo entrasse no local e esta deu de resposta que sim, mais que não fosse para apreciar a obra de arte( contou-me a mãe hoje, enquanto esperávamos pelos chegada dos autocarros).
    Houve um grande empenho por parte destas professoras do 4º ano para que este passeio, bem meritório, se tivesse realizado. Foram muitas as rifas que se venderam; muitos os bolos que levaram para a escola para vender; muitos telefonemas de telemóvel a tentar encontrar a empresa que menos cobrasse pelo transporte E dormidas das crianças ( chamadas pagas do bolso das professoras). Enfim, muito trabalho mas valeu a pena porque todas as crianças do 4º ano que vivem na Fundação poderam ir a custo zero e todos os restantes pararam o simbólico valor de 30 euros ( incluindo transporte, dormidas, comida e entrada nos locais a visitar)
    Para terminar, a viagem correu bastante bem, em todos os aspectos. O sorriso daqueles putos ao descer do autocarro era de felicidade e, QUIÇA, esta não tenha sido, para alguns, não a sua viagem de finalista de 4º ano mas sim o seu único passeio de verão...
    Mas é tão fácil falar...

    ResponderEliminar
  11. Anónimo00:42

    Exmo. H,
    tem razão ao não concordar com a importação dos modelos nórdicos no nosso país. Não faz qualquer sentido. No entanto, são esses pequenos pormenores nas mentalidades das pessoas que fazem a diferença, e por isso que muitos desse países estão anos de luz à frente de Portugal. Dizes que uma viagem de finalistas é uma tontice. Até pode ser. Mas quando vejo um Portugal em que os pais são extremamente proteccionistas em relação aos filhos e estes muito mimadinhos, saindo de casa somente perto dos trinta anos de idade, se não for mais, assim questiono-me como é que é possível este país evoluir se estamos a lidar com uma elite de quequinhos? Basta olhar para os jogadores da nossa Selecção, tipo Ronaldo, Nani, Quaresma, Veloso etc. todos jogadores mimados. Certamente que ainda devem beber o copinha de leite da mamã. (Esta crítica aos jogadores da Selecção não tem qualquer ligação com os acontecimentos de hoje). E muito dos nossos empresários e políticos são iguais. Alías, não é preciso ir tão longe, basta observar os nososs familiares mais chegados, como por exemplo, primos, sobrinhos, irmãos, etc. Muitos são meninos mimados que vivem às custas dos pais até à idade de adulto, se não for mais. Claro, que há excepções. Existem sempre. Mas são raras as excepções. Eu adoro Portugal, mas há que mudar as mentalidades das pessoas. Eu lembro-me quando pela primeira vez passei os meus primeiros cinco dias sem os pais e foi numa viagem de finalistas do quarto ano. Foram os primeiros dias fora de casa. Porque será que os nórdicos são mais independentes em relação aos pais? Porque será que muitos dos estudantes lá fora iniciam uma carreira profissional e somente depois começam os estudos? Porque será que muitos saiem a partir dos 18 anos de idade de casa? Porque é lá as pessoas são mais flexíveis em relação ao local do trabalho, Sul ou no Norte do país para eles é indiferente, e cá não?
    Será que a viagem de finalistas no 4ºano foi decisiva para essas diferenças de mentalidade? Obviamente que não. Discrepâncias deste tipo não resultam somente de um factor, acontecimento ou decisão. No entanto, é óbvio que se trata de um passo decisivo no que concerne à independência dos filhos face aos pais hiper-super-mega-proteccionistas. E essa relação afecta em muito a vida dos portugueses. Esse proteccionismo exagerado. Tudo o que é demais é prejudicial. E eu considero isso um flagelo comum que afecta a generalidade das famílias em Portugal.
    Afinal de contas, trata-se meramente de um pequeno passo, mas no fim todos os passos contam quando se pretende chegar à meta final ou será que estou em erro?

    ResponderEliminar
  12. Ao ler novamente o post verefiquei que existem outas inverdade: Refere vinte e tal miúdos mas não é verdade: foram sessenta e muitos.
    Serão todos eles filhos de pais poucos diligentes ou de professoras( todas as do 4º ano da escola 4) irresponsáveis????.....

    ResponderEliminar
  13. @noctivaga - como se faz com a pescada, respondo por postas!
    - nada disse sobre pernoitarem em Fátima; discordo, mas percebi a razão, pelo que nada disse! Embora discorde! E mais ainda se, como me diz, inclui uma visita à Igreja!
    - respeito e admiro o empenho das professoras: mas reitero que acho uma insanidade! Eu jamais assumiria a responsabilidade de ir de viagem com 20 e tal miudos de nove anos! Da mesma forma que respeito e admiro as pessoas que ajudaram! Mas, acho muito prematuro! Mesmo muito! E pergunto? O que vão fazer quando terminarem o ciclo? E onde é a viagem do 9 ano? Não pergunto pela do décimo segundo, porque dessas temos as imagens de Loret...

    Adoro crianças! Mas desde há muito que faço críticas a uma sociedade que se está a tornar "filhocêntrica", onde tudo roda em volta dos desejos e caprichos de petizes, sem idade para desejos e caprichos!

    ResponderEliminar
  14. @noctivaga - Duas coisas breves!
    Primeira, vinte e tal refere-se à responsabilidade que cada professora assume, pelos seus alunos!
    Segunda! SABE PERFEITAMENTE QUE NÃO MENOSPREZEI OS PAIS DOS ALUNOS QUE FORAM! E, como dizia a outra, EU SEI BEM, QUE VOCE SABE QUE EU SEI!

    ResponderEliminar
  15. H, o probelma é mesmo esse: não referiu que as crianças apenas pernoitaram em Fátima, fez pior: Afirmou que o destino da viagem foi a Fátima, o que é TOTALMENTE FALSO.
    Não menosprezou os pais, nem as professoras mas, vá- se lá saber porquê dá como titulo ao post " Haja juizo". É que eu também sei ler nas "entrelinhas".

    ResponderEliminar
  16. Anónimo10:09

    ISTO ESTA QUENTINHO LOL

    ResponderEliminar
  17. Anónimo10:28

    Pronto, tocaram na Igrejazinha da Noctivaga e ela está toda amuadinha!

    Já agora Noctivaga:
    Escreve-se "Jeóvá" e não "Geovás".

    Passar bem!

    ResponderEliminar
  18. @anónimo 12.42 - Eu invejo a mentalidade nórdica: mas infelizmente não é a nossa!
    E, não acho que pequenos saltos, descontextualizados com as práticas normais no seio das famílias, seja a melhor solução!

    ResponderEliminar
  19. @noctivaga - O problema dos post é que são, em regra, escritos a correr, as mais das vezes, sem pensar muito!
    Pelo que reli, com calma, o que escrevi! E, se o voltasse a escrever, não mudaria uma palavra do texto ou do titulo!
    Reitero que acho prematuro a viagem, que é um risco enorme para as professores (eu gostaria de ler os comentários se algo tivesse corrido mal na viagem!!!) e, teria pensado muito bem, nas consequências do destino! Apesar de agnóstico, não sou anti-clerical! Mas, deixo-lhe uma pergunta: e se os pais daquele miudo(a) tivessem impedido o filho de entrar? que aconteceria? ficava na porta, quando os restantes entravam?
    Sobre as pseudo-entrelinhas... será que ofendi alguém ou será que algumas pessoas, ou lerem o post e repensarem, se sentiram "picadas"?

    ResponderEliminar
  20. Anónimo18:56

    Eu ainda me lembro da minha mãe ter assinado uma declaração de responsabilidade aquando da viagem de finalistas do 4ºano. Tem razão ao afirmar que as mentalidades nórdicas são diferentes. Mas o risco é o mesmo e a tontice é a mesma. No entanto, lá ninguém fica estupefacto por se fazerem viagens no 4º ano. Se ocorreu já algum incidente grave durante as viagens? Talvez, não sei. Nunca vi nem ouvi falar numa situação desse tipo. Talvez por distracção minha. Mas, ora, aí está. Lá, as mentalidades são diferentes, para bem ou para mal.
    Cptos

    ResponderEliminar
  21. Sou eu que sou tãtã ou há colónias de férias e escuteiros e etc e tal que conseguem coordenar-se bem mm com os mais novos?
    Sou amiga de educadoras de infância e monitoras de ATL, tendo duas enveredado por uma empresa deste tipo: sistema de ATL.
    Muitas vezes as vi coordenar passeios, idas à praia, etc... e há que dizer que tinham estofo a valer para o que faziam. Quem sabe lidar a sério com crianças safa-se bem.
    ---

    Outro pormenor: em tempos que já lá vão... daqueles tempos em q as praxes eram feitas só na faculdade, a António Arroio (Liceu) não prescindia delas. Recordo-me de quando já pertencia à mobília e até antes... sabíamos sempre quem eram os caloiros ;)

    ResponderEliminar
  22. Uma colónia de férias (campo de férias) é bem diferente desta tontisse das viagens de finalistas no 4º ano. Para mais existe legislação especifica para isso.

    Por este andar quando terminarem o pré-escolar (terminam um momento de pré-escola) lá vão fazer uma viagem de dois dias e se forem importados modelos, talvez de 15 dias.

    Depois são os bailes de finalistas, as pastas, as bençãos, etc.. Gastadores de dinheiro, portanto.

    Quando se vão a 3 casamentos por ano, no terceiro já se sabe a lenga lenga toda da cerimónia e é só mais uma. Será que com viagens na Pré, no 1º Ciclo, no 2º Ciclo, no Secundário ou Técnico Profissional e no Ensino Superior, a "viagem de finalistas" não se banaliza completamente ao ponto de passar a desingar-se "Viagem de Chupar Dinheiro aos Pais"?

    Eu julgo e ninguém se sinta ofendido pela opinião, estas viagens são uma tontisse...

    ResponderEliminar

Respeite as opiniões contrárias! Se todos tivéssemos o mesmo gosto, andávamos todos atrás da sua namorada! Ou numa noite de copos, a perseguir a sua mulher!